PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

J´arrive à toi

“J’arrive à toi” (Eu venho para você) do album “Little French Songs” com Carla Bruni.

 

 

30/01/2015 Posted by | Songbook | Deixe um comentário

Dia da Saudade

meditacao-vida-simplesPessoas especias deixam mais que saudades e lembranças, pois elas levam mais do que nosso pensamento… Levam uma parte de nosso coração!

30/01/2015 Posted by | Lembranças do Dia | 1 Comentário

A Tristeza ao Seu Favor

lugar interiorPode parecer estranha a afirmação do título; entretanto, quando entendemos que nada existe por um mero acaso e que todas as situações acontecem por um motivo muito individual essa afirmação torna-se muito lógica.
Quando conhecemos alguém, a amizade vai aos poucos florescendo, crescendo e se desenvolvendo. O carinho, a cumplicidade e até mesmo o amor, vão sendo cultivados aos poucos.

Nossos sentimentos puros, como a confiança, por exemplo, demoram a crescer e se tornarem fortes e presentes, constantemente, em nossa personalidade.

Da mesma maneira é a tristeza. Quando ficamos tristes por um determinado evento, seja ele o fim de um relacionamento, a perda de um emprego, a dificuldade financeira, a briga com alguém querido, o jeito de nosso chefe destratar, e até mesmo a perda de um ente querido, nada mais são, do que eventos desencadeadores de uma tristeza que já habitava em nosso interior.

Por mais que a perda de um ente querido nos deixe tristes, essa tristeza deve ser seguida de amor. Oramos pela pessoa que se foi, desejando luz e paz, que sua alma se reencontre com Deus, pois agora deve descansar em paz. É impossível não nos sentirmos tristes, mas não devemos viver tristes.

Quando nos apegamos às lembranças daqueles que já se foram, além de atrapalharmos a evolução e o caminho que nosso ente deve seguir, literalmente, segurando a energia através de nossos pensamentos, pois tudo aquilo que pensamos, atraímos, agimos de maneira egoísta, sem entender que existe a lei do desapego, que nada nos pertence, nem mesmo quem nós amamos.

Parece ser uma verdade dura e fria, porém, se você enxerga assim, só demonstra que ainda não entendeu que o amor e o desapego são os caminhos para a evolução. Quanto mais amamos, mais desejamos o bem e o amor para as pessoas, independente de onde elas estão. Que sigam seus caminhos com paz e luz.

O evento que nos causou a tristeza é apenas um interruptor ligando o sentimento negativo que já havia em nós. Não foi aquele evento que nos entristeceu, mas foi importante esse evento ocorrer, pois ele mostrou a tristeza que há dentro de nós. Da mesma maneira se comporta a raiva, a mágoa, o ressentimento. Quando existem eventos que nos deixam enraivecidos, magoados, ressentidos e tristes, ele apenas ativou aquilo que existe dentro de nós.

No entanto, isso não é algo ruim, mas sim um sinal de que precisamos sublimar essas emoções entendendo a verdadeira origem de cada sentimento negativo.

Enquanto negarmos que temos sentimentos negativos, somos iguais a viciados que dizem que não tem problema com o seu vício. É como você dizer que bebe todos os dias e nunca ficou com dependência da bebida.

O primeiro passo para a cura é reconhecer o problema, por essa razão existem eventos que nos causam tristeza, raiva, mágoa, sentimentos de vingança, inveja, egoísmo, etc. Para nos mostrar que existem sentimentos negativos que devemos sublimar, que devemos entender sua origem, porque todos os sentimentos existem por uma razão e um objetivo.

Entender a história de cada sentimento é o segundo passo para sua cura, para a iluminação interior da mente inconsciente.
Caso hoje você se sinta triste, seja qual for o motivo, entenda que essa tristeza é um alerta para você ver que, por trás desse sentimento, existe uma história, algo mais profundo que faz parte de você.

Negarmos a existência de nossos defeitos é negarmos a possibilidade de evoluirmos, de entendermos os acontecimentos de nossa vida pelo viés do amor e da compaixão. A aceitação de si mesmo se faz urgente para quem busca sua evolução mental e espiritual.

Entenda sua tristeza, não ignore o chamado do seu interior que clama por amor. Entenda sua voz, fique triste, mas que essa tristeza seja rapidamente compreendida para que você possa voltar a viver de uma maneira mais plena e feliz.

Se esse texto incomodou você de qualquer maneira, isso é muito bom, pois você acaba de descobrir um sentimento que deve sublimar, significa que algo dentro de você foi tocado e que está clamando por sua atenção. Saiba que em seu eu interior também há muito amor para sublimar qualquer emoção negativa que tenha sido cultivada.

E, então, você ainda está triste?

28/01/2015 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

Decida-se!

BB 29Como fazer escolhas mais assertivas?

Aceitar uma nova proposta de emprego ou negociar com seu chefe atual uma promoção? Financiar um apartamento ou poupar para comprar o imóvel à vista? Você já se deu conta das inúmeras decisões que precisamos tomar todos os dias? De situações banais, como escolher o que comer no almoço a questões que exigem maior reflexão, como casar ou planejar uma gravidez, somos sempre obrigados a optar por uma dentre inúmeras possibilidades, escolhas que, muitas vezes, nos enchem de dúvidas e angústias. Mas como tomar a melhor decisão?

De acordo com a psicóloga Camila Siqueira, o autoconhecimento é uma das formas de encontrar respostas e, assim, fazer escolhas mais assertivas. “Por meio do autoconhecimento, conquistado a partir de inúmeras experiências impostas pela vida, podemos identificar melhor nossas potencialidades, assim como nossos limites. Com isso, conseguimos entrar em contato com quem somos de fato, o que nos faz sentido e nos traz felicidade”.

Neste contexto, a autoanálise, aquela antiga técnica de listar aspectos positivos e negativos, pode nos auxiliar bastante a tomar uma ou outra decisão. Antes de se fazer uma escolha, é importante ter uma visão geral da situação, avaliar os prós e os contras, bem como as consequências daquela ação. Para isso, é importante pesquisar referências ou pessoas que possam nos auxiliar a traçar um panorama realista e os mais variados cenários.

Experiências passadas também nos dizem muito sobre aquilo que pode ou não nos trazer benefícios. “Elas contribuem para que tomemos decisões certas no futuro, entretanto, é necessário que essas experiências passem por um processo de reflexão e análise, para que de fato a pessoa possa internalizá-las. Reconhecer que nos equivocamos em determinada decisão e, de algum modo, encontrar o motivo real que nos levou a fazer tal escolha equivocada nos ajuda a ficarmos mais atentos a nós mesmos e ao real sentido e benefícios de determinadas decisões”, observa Camila.

Toda escolha envolve renúncia e, mesmo vivendo em uma época onde a liberdade é um direito assegurado, a expectativa do outro e as convenções sociais também podem influenciar na hora de fazer escolhas. “A dificuldade em tomar decisão pode advir desse conflito, entre seguir um caminho autêntico ou seguir o que é preconizado pela sociedade.

O sujeito é um ser consciente, e traz consigo a capacidade de tomar decisões livres e intencionais, isto é, escolhas que no fim, expressam o sentido da sua existência”, conclui.

27/01/2015 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

26 de janeiro de 2015 – 888 Day Código

888Dê uma olhada nisto:

➼ 26 de janeiro é um Universal Dia 8 (2 + 6 = 8).

➼ 2015/01/26 é um 17/8 Universal Data (1 + 2 + 6 + 2 + 0 + 1 + 5 = 17; 1 + 7 = 8)

➼ 2015 é um 8 Universal Ano (2 + 0 + 1 + 5 = 8).

Agora vamos mais fundo neste código místico …

888 tem embutido nele o número 24 (8 + 8 + 8 = 24).

Há 24 horas em um dia – e noite e dia compreendem uma experiência visceral de tempo que está profundamente enraizado na nossa psique humana.

24 é o menor número com exatamente 8 divisores.

O número 24 pode ser dividido em oito números – 1, 2, 3, 4, 6, 8, 12 e 24.

O que significa isso? Não sei.

Mas é muito curioso.

26/01/2015 Posted by | Curiosidades | 1 Comentário

Dinheiro, Saúde e Caráter

como-meditar-meditacaoDinheiro perdido, nada perdido;

Saúde perdida, muito perdido;

Caráter perdido, tudo perdido.

Provérbio Chinês

26/01/2015 Posted by | Provérbios | Deixe um comentário

A Harmonizaçao Interior

lugar interiorComer mais um prato daquela sobremesa maravilhosa, porque não? Ficar até mais tarde assistindo um bom filme ou dormir cedo para acordar sem cansaço no dia seguinte? Gastar aquele dinheiro com um bem de consumo ou poupar visando o futuro?

Se pararmos para pensar, percebemos que possuimos várias vozes em nosso íntimo, sempre nos dizendo o que fazer ou  não. Por vezes, essas vozes internas  que os cientistas comportamentais chamam de “partes” da nossa personalidade podem nos deixar muito confusos e indecisos, sem saber o que fazer. Harmonizar essas “partes” pode ser tarefa nem sempre fácil, mas de grande relevância para nosso perfeito equilíbrio interior.

Um bom exercício é começar escrevendo todos os conflitos mais comuns que você enfrenta no dia- a- dia.

Alguns podem se referir à alimentaçao – sobre se devemos comer mais um pouco ou não –   outros, no consumo – entre comprar ou não comprar aquele bem, outros na sexualidade – sobre se devemos viver ou não certas experiências, e por aí vai.

O importante é, ao anotar, ter exata consciência do que cada uma dessas partes diz a você quando ela defende seu ponto de vista. Por exemplo, quando você vai repetir o prato e uma parte fala que você já comeu demais, que vai engordar ou algo assim, o que a outra diz para tentar te convencer a abrir mão de comer mais um pouquinho?

Quando começamos a identificar a estratégia utilizada por nossa mente para nos levar ao equilíbrio fica mais fácil lidar com nossos conflitos. Indiscutivelmente, apesar dessa indecisão nos levar a um alto nível de confusão, o que realmente nossa mente quer é nosso bem-estar.  É uma luta entre o que nos daria maior prazer e o que achamos que é mais a pensar e conversar com você, como correto ser feito em dada circunstância. Compreender que esta conversa interior visa nossa harmonia interna é muito importante, pois ela é o primeiro passo para as ações que vamos adotar. Depois de identificar este processo, comece conscientemente se o fizesse com outra pessoa, tentando intermediar um “acordo” entre essas partes destoantes. Como é possível ter o prazer de comer mais sem a culpa de engordar? Talvez não comer hoje para aproveitar mais amanhã? Talvez fazer mais exercício para compensar o peso extra ou simplesmente respirar fundo e deixar a ansiedade passar. Seja o que for, em qualquer situação de conflito interno podemos sempre tentar harmonizar nosso interior conversando com nossas “partes”. Sei que esse é um conceito um pouco diferente, mas é fundamental para um perfeito equilíbrio do nosso “Eu”.

Sempre vale a pena lembrar que o segredo do nosso equilíbrio frente a vida que temos sempre passa por dentro de nós, em compreender como funcionamos, como decidimos, como acertamos e como erramos. Vale à pena ir em busca de si.

Vamos tentar?

26/01/2015 Posted by | Atitudes | Deixe um comentário

Aprender a apreciar as coisas da vida redirecionando a sua atenção

sempre certoDigo com toda a certeza que o objetivo mais comum de todos nós é querermos ser felizes. Queremos sentir alegria, bem-estar e realização pessoal. Queremos concretizar os nossos sonhos e com isso ganhar a noção que estamos no caminho que queremos percorrer. Mas o que dizer quando algumas destas coisas ficam comprometidas? Quando a nossa atenção se fixa em todas aquelas coisas que nos retiram energia, que nos mandam abaixo, que nos fazem temer o futuro? Ou quando nos percepcionamos ilusoriamente incapazes? Por vezes, para construirmos a vida que queremos desfrutar livremente a cada momento, exige muito mais trabalho, muito mais autodesenvolvimento do que muitos de nós acreditamos ser necessário. Perante isto, o que pode ser feito?

Libertar-se da preocupação

Se estamos constantemente preocupados com o futuro, como podemos aproveitar o presente? A resposta é que não podemos. Então, como podemos libertar-nos da preocupação? A resposta é simples, mas trabalhosa. Primeiro, para as pessoas que estão a ser afetadas na sua vida pela ansiedade, julgando nem ter grandes motivos para que isso aconteça, ou que enfrentam uma situação que usualmente não causa ansiedade aos outros, podem estar a sofrer de algum transtorno de ansiedade que necessite de ajuda profissional, seja terapia ou medicação, ou ambas. Felizmente, no entanto, este grupo constitui na realidade a minoria das pessoas.

Para a maioria de nós não passamos a maior parte de nossas vidas inundados em preocupação. Ainda assim, importa saber que não estamos imunes a picos de experiências de ansiedade, principalmente quando pensamos sobre determinados aspetos do futuro que podem facilmente obstruir a nossa capacidade de aproveitar o presente. Que impedem de aproveitarmos a vida na sua plenitude.

Parte do problema, é que, para que você possa ficar totalmente imerso no momento presente, tem de abandonar a grande parte dos seus pensamentos, para que apenas experiencie. Para que apenas viva a sua experiência na totalidade no momento presente. Mas a humanidade, evoluiu pensando, e não apenas sobre qualquer coisa, mas especificamente sobre o futuro (ser capaz de pensar no futuro e planejá-lo deu-nos uma enorme vantagem de sobrevivência). Para aprender a gostar de nós mesmos, para progredirmos, para nos tornarmos melhores pessoas, ou sermos promovidos no emprego, nós não podemos parar de pensar completamente e viver apenas no momento presente, temos sim, de pensar no futuro. Mas devemos pensar no futuro apenas quando nos serve fazê-lo, e não quando isso não nos beneficia. Mas como podemos aprender a fazer isso?

A capacidade de dirigir conscientemente a nossa atenção

Os nossos cérebros são máquinas de movimento perpétuo. Nós não conseguimos realmente parar de pensar, mesmo quando estamos totalmente imersos no momento presente. Mas se estamos ou não estamos experimentando fluxo depende se estamos orientando os nossos pensamentos para o nosso interior ou para o experiência naquele momento. (O “eu” que pode escolher entre dirigir a atenção para os nossos pensamentos ou para a nossa experiência, é separado de ambos.) Isto é, nós não podemos realmente impedir-nos de ter pensamentos, mas podemos impedir-nos de prestar atenção a esses mesmos pensamentos no momento que tomamos consciência deles. Principalmente quando esses pensamentos nos perturbam, nos retiram capacidade, nos botam a baixo.

A melhor maneira de parar de prestar atenção aos pensamentos que geram ansiedade, não é à força, tentando resistir-lhes  (os estudos mostram que isso amplia-os). Em vez disso, temos de ser capazes de focar conscientemente a nossa atenção em outra coisa que nos possa mudar o estado incómodo em que nos encontramos. Como? Com outros pensamentos que nos permitam gerar novas sensações e sentimentos. O ideal seria que qualquer atividade que estivéssemos a realizar no presente fosse suficiente para nos distrair dos pensamentos intrusos, mas isso claramente não é o que frequentemente acontece.

Se estamos constantemente a ser distraídos por uma obsessão, por exemplo, com uma situação futura, que nos atrai consistentemente a atenção para longe do momento presente, temos de encontrar um pensamento alternativo que nos distraia para longe dessa obsessão. O pensamento alternativo precisa ser prazeroso e não produtor de ansiedade. E nós não podemos simplesmente ir procurá-lo quando a preocupação obsessiva aparece. Precisamos tê-lo pronto. Necessitamos que essa capacidade de focar intencionalmente a atenção em algo prazeroso ou vantajoso esteja treinada. Isso tem de ser feito até ao ponto em que você consiga focar-se no seu próprio “pensamento funcional”, para que consiga empurrar-se para longe da ruminação obsessiva sobre o futuro, e assim, possa desfrutar o presente.

Por isso, três passos importante têm de ser assegurados por você:

1 – Saber que tipo de pensamentos obsessivos ou perturbadores não são bem-vindos.

2 – Criar antecipadamente pensamentos de substituição (em forma de crenças e/ou diálogos internos que pode dizer para si mesmo, ou até de imagens).

3 – Focar a sua atenção intencionalmente no “pensamento funcional” previamente criado no passo 2, no momento que se sentir perturbado por outro tipo de pensamentos.

Perder e recuperar a atenção

A melhor maneira de treinar a sua atenção, é gastar algum do seu tempo a aprender a reconhecer quando a perde. No momento em que perde a sua atenção relativamente ao que estava a realizar, ou onde ela deveria continuar, você fica com a possibilidade de treinar o redirecionamento da atenção. O treino de colocar a sua atenção onde pretende, efetua-se no processo de perdê-la e recuperá-la. Na verdade funciona como se tivesse a exercitar um músculo num processo de contração extensão. Por cada vez que perde a sua atenção e a consegue recuperar, você está a fortalecê-la como se de um músculos se tratasse. Você está exercitando a atenção.

Desfrutar dos nossos momentos presentes (ter a mente focada na experiência) pode parecer algo que devia acontecer naturalmente e não necessitasse de esforço, mas na verdade muitas vezes é bastante difícil. As pessoas que meditam sabem que a prática do foco no presente pode melhorar a capacidade de fazê-lo, e por isso fazem-no. Apesar de ser útil colocar a nossa mente (atenção) no futuro, devemos treinarmo-nos a fazer isso apenas o tempo suficiente para construir visualmente algo benéfico. Ao ficarmos a ruminar demasiado no futuro, colocando-nos em cenários catastróficos e improváveis de acontecer, isso pode comprometer a nossa capacidade de desfrutar a vida que realmente vivemos.

23/01/2015 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

Elekfantz – Wish

23/01/2015 Posted by | DJ, Songbook | Deixe um comentário

Homens param de escutar parceira após seis minutos, diz pesquisa

rotina no casamentoUma reclamação frequente das mulheres foi comprovada com uma pesquisa. Segundo um estudo encomendado pela Ladbrokes, os homens se distraem facilmente de conversas — a não ser que estejam falando com um amigo do mesmo sexo sobre esportes ou sexo. As informações são do “Daily Mail”.

Em média, os homens se “desligam” de uma conversa com uma parceira em seis minutos. No entanto, se é um amigo que eles estão ouvindo, a atenção pode durar até 15 minutos, se tocar em assuntos como futebol ou vida sexual.

As mulheres, porém, fazem a mesma coisa: elas também seriam ouvintes mais atentas quando estão conversando com outras mulheres ao invés de homens. Durante a conversa com as amigas, o assunto predileto da maioria (55%) é relacionamentos.

Já entre os homens, esportes, filmes e sexo dominam as conversas. De forma nem um pouco surpreendente, a pesquisa também revelou que a pior hora para conseguir a atenção de um homem é enquanto ele está assistindo a algum esporte, trocando de canais na TV ou usando aplicativos no celular.

 

23/01/2015 Posted by | Relacionamento | Deixe um comentário