PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Siga-o

Siga-o

”Ainda que as lágrimas caem, ainda O que você espera não chegue, não desista. Seja paciente e aja como um guerreiro usando sua armadura de fogo, e a espada da paciência é a virtude dos sábios. Esqueça o que queres e receba o que merece, neste exato momento, neste mesmo instante, há um novo fôlego de vida que permeia toda natureza e irradia o amor mais belo e puro que há nesta terra, que é o teu coração, siga-o.”

Rhenan Carvalho

Follow it

”Even if the tears fall, still waiting What you do not come, do not give up. Be patient and act like a warrior wearing armor of fire, sword and patience is the virtue of the wise. Forget what you want, get what you deserve, right now, this very minute, there’s a new breath of life that permeates all of nature and radiates love more beautiful and pure that there is on this earth, that is your heart, follow it .”

31/10/2012 Posted by | Pensamentos, Reflexões | Deixe um comentário

Você acredita nos vampiros de energia?

Vampiros de energia: 10 formas de identificar o sugador

Todos nós os conhecemos! Sabemos como são! Como se vestem! E como agem! E seus propósitos: sugar o sangue de suas vítimas, pois só assim eles sobrevivem. De quem estamos falando? É claro que dos “Vampiros dos filmes”, o Conde Drácula e seus amigos, seres errantes de capa preta e grandes dentes, ávidos por sangue (ou energia vital), e que andam pelas sombras em busca de suas vítimas que, na maioria das vezes, não percebem sua presença ou atuação maléfica, mesmo que estejam muito próximos. Aí, o filme termina e os vampiros desaparecem, certo? Errado!

Existe um tipo de vampiro que é de carne e osso, e que convivemos diariamente. Estamos falando dos “Vampiros de Energia”, pessoas de nosso relacionamento diário. Pode ser nosso irmão (a), marido/esposa, empregado, familiar, amigo de trabalho. vizinhos, gerente do banco, ou seja qualquer pessoa de nosso convívio, que esta roubando nossas energias, para se abastecer. Eles roubam energia vital, comum no universo, mas que eles não conseguem receber.

Mas, por que estas pessoas sugam nossa energia, afinal? Bem, em primeiro lugar a maioria dos Vampiros de Energia atuam inconscientemente, sugando a energia de suas vítimas, sem saber o que estão fazendo.

O vampirismo ocorre porque as pessoas não conseguem absorver as energias das fontes naturais (cósmicas, telúricas, etc), tão abundantes, e ficam desequilibradas energeticamente. Quando as pessoas bloqueiam o recebimento destas energias naturais (ou vitais), elas precisam encontrar outras fontes de energia mais próxima, que nada mais são do que as outras pessoas, ou seja, você.

Na verdade, quase todos nós, num momento ou outro de nossas vidas, quando nos encontramos em um estado de desequilíbrio, acabamos nos tornando vampiros de energia alheia.

Tipos de vampiros:

Mas, como identificar estas pessoas, ou estes vampiros? Em estudos feitos, foram identificados os seguintes tipos de vampiros (você provavelmente conhece mais de um):

• Vampiro Cobrador, Vampiro Crítico, Vampiro Adulador, Vampiro Reclamador, Vampiro Inquiridor, Vampiro Lamentoso, Vampiro Pegajoso, Vampiro Grilo-Falante, Vampiro Hipocondríaco, Vampiro Encrenqueiro

Quais as principais características deles? Como combatê-los?

a) Vampiro Cobrador: Cobra sempre, de tudo e todos. Quando nos encontramos com ele, já vem cobrando o porque não lhe telefonamos ou visitamos. Se você vestir a carapuça e se sentir culpado, estará abrindo as portas. O melhor a fazer é usar de sua própria arma, ou seja, cobrar de volta e perguntar porque ele não liga ou aparece. Deixe-o confuso, não o deixe retrucar e se retire rapidamente.

b) Vampiro Crítico: é aquele que critica a tudo e a todos, e o pior que é só critica negativa e destrutiva. Vê a vida somente pelo lado sombrio. A maledicência tende a criar na vítima um estado de alma escuro e pesado e abrirá seu sistema para que a energia seja sugada. Diga “não” às suas críticas. Nunca concorde com ele. A vida não é tão negra assim. Não entre nesta vibração. O melhor é cair fora e cortar até todo o tipo de contato.

c) Vampiro Adulador: é o famoso “puxa-saco”. Adula o ego da vítima, cobrindo-a de lisonjas e elogios falsos, tentando seduzir pela adulação. Muito cuidado para não dar ouvidos ao adulador, pois ele simplesmente espera que o orgulho da vítima abra as portas da aura para sugar a energia.

d) Vampiro Reclamador: é aquele tipo que reclama de tudo, de todos, da vida do governo, do tempo, etc. Opõe-se a tudo, exige, reivindica, protesta sem parar. E o mais engraçado é que nem sempre dispõe de argumentos sólidos e válidos para justificar seus protestos. Melhor tática é deixá-lo falando sozinho.

e) Vampiro Inquiridor: sua língua é uma metralhadora. Dispara perguntas sobre tudo, e não dá tempo para que a vítima responda, pois já dispara mais uma rajada de perguntas. Na verdade, ele não quer respostas e, sim, apenas desestabilizar o equilíbrio mental da vítima, perturbando seu fluxo normal de pensamentos. Para sair de suas garras, não ocupe sua mente à procura de respostas. Para cortar seu ataque, reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal e contundente, e procure se afastar assim que possível.

f) Vampiro Lamentoso: são os lamentadores profissionais, que anos a fio choram sua desgraças. Para sugar a energia da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo. Chora, lamenta-se e faz de tudo para despertar pena. È sempre o coitado, a vítima. Só há um jeito de tratar com este tipo de vampiro, é cortando suas asas. Corte suas lamentações dizendo que não gosta de queixas, ainda mais que não elas não resolvem situação alguma.

g) Vampiro Pegajoso: investe contra as portas da sensualidade e sexualidade da vítima. Aproxima-se como se quisesse lambê-la com os olhos, com as mãos, com a língua. Parece um polvo querendo envolver a pessoa com seus tentáculos. Se você não escapar rápido, ele irá sugar sua energia em qualquer uma das possibilidades. Seja conseguindo seduzi-lo com seu jogo pegajoso, seja provocando náuseas e repulsa. Em ambos os casos você estará desestabilizado, e, portanto, vulnerável. Saia o mais rápido possível. Invente uma desculpa e fuja rapidamente.

h) Vampiro Grilo-Falante: a porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido. Fala, absoluto, durante horas, enquanto mantém a atenção da vítima ocupada, suga sua energia vital. Para livrar-se, invente uma desculpa, levante-se e vá embora.

i) Vampiro Hipocondríaco: cada dia aparece com uma doença nova. Adora colecionar bula de remédios. Desse jeito chama a atenção dos outros, despertando preocupação e cuidados. Enquanto descreve os pormenores de seus males e conta seus infindáveis sofrimentos, rouba a energia do ouvinte, que depois sente-se péssimo.

j) Vampiro Encrenqueiro: para ele, o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na base do tapa. Quer que a vítima compre a sua briga, provocando nela um estado raivoso, irado e agressivo. Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e roubar-lhe a energia. Não dê campo para agressividade, procure manter a calma e corte laços com este vampiro.

Bem, agora que você já conhece como agem os Vampiros de Energia, vá a caça deles, ou melhor, saia fora deles o mais rápido possível. Mas, não esqueça de verificar se você, sem querer, é obvio, não é um destes tipos de Vampiro.

E agora, acredita ou não?

Vera Caballero, professora de bioenergias

Energy vampires: 10 ways to spot the sucker

All we know them! We know how! How to dress! And how they act! And its purpose: to suck the blood of their victims, because only then they survive. Who are we talking about? Of course, the “Vampire films,” Count Dracula and his friends beings wandering black cape and big teeth, eager for blood (or life energy), and walking through the shadows in search of their victims that, in most often do not realize their presence or action evil, even if they are very close. Then the movie ends and vampires disappear, right? Wrong!

There is a type of vampire that is flesh and blood, and that we live daily. We are talking about the “Energy Vampires”, people in our daily relationships. Might be our brother (a), husband / wife, employee, family member, friend working. Neighbors, bank manager, or anyone from our midst, that this stealing our energies to stock up. They steal vital energy, common in the universe, but they can´t receive.

But why these people suck our energy, anyway? Well, firstly most Vampires Energy act unconsciously, sucking the energy of their victims, without knowing what they are doing.

Vampirism is because people can´t absorb energy from natural sources (cosmic, telluric, etc), so abundant, and are energetically unbalanced. When people block the receipt of such natural energies (or vital), they need to find other energy sources closer, which are nothing more than the others, namely you.

In fact, almost all of us at one time or another in our lives, when we are in a state of imbalance, we became alien energy vampires.

Types of vampires:

But how to identify these people, or these vampires? In studies, we identified the following types of vampires (you probably know more than one):

• Collector Vampire, Critical Vampire, Flatterer Vampire, Complainer Vampire, Inquirer Vampire, Whining Vampire, Sticky Vampire, Cricket Speaker Vampire, Hypochondriac Vampire , Troublemaker Vampire.

What are the main characteristics of them? How to fight them?

a) Collector Vampire: Cobra always, everything and everyone. When we met with him, as has been charging why do not you call or visit. If you wear the shoe and feel guilty, will be opening the doors. The best thing to do is to use his own weapon, or charge back and ask why he does not care or appears. Let him confused, do not leave retort and withdraw quickly.

b) Critical Vampire: the one who criticizes everyone and everything, and the worst that is only negative and destructive criticism. Sees life only by the dark side. The slander the victim tends to create a state of soul dark and heavy and open your system to the energy being sucked out. Say “no” to his criticisms. Never agree with him. Life is not so black as well. Do not enter this vibration. It is best to drop off and cut up any kind of contact.

c) Flatterer Vampire: the famous “kiss-ass”. Flatters the ego of the victim, covering her with flattery and false praise, trying seduced by flattery. Very careful not to listen to the flatterer, for he simply hopes that the pride of the victim open the doors to suck the aura of energy.

d) Complainer Vampire: is that guy who complains about everything, all of life’s government, weather, etc.. Opposes all demands, claims, protests without stopping. And the funny thing is that not always have sound and valid arguments to justify their protests. Best tactic is to let him talking to himself.

e) Inquirer Vampire: their language is a machine gun. Raises questions about everything, and there’s no time for the victim to respond, because I shoot a burst of more questions. In fact, he does not want to answer, and only destabilize the victim’s mental balance, disrupting the normal flow of your thoughts. To get out of their clutches, not occupying his mind searching for answers. To cut his attack, react making him a very personal question and forceful, and seek to depart as soon as possible.

f) Whining Vampire: are the professional mourners, who for years mourn his misfortunes. To suck the energy of the victim, attacks by the emotional and affective. Cries, whines and does everything to arouse pity. It is always the poor, the victim. Only one way to deal with this kind of vampire, is cutting its wings. Cut your whining saying they do not like complaints, even more than they do not solve any situation.

g) Sticky Vampire: inveighs against the doors of sensuality and sexuality of the victim. Approaching as if to lick it with his eyes, his hands, his tongue. Looks like an octopus trying to involve the person with their tentacles. If you do not escape fast, he will suck your energy in any of the possibilities. Be able to seduce you with your game sticky, is causing nausea and revulsion. In both cases you will be destabilized, and therefore vulnerable. Get out ASAP. Make up an excuse and get away quickly.

h) Cricket Speaker Vampire: the gateway is that he wants to break into your ear. Speech, absolute, for hours, while maintaining the attention of the victim occupied, suck your life energy. To free himself, invent an excuse, get up and go.

i) Hypochondriac Vampire: every day with a new disease appears. Bull loves to collect medicine. Like that draws the attention of others, arousing concern and care. While describing the details of their ailments and their endless sufferings account, steals energy from the listener, who then feels bad.

j) Troublemaker Vampire: for him, the world is a battlefield where things are resolved only on the basis of the slap. Want to buy your fight victim, causing her a rabid state, angry and aggressive. This is one of the most efficient methods to destabilize the victim and rob him of his energy. Do not give ground for aggression, try to keep calm and cut ties with this vampire.

Well, now that you know how to operate the Energy Vampires, go hunting them, or better, get off them as soon as possible. But, do not forget to check if you unintentionally, of course, is not one of these types of Vampire.

31/10/2012 Posted by | Comportamento | Deixe um comentário

Uma carta para você

Uma carta para você

Nós, contamos tudo sobre sedução e relacionamento.

Se você sofre por não entender  as mulheres, esta é uma grande chance.

Nós respondemos a uma pesquisa feita pela MH (USA), e revelamos, sinceramente, o que está por trás das nossas palavras, ações e desejos.

Quer entender por que perguntamos sempre se estamos gordas naquela calça?

Não sabe por que ficamos irritadíssimas quando vemos na tela um e-mail inocente para a namorada da adolescência?

Fica em dúvida se queremos que você pague a conta ou se achamos isso machismo?

Nós prometemos explicar tudo!

Esta carta foi endereçada especialmente a você e está cheia de informações valiosíssimas sobre o nosso comportamento. Guarde estas dicas preciosas e use-as sempre que precisar.

Querido homem,

Você pode não acreditar, mas, quase sempre, estamos dizendo a verdade. “Só quero que sejamos amigos”, “Não é você, sou eu”, “Você é o melhor que eu já…” – queremos dizer exatamente isso. Honestamente, na maior parte do tempo, somos fáceis de entender.

Mas é legítimo dizer que, de vez em quando, não somos tão claras: não dizemos o que queremos dizer ou não queremos dizer o que dizemos.

E detestamos essa confusão tanto quanto você. Em alguns dias, nossos pensamentos simplesmente não são lógicos. Tenha um pouquinho de paciência com a gente. Se achar que não estamos sendo racionais, não fique com raiva. Só diga que está disposto a conversar quando estivermos prontas para falar – o que vai acontecer em cinco minutos.

Sim, nós damos trabalho – mas você também dá. Somos constantemente lembradas de que os homens passam por uma fase de readaptação por conta da nossa independência. Você não sabe mais o que esperar: se agir como cavalheiro pode ser taxado de protetor ou se sentir bobo por pagar uma bebida para uma mulher.

A regra é simples: esqueça esse papo de feminismo fora do escritório.

Atração sexual não tem a ver  só com  peitoral definido

Enquete  MH – 70% das garotas gostam se você abre a porta do carro para elas ou se oferece para pagar a conta

Enquete  MH – 64% das mulheres acreditam que o melhor elogio é aquele em que você destaca algo único dela, como o sorriso

Enquete  MH – 60% das garotas só transam com envolvimento. 26% acham ok se for uma noite só, desde que isso esteja claro

Enquete  MH – 43% só fazem planos para a relação depois de meses

Se quer nos impressionar, vá em frente! Abra a porta, chame o táxi, pague a conta. Claro, é um charme retrô – mas é um charme acima de tudo. Nós vamos saber retribuir essa atenção.

Para nós, masculinidade está ligada a maturidade. Fazer birra ou brigar por ciúme é comportamento de quem tem dois anos de idade. Não ficamos lisonjeadas com machismo descontrolado. Se quer que nos sintamos apreciadas, fale dos nossos encantos . E seja original ou, melhor ainda, particular. Na busca do elogio certeiro, escolha o que poderia se aplicar somente àquela mulher. “Você tem olhos lindos” é bom. “Seus anos de balé fizeram de você a mulher mais graciosa que já vi” é imbatível.

Isso não quer dizer que queremos ser tratadas como bonecas de porcelana. Por favor, nos provoque. Tire uma onda – sempre com jeitinho e carinho. Como a provocação exige que você nos conheça a fundo, nos sentimos notadas e importantes.

Agora vamos resolver umas coisas sobre o seu corpo. Gostamos dele. Admiramos tipos e formas diferentes e, se gostamos de você, vamos gostar do seu corpo. Se for se sentir melhor, vá para a academia. Mas saiba que a verdadeira atração sexual não tem a ver só com peitoral definido ou tanquinho – tem a ver com carisma, charme e um brilho nos olhos. Um cara lindo e sem um bom papo é um pacote de presente sem nada dentro: vazio e decepcionante. Invista em cultura primeiro e, só depois, em um bom terno. Ah, e use perfume. Tenha um com a sua cara – e de bom gosto .

Mas o mesmo não funciona com a gente. Provavelmente você não vai entender como é difícil ter a aparência analisada o tempo todo. Sim, parece exagero chorar por causa de um vestido que não fecha e repetir constantemente “Estou gorda?”. Deve ser cansativo para você. Mas não fazemos isso por chatice; nós não sabemos mesmo se estamos bonitas. E, por mais que estejamos, sempre bate uma insegurança.

Além disso, faz bem para você também cooperar conosco. Nós lembramos tudo que você já disse sobre nossa aparência – seja um elogio ou uma crítica – e armazenamos isso em uma parte dos nossos cérebros. Nada do que você diz vai ser desconsiderado, e tudo vai ter retorno. Escolha bem suas palavras.

Muitas vezes, no começo de um namoro, você assume que a mulher já está planejando o casamento ou, no mínimo, pulando de felicidade em direção ao compromisso. Não é bem assim. Nas noites em que você não está por perto, detonamos garrafas de vinho com nossas melhores amigas e nos perguntamos se estamos mesmo a fim de levar isso adiante. Não estamos contando isso tudo para fazer você se sentir inseguro, mas para evitar que termine um relacionamento que de alguma forma está funcionando pelo simples fato de “não ter certeza”. Ninguém tem certeza de nada em seis semanas de namoro. Relaxe.

A maioria das mulheres só topa sexo com algum envolvimento. Mas, muitas de nós não encanam com transas de uma noite, desde que haja sinceridade. Se é apenas sexo o que você quer, tudo bem, mas não diga que somos a mulher da sua vida. Vamos acreditar que existe uma intenção além do sexo e que depois vamos nos sentir idiotas quando você aparentemente se desmaterializar. Não é porque somos mais sentimentais; é porque gostamos de saber quando algo a mais está ou não sendo considerado. Seja honesto. “Não consigo tirar os olhos de você. Você e eu, apenas uma noite. Que tal?” É uma oferta muito sexy. Experimente.

Acredite ou não, as garota têm fantasias sexuais incrivelmente detalhadas e totalmente safadas. Elas podem ou não falar sobre isso, mas elas têm. Às vezes, podem inclusive fantasiar sobre você. E, a propósito, nós sabemos que comédias românticas são bobas e estereotipadas. Mas não ligamos nem um pouco para isso.

Vamos às redes sociais. Se você é casado ou tem namorada, preste atenção: em um mundo ideal, você não mandaria mensagens de feliz aniversário no Facebook ou por e-mail para a sua ex, ou para qualquer outra pessoa que cause ciúme na parceira. Mas quase todo mundo faz isso . Sim, nós também! Então, pela paz e tranquilidade, não deixe que vejamos essas mensagens. Mas não faça parecer que você tem algo a esconder da gente. Está vendo? Ninguém disse que seria simples.

Lembre-se deste ponto-chave: não importa o momento da relação (primeiros encontros, namoro, casamento), queremos nos sentir encantadas por você. Se nos esquecemos de como era no começo, nos faça lembrar.

E preste atenção também a este último detalhe: ser um cara legal é bom, mas muitas pessoas são legais. Ser interessante é melhor. Mas ser interessado é o melhor de tudo.

Men`s Health (USA)

A letter to you

We counted all about seduction and relationships

If you suffer for not understanding women, this is a great chance.

We respond to a survey conducted by MH (USA), and reveal, honestly, what’s behind our words, actions and desires.

Want to understand why we always ask that fat pants?

Do not know why we see on screen nervous when an e-mail to the innocent childhood sweetheart?

It is doubtful if we want you to pay the bill or if we think it sexism?

We promise to explain everything!

This letter was addressed specifically to you and is full of valuable information about our behavior. Keep these valuable tips and use them whenever you need.

Dear Man

You may not believe this but, almost always, we are telling the truth. “I just want to be friends”, “It’s not you, it’s me”, “You’re the best I’ve ever …” – we mean exactly that. Honest, most of the time, are easy to understand.

But it is fair to say that, from time to time, we are not so clear: we do not say what we mean or do not mean what we say.

And this confusion as much as we hate you. On some days, our thoughts are simply not logical. Have a little patience with us. If you think you’re not being rational, not be angry. Just say you’re willing to talk when we are ready to talk – what will happen in five minutes.

Yes, we give work – but also gives you. We are constantly reminded that men go through a phase of rehabilitation because of our independence. You do not know what to expect: If you act like a gentleman can be labeled a guard or feel stupid for paying a woman for a drink.

The rule is simple: forget this talk of feminism out of the office.

Sexual attraction is not just about defined pectoral

MH Poll – 70% of girls like if you open the car door for them or offers to pay the bill

MH Poll – 64% of women believe that the best compliment is when you highlight it something unique, like the smile

MH Poll – 60% of girls have sex only with involvement. 26% think ok if one night only, since it is clear

MH Poll – 43% only make plans for the relationship after months

If you want to impress us, go ahead! Open the door, call a taxi, pay the bill. Sure, it’s a retro charm – a charm but is above all. We know we will repay this attention.

For us, masculinity is linked to maturity. Make tantrum or fight about jealousy is behavior who is two years old. We are not flattered with unbridled machismo. If you want us to feel appreciated, speak of our charms. And be original or, better yet, private. In pursuit of accurate praise, choose what might apply only to that woman. “You have beautiful eyes” is good. “His years of ballet made you the most graceful woman I have ever seen” is unbeatable.

That does not mean we want to be treated like porcelain dolls. Please let us cause. Take a wave – always nicely and affection. How provocation requires you to know the background, we feel noticed and important.

Now let’s address a few things about your body. We like him. We admire different types and forms and, like you, we love your body. If you feel better, go to the gym. But know that the real sexual attraction is not just about chest or defined abs – has to do with charisma, charm and a twinkle in his eye. A beautiful face without a good chat is a gift package with nothing inside: empty and disappointing. Invest in culture first, and only then in a good suit. Oh, and wear perfume. Be one with your guy – and tasteful.

But it does not work with us. You probably will not understand how hard it look like all the time analyzed. Yes, it seems overkill cry because of a dress that does not close and constantly repeating “I’m fat?”. It must be exhausting for you. But do not do that by boring, we do not even know if we’re beautiful. And, as we are always beats insecurity.

Also, good for you also cooperate with us. We remember everything you’ve said about our appearance – be it a compliment or a criticism – and store it in a part of our brains. Nothing you say will be disregarded, and everything will get back. Choose your words well.

Often, at the beginning of a relationship, you assume that the woman is already planning the wedding or at least jumping of happiness toward compromise. Not so. On nights when you’re not around, detonate bottles of wine with our best friends and we wonder if we are even to bring it forward. We are not telling all this to make you feel insecure, but to avoid ending a relationship that somehow is working simply because “not sure.” No one is sure of anything in six weeks of dating. Relax.

Most women only make sex with some involvement. But many of us do not stay upset with one-night, provided there is sincerity. If sex is just what you want, fine, but do not say you’re a woman in your life. Let us believe that there is an intention beyond sex and then we’ll feel stupid when you seemingly dematerialize. Not because we are more sentimental, it is because we like to know when something else is or is not being considered. Be honest. “Can`t take my eyes off you. You and I, just one night. What about? “It’s a very sexy offer. Try it.

Believe it or not, the girl has sexual fantasies incredibly detailed and totally naughty. They may or may not talk about it, but they have. Sometimes you may even fantasize about. And by the way, we know that romantic comedies are silly and stereotyped. But we do not care one iota for this.

Let social networks. If you are married or have a girlfriend, pay attention: in an ideal world, you would not send happy birthday messages on Facebook or by email to your ex, or any other person that causes jealousy in a partner. But almost everyone does it. Yeah, us too! So, for peace and quiet, do not let us see these messages. But do not make it seem like you have something to hide from us. See? Nobody said it was easy.

Remember this key point: no matter what time of the relation (first dates, dating, marriage), we want to feel enchanted by you. If we forget what it was like in the beginning, make us remember.

And also pay attention to the last detail: being a nice guy is good, but many people are cool. Being interesting is better. But being interested is the best of all.

31/10/2012 Posted by | Relacionamento, Sexo | Deixe um comentário

O Importante

O Importante

“Na vida o importante não é ser, ter ou aparecer. O importante é construir e desenvolver.”

Autor Anônimo

The Important

“In life it is important not to be, have or appear. The important thing is to build and develop. ”

30/10/2012 Posted by | Pensamentos, Reflexões | Deixe um comentário

Segredos íntimos ficam públicos no Facebook

Segredos íntimos ficam públicos no Facebook

Bobbi Duncan desejava desesperadamente que seu pai não soubesse que ela é lésbica. Mas o Facebook contou para ele assim mesmo.

Numa noite no fim do ano passado, o diretor do Queer Chorus, um coral de gays, lésbicas e transgêneros ao qual ela havia se juntado recentemente, expôs inadvertidamente a sexualidade de Duncan para seus cerca de 200 amigos do Facebook, incluindo seu pai, ao adicioná-la a um grupo de discussão na rede social. Naquela mesma noite, o pai de Duncan deixou mensagens mordazes em seu telefone, exigindo que ela renunciasse às relações com o mesmo sexo, diz ela, e ameaçando cortar os laços familiares.

A estudante de 22 anos chorou a noite toda no sofá de uma amiga. “Eu me senti como se alguém tivesse me dado um soco no estômago”, diz ela.

Logo ela soube que outro membro do coral, Taylor McCormick, tinha passado pela mesma experiência transtornante.

O diretor do coral, uma organização estudantil no campus da Universidade do Texas em Austin, tinha acrescentado Duncan e McCormick ao grupo do Queer Chorus no Facebook. O diretor não sabia que o software automaticamente informaria aos amigos deles no Facebook que agora eram membros do coral, cujo nome, Queer, é um dos termos em inglês para homossexual.

Os dois estudantes foram vítimas de uma brecha nos mecanismos de proteção de privacidade do Facebook: qualquer pessoa pode ser adicionada a um grupo, por um amigo, sem aprovação prévia. Como resultado, os dois perderam o controle sobre seus segredos, mesmo ambos sendo usuários sofisticados que tentavam usar as configurações de privacidade do Facebook para ocultar algumas atividades de seus pais.

“Nossos sentimentos estão com esses jovens”, diz o porta-voz da Facebook Inc. Andrew Noyes. “A experiência infeliz deles nos recorda que devemos continuar nosso trabalho para capacitar e educar os usuários sobre os nossos robustos controles de privacidade.”

Na era de redes sociais como Facebook e Google+, da Google Inc., empresas que catalogam as atividades dos usuários para obter lucros rotineiramente compartilham, armazenam e transmitem os detalhes cotidianos da vida das pessoas. Isso cria um desafio para quem transita na economia dos dados pessoais: como manter privado qualquer aspecto da vida numa era em que é difícil prever onde sua informação vai acabar?

Muitas pessoas foram acidentalmente prejudicadas por revelar segredos on-line que eram mais fáceis de manter no passado. Em Quebec, Canadá, Nathalie Blanchard perdeu os benefícios de um seguro de invalidez causada por depressão crônica depois que ela postou fotos no Facebook onde aparecia se divertindo na praia e em uma boate, ao lado de dançarinos exóticos. Depois de ver as fotos, sua seguradora contratou um investigador particular e pediu que um médico reavaliasse o diagnóstico dela, de acordo com o advogado de Blanchard.

Blanchard não percebeu que suas fotos eram visíveis ao público, segundo o advogado, que acrescentou que as pessoas deprimidas frequentemente tentam disfarçar a doença para a família e os amigos. Blanchard processou a seguradora para ter seus benefícios de volta. O assunto foi resolvido com um acordo fora do tribunal.

Uma porta-voz da Manulife recusou a discutir o caso, dizendo que “nós não negaríamos ou cancelaríamos benefícios válidos com base exclusivamente em informações publicadas em sites como o Facebook”.

Durante a maior parte da história humana, informações pessoais se espalhavam lentamente, quando muito de uma pessoa para outra. Mas a era do Facebook tornou possível divulgar assuntos particulares para grandes grupos de pessoas, intencionalmente ou não. Universos pessoais que antes podiam ser divididos entre trabalho, família, amizades e opções sexuais se tornam hoje mais difíceis de separar. Uma solução, ficar fora do Facebook, torna-se cada vez menos viável, já que a rede abrange hoje um bilhão de pessoas em todo o mundo.

A Facebook está comprometida com o princípio de uma identidade única para seus usuários. A empresa bloqueia o acesso de pessoas que usam pseudônimos ou mantêm várias contas, incluindo as de dissidentes e manifestantes na China e no Egito. A Facebook informa que seu compromisso com “nomes reais” torna o site mais seguro para os usuários. É também parte central do serviço que vende aos anunciantes, ou seja, o acesso a consumidores reais.

Homossexuais que mantém em segredo sua sexualidade enfrentam desafios particularmente grandes no controle de sua imagem on-line, já que amigos, parentes e inimigos têm condições de os expor.

Em Austin, Duncan e McCormick, de 21 anos, tentaram deliberadamente ocultar sua homossexualidade dos pais, ainda que se abrissem para os outros estudantes no campus. Os pais de Duncan a educaram em casa em Newton, Carolina do Norte, onde a família participa de uma igreja fundamentalista. Hoje uma estudante de linguística, ela decidiu em meados de 2011 dizer à sua melhor amiga que talvez fosse homossexual.

Ela configurou as ferramentas de privacidade do Facebook para esconder qualquer indício de sua sexualidade do seu pai, a quem ela havia ajudado a abrir uma conta no Facebook. “Depois que eu defini minhas configurações de privacidade do Facebook, eu sabia — ou achava que sabia — que não haveria qualquer problema”, diz ela.

McCormick, que é estudante de farmácia, confessou para a mãe que era gay em julho de 2011 na cidade onde cresceu, em Blanco, Texas, mas não a seu pai, a quem ele descreve como um membro de uma igreja conservadora que ensina que homossexualidade é pecado.

Ele configurou os controles do Facebook para o que ele chama de “confinamento de privacidade” para as mensagens que seu pai podia ver. “Temos um grande segredo quando somos jovens”, diz ele. “Eu sabia que nem todo mundo iria me aceitar.”

Como muitas outras universidades americanas, a Universidade do Texas em Austin oferece um espaço seguro para os jovens assumirem sua homossexualidade sem que os pais saibam. No fim do ano passado, Duncan e McCormick participaram do primeiro ensaio para o Queer Chorus. Duncan iria tocar piano e cantar. McCormick, com uma figura esbelta, surpreendeu o coral com sua voz de baixo profundo.

Em um ensaio em 8 de setembro, Christopher Acosta, então diretor do coral, perguntou se algum membro ainda não havia se juntado ao grupo no Facebook, onde os ensaios seriam planejados. McCormick e Duncan disseram que não.

Naquela noite, Acosta adicionou os dois novos membros ao grupo do coral no Facebook. O site oferece três opções para esse tipo de grupo: “secreto” (membros e discussões ficam ocultos de não membros), “fechado” (qualquer pessoa pode ver o grupo e seus membros, mas apenas os membros veem os posts), e “aberto “(tanto membros quanto conteúdo são públicos).

Acosta optou por “aberto”. “Eu estava tão entusiasmado com a ideia de um coral [gay] sem nenhuma vergonha”, diz ele.

Mas havia um preço que ele diz que desconhecia. Ao adicionar Duncan, algo que pode fazer on-line sem consentimento prévio, o Facebook postou uma mensagem a todos os amigos dela, incluindo seu pai, dizendo que ela agora era membro do Queer Chorus.

Quando Acosta apertou o botão, o Facebook permitiu a ele ignorar as configurações de privacidade que Duncan e McCormick tinham usado para esconder as mensagens de seus pais. O centro de apoio on-line do Facebook explica que grupos abertos, bem como os fechados, são visíveis ao público e publicarão notificações aos amigos dos usuários. Mas o Facebook não permite que um usuário aprove antes que um amigo os adicione a um grupo, ou esconda dos amigos que foi adicionado.

Depois de ter sido contatada pelo The Wall Street Journal, a Facebook ajustou a linguagem no Centro de Apoio on-line do seu site para explicar o risco de situações como a do Queer Chorus, na qual os amigos podem ver que alguém entrou para um grupo.

O Facebook também adicionou um link para essa nova explicação diretamente na tela onde os usuários criam grupos.

Defensores da privacidade, incluindo a União Americana pelas Liberdades Civis (Aclu, na sigla em inglês) dizem que a Facebook lentamente mudou os padrões de seu software para revelar mais informações sobre as pessoas ao público e a seus sócios comerciais.

“Os usuários muitas vezes desconhecem a extensão em que sua informação está disponível”, diz Chris Conley, advogado de tecnologia e liberdades civis da Aclu. “E se informação sensível é divulgada, muitas vezes é impossível colocar o gato de volta no saco.”

Executivos da Facebook dizem que eles têm acrescentado cada vez mais controles de privacidade, porque isso incentiva as pessoas a compartilhar. “Trata-se de facilitar o compartilhamento exatamente com quem você quer e nunca ser surpreendido sobre quem vê algo”, disse ao WSJ Chris Cox, diretor de produto do Facebook, numa entrevista em agosto de 2011, quando o site divulgou novos controles de privacidade. A Facebook se recusou a disponibilizar Cox para este artigo.

Ainda assim, defensores da privacidade dizem que falhas de controle ainda existem, e amigos podem divulgar informações sobre outros usuários. Os usuários do Facebook, por exemplo, não podem tirar do ar fotos deles postadas por outras pessoas.

A maior preocupação, segundo eles, é que muitas pessoas não sabem como usar os controles de privacidade do Facebook. Uma pesquisa realizada em meados de 2011 pelo Pew Research Center descobriu que os usuários americanos da rede social foram se tornando mais ativos no controle de suas identidades on-line, tomando medidas como a exclusão de comentários postados por outras pessoas. Ainda assim, cerca de metade relatou alguma dificuldade em gerir controles de privacidade.

Pesquisadores dizem que o aumento de configurações de privacidade pode na verdade produzir o que eles chamam de uma “ilusão de controle” para os usuários de redes sociais. Em uma série de experimentos em 2010, Alessandro Acquisti, professor da universidade Carnegie Mellon, descobriu que oferecer às pessoas mais configurações de privacidade provoca “alguma forma de excesso de confiança que, paradoxalmente, faz as pessoas compartilharem mais”, diz ele.

Allison Palmer, diretora de campanhas e programas da Aliança de Gays e Lésbicas Contra a Difamação, diz que sua organização está ajudando a Facebook a desenvolver recursos para usuários homossexuais para ajudá-los a entender a melhor como manter a segurança e a privacidade no site.

“A Facebook é uma das poucas firmas de tecnologia que fizeram disso uma prioridade”, diz ela.

Acosta, o diretor do coral, diz que ele deveria ter sido sensível ao risco de revelar o segredo de seus membros on-line. Seus pais souberam que ele era gay quando, no ensino médio, enviou um e-mail assumindo isso que acidentalmente foi parar na caixa postal de seu pai.

Hoje, diz ele, seus pais aceitam a sua sexualidade. Então, antes de criar o seu grupo no Facebook, ele não pensou sobre o risco de pais menos abertos no site.

“Eu assumo parte da responsabilidade.”

Para gays, as redes sociais “oferecem tanto recursos quanto riscos”, diz C.J. Pascoe, um professor de sociologia da universidade Colorado College que estuda o papel de novas mídias na sexualidade do adolescente. “Em um espaço físico, você pode estar no comando das distintas audiências ao seu redor. Mas, num espaço on-line, você tem que estar preparado para a realidade de que, a qualquer momento, elas poderiam convergir sem o seu controle.”

McCormick e seu pai acabaram voltando a se falar. Ele diz que se sente mais seguro sobre sua sexualidade e mudou seu perfil no Facebook para “interessado em homens”.

Duncan diz que tentou restabelecer a comunicação com seu pai, mas as discussões persistiram.

“Eu finalmente percebi que não preciso de mais este problema na minha vida”, diz ela. “Não acho que [meu pai] seja mau, só está incrivelmente equivocado.”

Ela parou de retornar as ligações do pai em maio.

Duncan e McCormick continuam no coral. Acosta mudou a configuração do grupo no Facebook para “secreto” e o coral estabeleceu novas diretrizes de privacidade.

Portanto, cuidado. Conheça primeiro os controles de privacidade do Facebook antes de sair postando os seus segredos íntimos.

Geoffrey A. Fowler, The Wall Street Journal

Intimate secrets become public on Facebook

Bobbi Duncan wished desperately that her father did not know she is a lesbian. But Facebook told him anyway.

One night at the end of last year, the director of the Queer Chorus, a choir of gay, lesbian and transgender to which she had joined recently, inadvertently exposed sexuality Duncan for his nearly 200 Facebook friends, including his father, to add it to a discussion group on the social network. That same night, the father of Duncan left scathing messages on his phone, demanding that she resign relations with the same sex, she says, and threatening to cut family ties.

A 22 year old student cried all night on the couch of a friend. “I felt like someone had punched me in the stomach,” she says.

Soon she learned that another member of the choir, Taylor McCormick, had gone through the same experience unsettling.

The choir director, a student organization on the campus of the University of Texas at Austin, and Duncan McCormick had added to the group Queer Chorus on Facebook. The director did not know the software automatically inform to their friends on Facebook who were now members of the choir, whose name, Queer, is one of the English terms for homosexual.

The two students were victims of a breach in the protective mechanisms of Facebook privacy: Anyone can be added to a group by a friend, without prior approval. As a result, the two lost control of her secrets, even being both sophisticated users trying to use the Facebook privacy settings to hide some activities of their parents.

“Our thoughts are with these young people,” said spokesman Andrew Noyes of Facebook Inc.. “The unfortunate experience of them reminds us that we must continue our work to empower and educate users about our robust privacy controls.”

In the era of social networks like Facebook and Google+, Google Inc., companies that catalog users activities to make profits routinely share, store and transmit the details of everyday life of people. This creates a challenge for anyone who travels in economy of personal data: how to keep private any aspect of life in an age when it is difficult to predict where your information is going to end?

Many people were injured by accidentally revealing secrets online that were easier to maintain in the past. In Quebec, Canada, Nathalie Blanchard lost the benefits of disability insurance caused by chronic depression after she posted photos on Facebook where they appeared on the beach and having fun in a club, alongside exotic dancers. After seeing the photos, your insurer hired a private investigator and asked a doctor to reassess her diagnosis, according to Blanchard’s attorney.

Blanchard did not realize that their photos were visible to the public, according to the lawyer, who added that depressed people often try to disguise the disease to family and friends. Blanchard sued the insurer to get their benefits back. The matter was resolved with an out of court settlement.

A spokesperson for Manulife declined to discuss the case, saying that “we would deny or not valid cancelaríamos benefits based solely on information published on websites such as Facebook.”

Throughout most of human history, personal information spread slowly, if at all from one person to another. But the era of Facebook made it possible to disclose private affairs to large groups of people, intentionally or not. Universes personally before they could be divided between work, family, friendships and sexual choices become more difficult to separate today. A solution standing outside Facebook, it becomes increasingly less viable, since today the network includes one billion people worldwide.

The Facebook is committed to the principle of a unique identity for their users. The company blocks access for people who use pseudonyms or maintain multiple accounts, including those of dissidents and protesters in China and Egypt. The Facebook reports that its commitment to “real names” makes the site safer for users. It is also central portion of the service who sells to advertisers, or access to actual consumers.

Homosexuals who keeps his sexuality a secret face challenges particularly large in control of your online image, as friends, relatives and enemies are able to expose them.

In Austin, and Duncan McCormick, 21, attempted to deliberately conceal his homosexuality from parents, even if opened to other students on campus. Parents of Duncan educated at home in Newton, North Carolina, where the family participates in a fundamentalist church. Today a student of linguistics, she decided in mid 2011 to tell his best friend that might be homosexual.

She set up the Facebook privacy tools to hide any evidence of his sexuality from his father, whom she had helped to open a Facebook account. “Once I set my privacy settings on Facebook, I knew – or thought I knew – there would not be any problem,” she says.

McCormick, who is a student of pharmacy, confessed to his mother that he was gay in July 2011 in the city where he grew up, in Blanco, Texas, but his father, whom he describes as a member of a conservative church that teaches that homosexuality is sin.

He set the controls on Facebook for what he calls “containment privacy” for messages that his father could see. “We have a big secret when we are young,” he says. “I knew that not everyone would accept me.”

Like many other American universities, the University of Texas at Austin offers a safe space for young people to assume their homosexuality without their parents knowing. At the end of last year, and Duncan McCormick attended the first rehearsal for the Queer Chorus. Duncan would play piano and sing. McCormick, with a slender figure, surprised the choir with his deep bass voice.

In an essay on September 8, Christopher Acosta, director of the choir, asked if any member had not joined the Facebook group, where the tests were planned. McCormick and Duncan said no.

That night, Acosta added two new members to the group of coral on Facebook. The site offers three options for this type of group “Secret” (members and discussions are hidden from non-members), “closed” (anyone can see the group and its members, but only members see the posts), and ” open “(both members and content are public).

Acosta chose “open”. “I was so excited about the idea of ​​a coral [gay] without any shame,” he says.

But there was a price he says he did not know. By adding Duncan, something you can do online without prior consent, Facebook posted a message to all her friends, including her father, saying that she was now a member of the Queer Chorus.

When Acosta pushed the button, Facebook has allowed him to ignore the privacy settings that Duncan and McCormick had used to hide the messages from their parents. The support center’s online Facebook groups explains that open as well as closed, are visible to the public and publish notifications to friends of users. But Facebook does not allow a user to approve before a friend add them to a group of friends or hide that has been added.

After being contacted by The Wall Street Journal, Facebook adjusted the language in the Help Center online from your website to explain the risk of situations such as the Queer Chorus, in which friends can see someone joined a group .

Facebook also added a new link to this explanation directly to the screen where users create groups.

Privacy advocates, including the American Civil Liberties Union (ACLU, its acronym in English) say Facebook slowly changed the patterns of their software to reveal more information about the people, the public and its trade partners”Users are often unaware of the extent to which their information is available,” said Chris Conley, technology lawyer and civil liberties the ACLU. “And if sensitive information is disclosed, it is often impossible to put the cat back in the bag.”

Facebook executives say they have added more and more privacy controls, because it encourages people to share. “It is easier to share with exactly who you want and never be surprised about who sees something,” said the WSJ Chris Cox, Facebook’s director of product management, in an interview in August 2011, when the site announced new privacy controls . The Facebook declined to provide Cox for this article.

Still, privacy advocates say they control failures still exist, and friends can disclose information about other users. Facebook users, for example, can not take down photos of them posted by others.

The biggest concern, they said, is that many people do not know how to use the privacy controls of Facebook. A survey conducted in mid-2011 by the Pew Research Center found that American users of the social network became more active in control of their online identities, taking steps like deleting comments posted by others. Still, about half reported some difficulty in managing privacy controls.

Researchers say the rise of privacy settings can actually produce what they call an “illusion of control” for users of social networks. In a series of experiments in 2010, Alessandro Acquisti, a professor at Carnegie Mellon University found that giving people more privacy settings causes “some form of overconfidence that paradoxically makes people share more,” he says.

Allison Palmer, director of campaigns and programs of the Gay and Lesbian Alliance Against Defamation, says his organization is helping Facebook users to develop resources for homosexuals to help them better understand how to maintain the security and privacy on the site.

“The Facebook is one of the few technology firms that have made it a priority,” she says.

Acosta, the choir director, says he should have been sensitive to the risk of revealing the secret of its members online. His parents knew he was gay when, in high school, sent an e-mail that assuming that accidentally landed in the mailbox of his father.

Today, he says, his parents accepted his sexuality. So before creating your Facebook group, he did not think about the risk of parents less open on the site.

“I take some responsibility.”

For gays, social networks “provide both resources and risks,” says CJ Pascoe, a sociology professor at the University Colorado College who studies the role of new media on adolescent sexuality. “In a physical space, you can be in charge of different audiences around him. But in the online space, you have to be prepared for the reality that, at any moment, they could converge without your control.”

McCormick and his father ended up going back to talk. He says he feels more secure about their sexuality and changed her Facebook profile to “interested in men”.

Duncan says he tried to reestablish communication with his father, but discussions persisted.

“I finally realized I did not need more this problem in my life,” she says. “I do not think [my father] is bad, it’s just incredibly wrong.”

She stopped returning calls his father in May.

Duncan McCormick and remain in the choir. Acosta changed the configuration of the Facebook group for “secret” and the choir established new privacy guidelines.

So be careful. Know first the privacy controls of Facebook posting before leaving their intimate secrets.

30/10/2012 Posted by | Internet | Deixe um comentário

Você gosta do seu smartphone? As bactérias também.

Você gosta do seu smartphone? As bactérias também.

Quando a proximidade do celular em relação à orelha, nariz e boca é combinada com o fato de o aparelho ser quentinho, do jeito que as bactérias gostam, o resultado pode ser prejudicial à saúde.

Essa ameaça, diz Jeffrey Cain, presidente da Academia Americana de Clínicos Gerais e diretor de medicina familiar do Hospital das Crianças de Colorado, é quase sempre ignorada. “Algumas coisas que julgamos ser pessoais na verdade são mais públicas do que a gente imagina.” Bactéria, vírus e outros agentes infecciosos num telefone podem causar terçol, gripe ou diarreia, diz Cain.

Para quem quer manter a tela de toque limpa, há um desacordo entre o que médicos e pesquisadores recomendam e o que as fabricantes de smartphones sugerem para higienizar os aparelhos.

Embora haja produtos oferecidos especificamente para limpeza de celulares, eles às vezes podem estragar o verniz da tela ou não remover 100% dos germes.

Muito embora computadores, chaves, canetas e telefones fixos possam abrigar germes, os celulares se tornaram um apetrecho sempre perto para muitos usuários, nunca longe do travesseiro, da esteira na academia de ginástica ou da mesa de restaurante.

“Estamos alimentando essas pequenas criaturas”, diz Michael Schmidt, professor e vice-presidente de microbiologia e imunologia da Universidade de Medicina da Carolina do Sul. “Todo mundo já viu aquela mancha gordurosa [na tela de toque]. Onde há gordura, há bichos.”

Um laboratório testou oito celulares escolhidos aleatoriamente num escritório em Chicago para esta reportagem. Os aparelhos não mostraram sinais de E. coli ou estafilococos. Mas todos os fones mostraram números mais altos do que o normal para coliformes, uma bactéria que indica contaminação fecal. Nos oito celulares testados pelo HML Labs, havia cerca de 2.700 a 4.200 unidades de coliformes fecais. Em água potável, o limite é de menos que uma unidade por 100 ml de água.

“O resultado é bem ruim”, disse Donald Hendrickson, presidente do laboratório e professor emérito de microbiologia médica na Universidade Ball State. Ele diz que os resultados sugerem falta de lavar as mãos e de higiene apropriada.

O HML também testou quatro métodos de limpeza: água, álcool e dois produtos de limpeza, um chamado Windex, para limpeza de vidros em geral, e Nice’N Clean, um lencinho umedecido para eletrônicos. O álcool foi o melhor, limpando quase 100% das bactérias. Água foi o método menos eficiente.

Emily Evitt, de 29 anos, que mora em Culver City, Califórnia, e trabalha como advogada de propriedade intelectual, diz que limpa o teclado do computador e o telefone no trabalho toda manhã, mas que não encontrou uma solução para seu iPhone que limpe bem e não estrague a tela.

“Vejo gente na academia com seus iPhones e penso: ‘Eca'”, diz Evitt, que evita levar seu telefone à ginástica mas o leva para almoços de trabalho. O marido de Evitt, Mark, limpa os celulares do casal com álcool na parte traseira e água na frente.

Fabricantes de celulares alertam contra o uso da maior parte dos produtos de limpeza domésticos — o que pode deixar os donos dos aparelhos num dilema.

“É um problema, porque muitos fabricantes não dizem qual é o verniz que cobre o telefone”, diz Schimidt. “É difícil dizer se álcool vai remover a camada que repele óleo e danificar a tela.” A fabricante Gorilla Glass, que fornece telas para várias marcas de smartphone, afirma que uma de suas telas tem um verniz fácil de limpar que “sobrevive a seguidas limpezas”.

Uma porta-voz da Apple mostrou a um repórter o manual do cliente, que proíbe explicitamente o uso de “limpa-vidros, detergentes domésticos, sprays de aerossol, solventes, álcool, amoníaco ou abrasivos”. O conselho da BlackBerry é semelhante. Seu manual afirma: “Não use líquidos, produtos de limpeza com aerossol, nem solventes no seu BlackBerry, nem perto do dispositivo”. Um porta-voz do Android da Google Inc. diz que os diversos fabricantes do seu celular não têm uma política oficial quanto a métodos de limpeza. Todos os representantes da empresa para os smartphones Android, BlackBerry e iPhone disseram que não têm marcas específicas de produtos de limpeza para recomendar.

Boh Ruffin, engenheiro de aplicações na Corning Gorilla Glass, disse que os produtos de limpeza comuns, tais como lenços umedecidos com álcool, não vão prejudicar o desempenho do vidro, embora ele não quisesse falar diretamente sobre o desempenho dos smartphones.

“A única coisa que pode afetar o vidro é algum tipo de ácido clorídrico”, diz Ruffin. “Os panos de limpeza de microfibra são ótimos para remover a oleosidade e a sujeira.”

Esses panos para limpeza dos celulares geralmente têm uma taxa de sucesso de 99%, que o Dr. Schmidt não considera suficiente. “Com algumas bactérias, basta ingerir apenas dez organismos para ficar doente.”

Caroline Porter, The Wall Street Journal

You like your smartphone? Bacteria also

When the proximity of the cell in relation to the ear, nose and mouth is combined with the fact that the appliance is hot, the way they like bacteria, the result can be detrimental to health.

This threat, says Jeffrey Cain, president of the American Academy of General Practitioners of family medicine and director of the Children’s Hospital of Colorado, is almost always ignored. “Some things we deem to be personal in fact are more public than we think.” Bacteria, viruses and other infectious agents can cause a phone sty, flu or diarrhea, says Cain.

For those who want to keep touch screen clean, there is a disagreement between what doctors and researchers recommend and what smartphone manufacturers suggest to sanitize equipment.

While there are products available specifically for cleaning phones, they can sometimes ruin the varnish screen or not to remove 100% of germs.

Although computers, keys, pens and landlines could harbor germs, cell phones have become a fixture for many users always close, never far from the pillow, mat at the gym or restaurant table.

“We are feeding these little creatures,” says Michael Schmidt, professor and vice chairman of microbiology and immunology at the Medical University of South Carolina “Everyone has seen that greasy spot [touch screen]. Where there is fat there animals. ”

A laboratory tested eight randomly chosen cell in an office in Chicago for this article. The devices showed no signs of E. coli or Staph. But all headphones showed higher numbers than normal for coliform, a bacteria that indicates fecal contamination. In the eight phones tested by HML Labs, there were about 2700-4200 units of fecal coliform. In drinking water, the limit is less than one unit per 100 ml of water.

“The result is very bad,” said Donald Hendrickson, president of the lab and emeritus professor of medical microbiology at Ball State University. He says the results suggest lack of hand washing and proper hygiene.

The HML also tested four cleaning methods: water, alcohol and two cleaners, one called Windex, window-cleaning in general and Nice’N Clean, a dampened handkerchief to electronics. The alcohol was the best, clearing almost 100% of the bacteria. Water was the least efficient method.

Emily Evitt, 29, who lives in Culver City, California, and works as an advocate of intellectual property, says clean your computer keyboard and phone at work every morning, but did not find a solution for your iPhone thoroughly clean and do not mess up the screen.

“I see people at the gym with their iPhones and think, ‘Ugh,'” says Evitt, which avoids taking your phone to the gym but the leads for work lunches. Evitt’s husband, Mark, the couple’s cellphones clean with alcohol and water in the back in front.

Handset manufacturers warn against the use of most household cleaners – which can leave owners of the devices in a dilemma.

“It is a problem because many manufacturers do not say what is the varnish that covers the phone,” says Schmidt. “It’s hard to tell if alcohol will remove the layer that repels oil and damage the display.” The manufacturer Gorilla Glass, which provides screens for various brands of smartphone, says one of his paintings has a easy to clean varnish that “survives followed cleanings.”

A spokeswoman for Apple showed a reporter the client manual, which explicitly prohibits the use of “glass cleaner, household cleaners, aerosol sprays, solvents, alcohol, ammonia or abrasives.” The board of the BlackBerry is similar. Your manual says: “Do not use liquid, aerosol cleaners, or solvents on your BlackBerry or near the device.” A spokesman for Android from Google Inc. says several manufacturers of your phone does not have an official policy regarding cleaning methods. All company representatives for Android smartphones, BlackBerry and iPhone said they have no specific brands of cleaning products to recommend.

Boh Ruffin, applications engineer at Corning Gorilla Glass, said the common cleaning products such as wipes with alcohol, will not harm the performance of the glass, though he did not want to talk directly about the performance of smartphones.

“The only thing that can affect the glass is some sort of hydrochloric acid,” says Ruffin. “The microfiber cleaning cloths are great to remove oil and dirt.”

These cloths for cleaning phones generally have a success rate of 99%, Dr. Schmidt believes not enough. “With some bacteria simply eat only ten bodies to get sick.”

29/10/2012 Posted by | Saúde | Deixe um comentário

Alma Humana

Alma Humana

Conheças todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.”

Carl Jung

Human Soul

Find out about all the theories, master all the techniques, but when playing a human soul, it’s just another human soul. ”

29/10/2012 Posted by | Pensamentos, Reflexões | Deixe um comentário

Dia Nacional do Livro

Hoje comemora-se o Dia Nacional do Livro.

A todos os ratos de livraria, como eu, hoje é um dia de comemoração.

Foi nesse dia, em 1810, que a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para o Brasil, quando então foi fundada a Biblioteca Nacional.

O Brasil passou a editar livros a partir de 1808 quando D.João VI fundou a Imprensa Régia, e o primeiro livro editado foi “MARÍLIA DE DIRCEU”, de Tomás Antônio Gonzaga.

“Um pais se constrói com homens e livros”  já dizia o escritor Monteiro Lobato.

29/10/2012 Posted by | Lembranças do Dia | Deixe um comentário

Que …

Que jamais, em tempo algum, o teu coração acalente ódio.

Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior.

Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.

Que as perdas do teu caminho sejam sempre encaradas como lições de vida.

Que a musica seja tua companheira de momentos secretos contigo mesmo.

Que os teus momentos de amor contenham a magia de tua alma eterna em cada beijo.

Que os teus olhos sejam dois sóis olhando a luz da vida em cada amanhecer.

Que cada dia seja um novo recomeço, onde tua alma dance na luz.

Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas de tua passagem em cada coração.

Que em cada amigo o teu coração faça festa, que celebre o canto da amizade profunda que liga as almas afins.

Que em teus momentos de solidão e cansaço, esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa e se transforma, quando a alma é grande e generosa.

Que o teu coração voe contente nas asas da espiritualidade consciente, para que tu percebas a ternura invisível, tocando o centro do teu ser eterno.

Que um suave acalanto te acompanhe, na terra ou no espaço, e por onde quer que o imanente invisível leve o teu viver.

Que o teu coração sinta a presença secreta do inefável!

Que os teus pensamentos e os teus amores, o teu viver e a tua passagem pela vida, sejam sempre abençoados por aquele amor que ama sem nome.

Aquele amor que não se explica só se sente.

Que esse amor seja o teu acalento secreto, viajando eternamente no centro do teu ser.

Que a estrada se abra à sua frente.

Que o vento sopre levemente às suas costas.

Que o sol brilhe morno e suave em sua face.

Que respondas ao chamado do teu Dom e encontre a coragem para seguir lhe o caminho.

Que a chama da raiva te liberte da falsidade.

Que o ardor do coração mantenha a tua presença flamejante e que a ansiedade jamais te ronde.

Que a tua dignidade exterior reflita uma dignidade interior da alma.

Que tenhas vagar para celebrar os milagres silenciosos que não buscam atenção.

Que sejas consolado na simetria secreta da tua alma.

Que sintas cada dia como uma dádiva sagrada tecida em torno do cerne do assombro.

Que a chuva caía de mansinho em seus campos…

E, até que nos encontremos de novo.

Que os Deuses lhe guardem na palma de Suas mãos.

Que despertes para o mistério de estar aqui e compreendas a silenciosa imensidão da tua presença.

Que tenhas alegria e paz no templo dos teus sentidos.

Que recebas grande encorajamento quando novas fronteiras acenam.

Que este amor transforme os teus dramas em luz, a tua tristeza em celebração, e os teus passos cansados em alegres passos de dança renovadora.

Que jamais, em tempo algum, tu esqueças da Presença que está em ti e em todos os seres.

Que o teu viver seja pleno de Paz e Luz! ♥

Sabedoria Celta

That never, at any time, your heart cherish hatred.

That corner of maturity never stifle your inner child.

May your smile be always true.

That the losses of your way are always seen as life lessons.

May the music be your companion secret moments with yourself.

May your moments of love contain the magic of your eternal soul in every kiss.

May your eyes be two suns looking at life in light of every sunrise.

May each day be a new beginning where your soul dance in the light.

That at each step of your stay light marks your passage into every heart.

What every friend your heart make feast, which celebrates the corner of the deep friendship which binds souls like.

What in your moments of loneliness and tiredness, is always present in your heart the reminder that everything passes and changes, when the soul is big and generous.

Let your heart fly on the wings of spirituality glad aware, that you perceive the tenderness invisible, touching the center of your eternal being.

What a gentle lullaby to accompany you on earth or in space, and wherever the immanent invisible light your living.

Let your heart feel the presence of the ineffable secret!

That your thoughts and your loves, your life and your journey through life, always be blessed by the love that loves nameless.

That love which can`t be explained only feels.

That love be your lullaby secret forever traveling in the center of your being.

That the road is open before her.

The wind blows lightly on his back.

May the sun shine warm and gentle on your face.

You answer the call of your gift and find the courage to follow his path.

May the flame of anger free you from falsity.

That the burning heart keep your presence and flaming that anxiety you never round.

May your outer dignity reflects an inner dignity of soul.

You have to wander to celebrate the quiet miracles that seek no attention.

May you be consoled in the secret symmetry of your soul.

That you feel each day as a sacred gift woven around the heart of wonder.

The rain fell softly on your fields …

And until we meet again.

May the gods keep you in the palm of His hand.

What to stir up the mystery of being here and know the silent immensity of your presence.

May you have joy and peace in the temple of your senses.

That you receive great encouragement when new frontiers beckon.

This love transforms light into your dramas, your grief into celebration, and thy weary steps in joyful dance steps renewal.

That never, at any time, you forget the Presence that is in you and in all beings.

May your life be filled with Peace and Light! ♥

28/10/2012 Posted by | Pensamentos, Reflexões | Deixe um comentário

“Cinquenta Tons de Cinza” atrai por mostrar mulher bem tratada e não por sadomasoquismo, diz psicóloga

“Cinquenta Tons de Cinza” atrai por mostrar mulher bem tratada e não por sadomasoquismo, diz psicóloga

Com mais de 40 milhões de exemplares vendidos no mundo todo, o best-seller “Cinquenta Tons de Cinza” da britânica E.L. James virou um fenômeno entre as mulheres. E diante destes números, fica a pergunta: por que um romance que fala do caso de amor entre uma jovem universitária virgem e um empresário milionário e dominador faz tanto sucesso?

Para a psicóloga especialista em terapia e educação sexual, Arlete Gavranic, o livro mostra um conto de fadas moderno que mexe com o imaginário do desejo feminino por um homem poderoso, sensual, bem-sucedido e que convida a mulher a repensar sua sexualidade.

As cenas de sexo detalhadas e intensas levantaram algumas questões sobre a obra. Trata-se de um romance sadomasoquista? Algumas dicas podem ser aplicadas nos relacionamentos para sair da rotina? E podem ser útil aos homens?

Veja o bate-papo do colunista Jairo Bouer e da psicóloga especialista em terapia e educação sexual, Arlete Gavranic, que comentam o sucesso do best-seller “Cinquenta Tons de Cinza”.

http://player.mais.uol.com.br/embed_v2.swf?mediaId=13390941&ver=3

28/10/2012 Posted by | Livros, Saúde, Sexo | Deixe um comentário