PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

A última lição de Chico Anysio

“O antidepressivo arrumou a minha vida. Temos de colocar esses remédios ao alcance dos pobres”, disse meu tio, que sofreu de depressão por anos

A última entrevista de Chico Anysio, foi feita em sua casa e não foi para nenhum jornal, rádio ou TV. Com cerca de 40 minutos de duração, foi concedida ao psiquiatra Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Chico havia sido convidado para ser padrinho da campanha “A sociedade contra o preconceito”, da ABP, lançada no Congresso Brasileiro de Psiquiatria, ano passado. Devido ao seu estado de saúde e com medo de não comparecer ao evento, fez questão de deixar algumas palavras aos médicos na abertura do congresso, onde seu depoimento foi exibido.

Como sua fala é de grande valia, divido com os leitores algumas de suas últimas palavras. Paciente orgulhoso do psiquiatra Marcos Gebara por quase 25 anos, fez questão de explicitar a importância do tratamento psiquiátrico na sua vida. “Sem os remédios da psiquiatria, eu não teria feito 20% do que fiz.”

O grande Chico Anysio, que divertiu a vida de gerações de brasileiros, sofreu de depressão por anos a fio.

“Depressão é um quadro que só se controla com remédio. O antidepressivo acertou a minha vida. A psiquiatria é fundamental como o ar que eu respiro.” A depressão era “um demônio, um gás letal, ela entra e a pessoa não sente que está deprimida. Os outros é que descobrem”.

Chico definiu como “criminoso” o preconceito contra as doenças mentais, traduzido pela palavra psicofobia. “Achar que ir ao psiquiatra ainda é coisa de maluco é retrato do preconceito. Depressão é uma coisa, maluquice é outra”, comparou.

Chico se revoltou com o descaso com que governos e autoridades lidam com os transtornos mentais e o fornecimento de medicamentos.

“Se é possível ajudar e curar pessoas e isso não é feito, é crime. O governo tem esse dever. Não é favor colocar os remédios psiquiátricos ao alcance dos pobres, é obrigação. É dever do governo. Remédios psiquiátricos precisam ser gratuitos para quem precisa, assim como já acontece com os soropositivos”, propôs.

Ele afirmava que seu grande mal não era a depressão, mas o cigarro. “Meu pulmão foi meu grande adversário. O grande criminoso da minha vida foi o cigarro. Eu venci a depressão porque pude pagar remédios e psiquiatra. A depressão é vencível, é controlável. É só ir ao psiquiatra e tomar os remédios. O cigarro não.”

Ele era categórico em afirmar que seu único arrependimento em quase 80 anos de vida era o vício no cigarro. “Sou do tempo em que fumar era coisa de macho. Cary Grant fumava, Humphrey Bogart fumava… Conseguir que uma pessoa pare de fumar significa que ela volte a viver”, afirmou emocionado.

Ele foi capaz de um feito raro: parar de fumar sozinho. Mas, infelizmente, já era tarde demais. Os danos ao pulmão e coração eram de tal ordem que muito pouco poderia ser revertido. Antes de falecer, Chico andava com a ideia de criar uma fundação com seu nome para apoiar os estudos de combate ao tabagismo. Infelizmente, não teve tempo.

Ele tinha a dimensão do poder que suas palavras poderiam ter para as vítimas de depressão e tabagismo.

“O humor só existe em países com problemas. Não existe humorista sueco ou finlandês. Do problema nasce o humor. Como humorista, não tenho nenhum poder de consertar uma coisa, mas tenho o dever de denunciá-la. É o que estou fazendo aqui: denunciando a falta de socorro aos doentes mentais no Brasil”.

Que o seu contundente relato alcance aqueles que ainda fumam ou questionam os danos que os transtornos mentais não tratados podem causar na vida de quem os sofre, seus familiares e amigos. Se Chico conseguiu diminuir a tristeza de milhões de brasileiros com o sorriso, que ele possa agora diminuir o preconceito contra as doenças psiquiátricas por meio de suas palavras.

ANALICE GIGLIOTTI, mestre em psiquiatria pela Unifesp, é medica e sobrinha de Chico Anysio

Anúncios

26/09/2017 Posted by | Artigos, Saúde | Deixe um comentário

Paciência

Não, Não somos obrigados a aguentar tudo.

Paciência tem limites e a vida é para ser vivida, não suportada.

18/09/2017 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Mindfulness

As grandes mudanças vêm precedidas de pequenas sacudidas, de tímidas variações diárias que têm o poder de mudar a nossa vida na direção correta. O Mindfulness pode nos ajudar a conseguir isso, e essas cinco chaves nos permitirão aprender a ser mais conscientes do momento presente para realizar mudanças reais em pouco tempo.

Todos sabemos que quando falamos de felicidade, não existem milagres. O que existe é a força de vontade e a mente aberta que dia após dia e pouco a pouco vai sendo mais perceptiva a tudo o que acontece ao seu redor para intuir oportunidades. Para cruzar a porta certa no momento certo.

Um dos maiores inimigos que nos separa destes limiares de oportunidade é sem dúvida a “mente errante”. Tanto é que, segundo nos revelam vários estudos, nós passamos cerca de 30 a 40% do nosso tempo na posição de “piloto automático”.

Viver uma vida rotineira onde nos transformamos em meros passageiros em vez de comandantes é como deixar a nossa própria felicidade nas mãos do destino.

Isso não é o mais adequado. Por isso, propomos que você faça algumas mudanças. Te convidamos a incluir no seu dia a dia essas cinco chaves para ver resultados diretos em 15 dias.

  1. Seja receptivo às suas emoções, o melhor momento para lidar com elas é AGORA

O Mindfulness é, acima de tudo, uma filosofia de vida; uma ferramenta para desenvolver uma consciência mais plena com o nosso momento presente e o que acontece nele.

  • Nada disso teria sentido se não prestássemos atenção nas nossas emoções. Aspectos como a decepção, o nojo, a contradição ou a raiva não podem ser colocadas dentro de uma pasta do disco rígido do nosso cérebro.
  • Nós devemos geri-las, entender essas emoções, tomar o controle desse mundo interior sem adiar.
  1. O Mindfulness ensina a parar de julgar

Aprenda a viver sua própria realidade sem julgar. Os outros têm todo o direito de fazer, entender e viver sua vida como desejam.

  • A sua vida é sua, seja responsável por ela e evite fazer julgamentos sobre os universos alheios ao seu. Algo tão simples permitirá que você disponha de um estado de calma e equilíbrio adequado a partir de hoje.
  1. Seja receptivo, escute, aprenda a estar presente

Faça isso, apague neste exato momento o som incessante e repetitivo dos seus pensamentos.

  • Agora abra os olhos, mas não só para olhar: “veja” com maior calma tudo aquilo que o rodeia.
  • Diminua o ritmo da sua vida, pare e respire.
  • Agora, aprenda a escutar. Você tem “ouvido” sons durante muito tempo, mas é hora de sentir, de ver e ouvir com o coração, com o centro da sua mente.

“Em um coração livre de tensões, o amor flui em todas as direções.”-Maharishi-

Da mesma forma, outra ferramenta excepcional para aprender a estar mais presente é gerir melhor o nosso tempo. Se você deseja ter uma vida mais plena, é necessário aprender a aplicar filtros mentais adequados e a concentrar todas as suas energias e recursos pessoais nesse propósito de vida que tem em mente.

  1. Deixe de lado o “EU TENHO QUE SER” para praticar o “EU SOU”

Nós passamos grande parte da nossa vida sendo o que os outros esperam de nós. Nos esforçamos para agradar, para ser o que os outros querem… Tudo isso é fonte de sofrimento desnecessário que nos leva a uma dura infelicidade.

  • Faça mudanças. Substitua o “eu tenho que ser” pelo “eu sou”.
  • A meditação pode ser uma grande aliada para lembrar-nos de quem somos e entrarmos em contato com o nosso verdadeiro eu no momento presente.

Não podemos nos esquecer de que a ferramenta essencial do Mindfulness é, sem dúvidas, a meditação.

  1. Pratique a aceitação

Praticar a aceitação no nosso dia a dia não significa nos rendermos diante de tudo aquilo que acontece ao nosso redor.

  • Significa, em primeiro lugar, aceitarmos a nós mesmos e as nossas emoções presentes.
  • A aceitação também nos permite entender realidades alheias às nossas e a respeitá-las.
  • Da mesma forma, saber aceitar é falar o idioma do coração onde se conjugam a tolerância e a compreensão. Só assim seremos capazes de iniciar mudanças, de abrir as portas em direção ao nosso bem-estar interior.

Para concluir, estas cinco chaves são como janelas que espreitamos todos os dias para ver e entender a vida de outro modo.

O Mindfulness é o melhor marco para nos aproximarmos de uma felicidade mais plena e mais autêntica.

Não hesite em aproveitar suas ferramentas, em permitir-se ser guiado por especialistas da área.

A formação é sempre o modo mais simples e prático de conseguir resultados diretos em pouco tempo.

16/09/2017 Posted by | Autoconhecimento, Comportamento, Psicologia | Deixe um comentário

Aprendi

Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto.

06/09/2017 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Evidências

Evidências” de Paulo Sérgio Valle e José Augusto na performance de Ana Carolina.

02/09/2017 Posted by | Songbook | Deixe um comentário

Gratidão

Às vezes esquecemos que a gratidão é uma das nossas emoções positivas mais poderosas, e uma ótima forma de doar e se conectar com os outros (quando agradeço alguém por me fazer um favor ou uma pequena gentileza, essa pessoa tende a gostar um pouco mais de mim. Isso faz aumentar a chance de vivenciarmos a ressonância positiva).

Então, agradeça sempre que puder. Envie uma mensagem de texto, faça uma ligação ou mande um bilhete. As cartas de agradecimento estão entre as intervenções mais poderosas estudadas por praticantes de psicologia positiva.

Voluntários escrevem uma carta para alguém que nunca tenham agradecido devidamente por algo (em geral coisas não materiais) e então leem a carta em voz alta para a pessoa. Já se verificou que este ato valente gera, em quem ouve, grande felicidade. Quando oferecemos gratidão livremente, aumentamos nossa conexão com os outros.

02/09/2017 Posted by | Atitudes, Psicologia | Deixe um comentário

Caráter 

Pessoas com boas intenções fazem promessas. As com caráter cumprem.

01/09/2017 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Estou de passagem 

Um viajante chegou a uma humilde cabana, onde se dirigiu pedindo água e pousada. 

Quando chegou, foi recebido por um monge que lhe ofereceu acolhimento. 

Ao reparar na simplicidade da casa e, sobretudo, na ausência de mobília, curioso indagou:

– Onde estão os teus móveis?

– Onde estão os teus? – devolveu o monge.

– Estou aqui só de passagem – respondeu o andarilho

– Eu também…”

31/08/2017 Posted by | Provérbios, Reflexões | 2 Comentários

Mente x Vida

Uma mente negativa nunca te dará uma vida positiva.

31/08/2017 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Cora Coralina

Nesta data, em 1889, nascia Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins do Guimarães Peixoto Bretas (1889 – 1985), a grande  poetisa do Estado de Goiás. 

Em sua homenagem, um dos seus maravilhosos poemas.

Assim eu vejo a vida

A vida tem duas faces: 

Positiva e negativa

O passado foi duro

mas deixou o seu legado

Saber viver é a grande sabedoria

Que eu possa dignificar

Minha condição de mulher,

Aceitar suas limitações

E me fazer pedra de segurança

dos valores que vão desmoronando.

Nasci em tempos rudes

Aceitei contradições

lutas e pedras

como lições de vida

e delas me sirvo

Aprendi a viver.



20/08/2017 Posted by | Lembranças do Dia, Poesia | Deixe um comentário