PrimeLife (Ano V)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Água Gourmet

agua1

Na gastronomia, a água é um elemento essencial para o equilíbrio e a harmonia de um prato. Um bom chef domina o fogo e sabe controlar a água que faz parte da própria composição da carne, do peixe, das frutas, da massa… Se a água é essencial como ingrediente, como bebida também. É a primeira a chegar à mesa e a última a sair.

Todos sabemos que a água não deve ter cheiro ou sabor (ok, existem as artificialmente “saborizadas”), mas ela tem substâncias e propriedades que variam de acordo com a sua marca e/ou origem. Ela vai além do H2O: tem sódio, cloreto, cálcio, magnésio, bicarbonatos, sulfatos… Temos a água tratada, filtrada, de aquíferos, de fontes minerais, de poços artesianos e, assim como o vinho, a água é caracterizada pela sua região, pelo seu solo de origem. Ela pode ser água de chuva e até glacial.

agua2

Tudo isso influencia em suas propriedades. A água pode ser mais ou menos salgada, leve, pesada, naturalmente ou artificialmente gaseificada, além de ter outra série de propriedades e adjetivos. Por isso, a água, em toda sua complexidade, deve se harmonizar aos pratos e vinhos. Se você tem alguma dúvida, alguns dos melhores restaurantes do mundo já disponibilizam uma carta de águas e outros até mesmo um sommelier especializado no solvente universal. No Brasil, a profissão ainda é incerta e extremamente rara, mas todo sommelier de vinhos que se preza precisa ser também um sommelier de água, pois a água mal escolhida pode desarmonizar com o prato e brigar até com o vinho.

Se você é daqueles que só bebe água Perrier, pode estar preocupado em consumir a melhor água, mas talvez precise rever um pouco os seus conceitos. A grande variedade de marcas de “água gourmet” e as possibilidades de harmonizações, equilíbrios e contrastes com pratos e vinhos são muitas. Por isso, saber escolher a água ideal para cada ocasião ajuda muito na experiência gastronômica e certamente vai enriquecer a degustação de vinhos, entradas, pratos principais e sobremesas.

Se você ainda está cético sobre a complexidade e a variedade da água, propomos o desafio: faça uma degustação com água da torneira, filtrada, artificialmente gaseificada, naturalmente gaseificada, mineral sem gás… Vá a um bom mercado e compre algumas garrafas: Perrier, Acqua Panna, San Pellegrino, Pedras, Gota e algumas boas águas brasileiras como São Lourenço, Prata, Pedra Azul… Compre as medianas e ruins também. O importante é comparar. Se tiver dificuldade de achar muita variedade no mercado, busque em importadoras de vinhos, onde poderá encontrar rótulos mais raros.

Depois de degustar, tente, em outra oportunidade, harmonizar com pratos e outras bebidas. Experimente diferentes águas com o mesmo vinho, com massa, com carne vermelha, peixes, com café… Você vai perceber que a Acqua Panna é uma água excelente, muito suave, sem gás, mas que com a gordura e o aroma do café, a Perrier e suas bolhas marcantes na boca harmonizam muito melhor.

Ou deixe isso tudo por conta do sommelier…

16/08/2015 - Posted by | Gastronomia, Vinhos

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: