PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Necessidades reais

BB 46Saber distinguir o que de fato precisamos para ser felizes, das crenças que nos são impostas pelo mundo exterior, torna-se uma necessidade cada vez mais premente.

Enquanto não estivermos plenamente conscientes disso, seguiremos sendo arrastados pelas falsas carências que nos são impostas diariamente pela sociedade de consumo.

Não por acaso, a compulsão pelas compras é um dos distúrbios psicológicos que encontramos hoje, tanto quanto o vício nas drogas. E isso acontece porque a inconsciência leva um grande número de pessoas a buscar, nos bens materiais, o preenchimento do seu vazio interior.

A frustração profissional, amorosa, financeira ou existencial, é o sentimento que está na raiz desse distúrbio. A questão é que, como dizem os mestres budistas, cada desejo, quando satisfeito, é substituído imediatamente por outro, num círculo sem fim.

A mente é uma criadora de desejos, ela nos leva a acreditar que sempre haverá algo que garantirá a nossa felicidade, seja um objeto, uma pessoa ou uma situação.

Se não conseguirmos despertar em nós a chama da consciência e aprendermos a encontrar em nosso interior o preenchimento de nossas carências, seguiremos escravizados pela obsessão de possuir o que quer que seja.

Resgatar o estado de simplicidade e inocência com que chegamos ao mundo é a única forma de nos libertarmos dessa prisão. Então, a resposta para o que de fato necessitamos virá da fonte original do ser, e não mais da mente ilusória, que nos direciona a criar inúmeros obstáculos para a felicidade.

“O seu sentimento e o seu pensamento tornaram-se duas coisas diferentes e esta é a neurose básica. Aquele seu lado que pensa e aquele seu lado que sente tornaram-se dois e você identifica-se com a parte que pensa e não com a parte que sente.
E sentir é mais real do que pensar; sentir é mais natural do que pensar.

Você nasce com um coração que sente, mas o pensamento é cultivado, ele é-lhe dado pela sociedade. E o seu sentimento tornou-se algo suprimido.
Mesmo quando você diz que sente, você apenas pensa que sente. O sentimento tornou-se morto e isto aconteceu devido a determinadas razões.

Quando uma criança nasce, ela é um ser que sente; ela sente coisas, mas ela ainda não é um ser pensante. Ele é natural, como tudo o que é natural, como uma árvore, um animal. Começamos, entretanto, a moldá-la a cultivá-la. Ela terá de suprimir os seus sentimentos e, se isto não acontecer, estará sempre com dificuldades.

Quando quiser chorar, não poderá fazê-lo, pois os seus pais a censurarão. Será condenada, não será apreciada e nem amada. Não será aceita como é.
Deve comportar-se de acordo com determinada ideologia, determinados ideais. Só, então, será amada.

Do modo como ela é, o amor não se destina a ela. Só pode ser amada, se seguir determinadas regras. Tais regras são impostas, não são naturais.
O ser natural dá lugar a um ser suprimido e aquilo que não é natural, o irreal é-lhe imposto.

Esse “irreal” é a sua mente e chega um momento em que a divisão é tão grande que já não se pode mais ultrapassá-la. Você se esquece completamente do que a sua verdadeira natureza foi ou é.

Você é um falso rosto; o semblante original perdeu-se. E você também receia sentir o original, pois no momento em que o sentir toda a sociedade se voltará contra si.
Você, portanto, coloca-se contra a sua natureza real.

Isto cria uma situação muito neurótica. Você não sabe o que quer; ignora quais são as suas necessidades reais e autênticas, pois somente um coração que sente pode dar-lhe a direção e o significado das suas necessidades reais.

Quando elas são suprimidas, você passa a criar necessidades simbólicas. Por exemplo, você pode começar a comer cada vez mais, enchendo-se de alimento, e nunca sentir que está satisfeito.

Você tem necessidade de amor, não de comida. A comida e o amor, entretanto, estão profundamente relacionados. Quando a necessidade de amor não é sentida, ou é suprimida, uma falsa necessidade de comida é criada.

Você pode continuar comendo; posto que a necessidade é falsa, ela jamais poderá ser preenchida. E vivemos entregues a falsas necessidades.

Por isso não há realizações”.

Osho

Anúncios

30/11/2013 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

Christmas Live at Stirling Castle

E mais um fim de ano começa a chegar.

E com ele vem o espírito de Natal.

Rod Stewart, e convidados, cantam lindas canções, no castelo de Stirling, para nos ajudar a refletir sobre isto.

30/11/2013 Posted by | Songbook | Deixe um comentário

Tratamento ayurvédico: desintoxique o corpo!

mulher-comida-nutricao-ayrvedica“Você gosta mais do tempo quente ou frio?” Sentada na cadeira do consultório, de frente para o médico, me surpreendi com a pergunta. Eu gosto mais do calor, no frio minha sinusite fica pior e os intestinos, mais presos. Então ele me pediu para ficar de pé e colocar a língua para fora. Depois de observá-la atentamente, contou que havia acúmulo de toxinas em meu corpo. Tomou meu pulso por alguns segundos e disse: “Você é Vata-Pitta, ar e fogo são os elementos da natureza que a regem”. Tudo parecia muito interessante.

Bem, é que essa não era uma consulta convencional, mas com um especialista em ayurveda, a tradicional ciência indiana, que tem como observar as características físicas e comportamentais de cada pessoa e levar em conta os hábitos alimentares e do cotidiano para fazer seus diagnósticos.

O local era São Paulo, mas meu médico aprendeu na Índia, há muitos anos, como identificar por meio do pulso a proporção dos doshas – Vata, Pitta ou Kapha, que correspondem aos elementos da natureza que compõem os seres vivos. Vata representa ar e éter (seco, leve e frio: geralmente pessoas com atividade mental acelerada, de cabelo e pele claros e secos). Pitta, fogo e água (quente, oleoso e leve: pessoas ágeis e enérgicas). E Kapha, terra e água (úmido, pesado e frio: pessoas lentas, pele oleosa, estrutura óssea grande). Segundo a tradição indiana, todos temos uma mistura dos três tipos, e normalmente um ou dois em maior proporção. Mas quando estão em desequilíbrio sofremos uma série de desconfortos – é aí que aparecem as doenças.

Meu médico chegou ao diagnóstico depois de me entrevistar e descobrir como é meu estilo de vida, meus gostos, meus hábitos – além de observar meu tipo físico e fazer um exame médico convencional ali mesmo na clínica, com atenção especial para língua, pele, olhos e pulso. Conclusão: estava fora dos eixos.

Como tratamento, me propôs uma limpeza das toxinas, usando um método chamado Panchakarma, ou “cinco ações”, que são: limpeza de toxinas acumuladas na cabeça (vias nasais, boca, olhos e ouvidos) com aplicação de substâncias medicinais como óleos, sucos de plantas e inalação de fumaça; e alguns bem radicais como a indução de vômito; a ingestão de ervas para provocar uma limpeza do trato digestivo; a limpeza dos intestinos com óleos e líquidos; e a purificação do sangue, por meio da retirada de um certo volume – para que um sangue novo seja produzido rapidamente, melhorando o fluxo sanguíneo. “Qualquer uma das cinco ações requer uma cuidadosa etapa preparatória do corpo antes de ser realizada”, diz o médico Luiz Guilherme Correa Neto, especializado em psicanálise, homeopatia e certificado em ayurveda.

O tratamento só pode ser praticado com orientação médica e há casos em que é contraindicado: pessoas acima de 70 anos, mulheres grávidas, crianças, obesos, pessoas com a saúde muito debilitada, entre outros. “É preciso haver um mínimo de saúde e vigor para que o corpo consiga fazer o trabalho”, diz Luiz Guilherme. Pode-se realizar o tratamento completo ou uma parte dele – como foi o meu caso. Fiz apenas a limpeza do sistema digestivo.

Pré-tratamento

Recebi uma lista de orientações para diminuir o nível de toxinas no meu corpo. Segundo o ayurveda, cada pessoa processa melhor alguns tipos de alimento que outros – depende do seu tipo (ou dosha). Eu deveria evitar carnes de qualquer tipo, ovos, alimentos processados e artificiais, refrigerantes, álcool, tabaco, café em excesso e outros estimulantes, farinha e açúcar refinado, adoçantes artificiais, alho, cebola, condimentos fortes e alimentos cozidos em micro-ondas. Em paralelo, tomei chás com ervas medicinais por cinco dias, indicadas para estimular a digestão. Ao longo dos 40 dias de tratamento, foram acrescentadas mais restrições, até que na última semana eu deveria comer somente legumes pouco cozidos e com pouco sal.

Mudança de hábitos

A minha rotina também iria mudar drasticamente: eu deveria acordar meia hora antes de o sol nascer, beber uma xícara de água morna com gotas de limão e mel, fazer o intestino funcionar, escovar os dentes raspando a língua com haste flexível, tomar banho morno lavando a cabeça com água fria, hidratar e aquecer meu corpo com óleo de amêndoas, vestir roupas limpas e confortáveis, fazer uma prática física de baixo impacto, meditar e só então me alimentar da forma orientada.

No meio da manhã comeria uma fruta e tomaria um chá digestivo com gengibre 30 minutos antes do almoço. O horário ideal da refeição era por volta do meio-dia e, se batesse uma fominha, comeria outra fruta durante a tarde. O jantar leve seria às 19 horas, e terminaria o dia com uma caminhada, conversas agradáveis, música suave ou leituras espirituais. Antes de deitar, alguns minutos de meditação, automassagem suave com óleo de gergelim aquecido no topo da cabeça e planta dos pés por 5 minutos. Por fim, tomaria um copo de leite quente com cúrcuma ou gengibre para dormir, no máximo, às 23 horas.

De fora para dentro

Na terceira semana, comecei a receber massagens com óleos. Mas antes fiz o que é chamado de oleação interna: por cinco dias de manhã, em jejum, eu tinha que ingerir uma xícara de café de ghee líquido morno (manteiga purificada) misturado com cinco ervas muito amargas em pó. Essa foi dureza. Depois sim, a oleação externa – e muito mais gostosa: por mais cinco dias, uma seção matinal diária de uma hora e meia de massagens a quatro mãos, com uma quantidade abundante de óleos, realizadas por terapeutas especializados.

Ao fim de cada sessão, vem o shirodhara, outra maravilha: ainda deitada na maca, um óleo espesso e morno era gentilmente derramado em fluxo contínuo sobre minha testa e escorria para a parte de trás da cabeça. A sessão, que pode durar até 40 minutos, deixa a mente totalmente relaxada. No fim, eu bebia uma xícara de chá digestivo e entrava numa sauna onde minha cabeça ficava para fora, para eliminar as toxinas pela pele.

O que fica e o que sai

No pós-tratamento, continuei mais uma semana com a dieta prescrita no início, práticas leves de ioga e meditação. Depois voltei gradualmente à rotina, pois o corpo fica muito sensível, e qualquer toxina leve (como cafeína, açúcar e álcool) pode causar muito mais desequilíbrio que antes. Os benefícios foram muitos: ganho de vigor físico e mental, equilíbrio emocional, melhor qualidade do sono e o principal: a ampliação da consciência do meu corpo.

por Fabiana Rodrigues

30/11/2013 Posted by | Bem Estar | Deixe um comentário

Você é o que você pensa

pensaPositivo saber é onde você vai tomar as medidas e fazer as coisas que lhe trazem para o ponto onde você absolutamente sabe, com certeza absoluta, que você pode atingir seus objetivos e ser o tipo de sucesso que é possível para que você seja.

Quando você chegar ao ponto de saber positivo, não importa o que acontece no mundo lá fora, mesmo se você perder tudo que você adquiriu, você vai fazer tudo de novo, e mais, porque você sabe como fazê-lo em primeiro lugar.

30/11/2013 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Se apaixone

valorizeSe apaixone por alguém que te faça sorrir todos os dias, que te ligue as duas horas da manhã só para dizer que acabou de ver um filme tão triste que não poderia deixar de te ligar para te dizer o quanto te ama, e precisa de você.

Se apaixone por alguém que te leve a praia em um dia nublado onde não há uma alma viva se quer só para ficarem a sós e verem os pássaros migrarem em direção ao sul.

Se apaixone por alguém que te faça rir dos seus próprios erros, que te aceite do jeito que você é, que puxe o seu cabelo e em seguida te dê um beijo apaixonante, alguém que arranja uma briga contigo só para provar que te ama mais. Alguém que se alegre com a sua felicidade ou que fique horas com você no telefone te consolando por algum motivo, e ainda sim te pedindo desculpas por não poder estar ao seu lado naquele momento.

Se apaixone por alguém que goste de estar com você a cada segundo do dia, alguém que não se importe em acordar as cinco horas da manhã para ir trabalhar, pois sabe que passou uma noite maravilhosa ao seu lado e é isso que realmente importa.

28/11/2013 Posted by | Pensamentos | Deixe um comentário

Não é preciso

ASTA0001Não é preciso mostrar beleza ao cego,

nem dizer verdade aos surdos.

Basta não mentir para quem te escuta,

nem decepcionar os olhos de quem te vê.

28/11/2013 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Facebook conquista a terceira idade

Facebook 2De um espaço digital dominado por adolescentes e jovens adultos, as redes sociais começam a receber um número crescente de usuários mais velhos.

Em outubro, segundo levantamento do Facebook, o número de visitantes com mais de 55 anos cresceu 58% em relação a 2012.

É um aumento bem superior ao de outras faixas.

Atualmente, a rede social tem 4,6 milhões de usuários com mais de 55 anos, que representam 7,8% do total.

A facilidade de uso explica por que o Facebook, e os jogos eletrônicos, são as opções preferidas da terceira idade na internet.

28/11/2013 Posted by | Internet | Deixe um comentário

Nossas Solidões

solidãoO amor traz consolo, mas não garante o fim de nossas inquietações.

Quando buscamos nas coisas ou em alguém o fim de nossas precariedades, exigimos que essa pessoa _ coitada!_ seja para nós remédio, remendo e cura. Depositamos nela todas nossas esperanças e passada a euforia inicial, nos frustramos. Cobramos, controlamos, exigimos.

É que a solidão não vai embora.

Ela permanece; e só é camuflada por momentos de absoluta distração de nós mesmos.

Nos distraímos com um amor, um esporte, uma oração, nossos filhos, amigos, trabalho, prazeres. Mas quando acaba o expediente, as luzes se apagam e a música cessa, voltamos a ser só nós.

Nós, e aquilo do que somos feitos: bem e mal, dúvida e fé, prudência e impulsividade, saudade e intolerância, paixão e comodismo, sagrado e profano. Nossas solidões são compostas de nuances, nem sempre íntegras, nem sempre belas; simplesmente composições de nossa essência…

por Fabíola Simões

27/11/2013 Posted by | Pensamentos | 1 Comentário

Os perigos das drogas sexuais

monkeysEm busca de prazer extra na cama? Saiba quais são as drogas que você deveria pensar duas vezes antes de tomar na hora H

Drogas usadas para melhorar o sexo não são um fenômeno novo na nossa cultura. Você ouve a respeito em músicas, assiste nos filmes e alguém sempre aparece para testemunhar como é ter um relacionamento sexual sob o efeito dessas substâncias. Esses encontros podem parecer excitantes, e até surreais a princípio, porém não raro eles acabam causando danos bastante reais à sua saúde.

Manipulando funções cerebrais, as drogas liberam hormônios no seu organismo de uma maneira desregulada. Lembre-se que o corpo sabe tocar muito bem o seu sistema reprodutor e levar qualquer uma das drogas a seguir para debaixo dos lençóis pode desafinar sua vida sexual.

Qualquer pílula sexual natural

Todo mundo quer ser “orgânico” hoje em dia, mas essas pílulas — que garantem ter ingredientes naturais que vão impulsionar sua libido nem sempre cumprem o que prometem. Muitas delas trazem altas doses de substâncias usadas por medicamentos sexuais mais populares no mercado, e que podem causar derrames cerebrais e até morte. O perigo é ainda maior para homens mais velhos que tomam remédio para pressão alta. Os jovens que gostam de tomar um comprimido para dar fôlego extra também correm sérios riscos.

Ecstasy

No geral, a fama desta droga sexual tem origem nos seus efeitos, que tornam o indivíduo supersensitivo. A sensação de cada toque, beijo, ou abraço é incrivelmente ampliada. O que as pessoas não percebem é que não é muito difícil entrar em overdose com ela. O ecstasy te fornece uma quantidade anormal de energia, fazendo com que você exija mais do seu corpo do que ele pode aguentar. Como a droga libera todas as suas endorfinas (hormônios responsáveis pelo prazer) de uma vez só, você não se dá conta de imediato do que ela é capaz de fazer. A substância eleva a sua temperatura corporal e te deixa completamente desidratado, o que eventualmente gera problemas irreversíveis, como a falência dos rins. Sem todas aquelas endorfinas liberadas no seu sistema, sua mente é afetada por longos períodos de depressão.

Cocaína

Cuidado que isso não é talco não! Drogas que alteram a mente não possuem lado positivo, nem mesmo durante o sexo. Apesar de ser amplamente considerada um afrodisíaco, a cocaína na verdade compromete as funções sexuais em usuários crônicos. A “loucura” que você sente quando cheira acontece porque ela bloqueia certas mensagens químicas enviadas pelos neurotransmissores do cérebro. O acúmulo excessivo dessas substâncias é que te deixa ligadão. Isso acelera o seu coração, destrói vasos sanguíneos cerebrais, priva certas parte do corpo de oxigênio e destrói seus pulmões. Vale lembrar que, dopadas, algumas pessoas são mais suscetíveis a riscos durante o sexo do que outras: casos de indivíduos que caem mortos depois de usá-la para transar pela primeira vez não são incomuns.

Heroína

Esta droga altamente viciante é classificada como um opiáceo. Originalmente criada para tratar viciados em morfina, logo a heroína mostrou que também tinha propriedades que causavam dependência. Esta droga melhora o sexo para qualquer usuário. Alguns já descreveram que a sensação é de andar por aí tendo orgasmos perpétuos que começam no centro da barriga. Viciados em heroína começam a se sentir como se precisassem de heroína para ter uma vida normal, inclusive sexo. Como o corpo vai se acostumando com as dosagens, ele exige cada vez mais para recriar o entorpecimento; nesses casos, a overdose é bem comum.

Se usa, ou se pensa usar alguma destas substâncias. Pense bem.

O Custo será maior que o benefício.

27/11/2013 Posted by | Saúde | Deixe um comentário

Dia Nacional de Combate ao Câncer

Hoje é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Câncer.

Pratique Esportes, Não Fume, Use filtro solar, Faça o auto-exame, Alimente-se bem, Cuide-se

27/11/2013 Posted by | Lembranças do Dia | Deixe um comentário