PrimeLife (Ano V)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Saint-Tropez

Saint TropezNo animado verão de Saint-Tropez os vinhos rosados são consumidos no almoço e no jantar de tarde, de noite e de madrugada, nos iates e nos bares e restaurantes, nas mansões e nas fazendas.

Bebe-se de várias maneiras, e até com pedrinhas de gelo, para aumentar o seu poder refrescante.

O balneário mais badalado do litoral francês até se confunde com o rosé, não só pelo alto consumo local, mas também porque muitos dos melhores vinhos do mundo desta categoria são produzidos nos arredores, em propriedades como o Château de Marres, na Route des Plages, em Ramatuelle; o Château Minuty, e o Château Barbeyrolles, essas duas aos pés do vilarejo de Gassin, a apenas 8 km de Saint-Tropez.

Um rosé de excelência, dentro da denominação Côtes de Provence, deve ser claro e delicado, alegre e jovial, muito aromático e com boa acidez.

À mesa, é um coringa, combinando-se com pratos de peixes e frutos do mar, de uma maneira geral, além de aves de carne branca, saladas, embutidos e queijos não muito maduros, e também funciona muito bem com receitas mais condimentadas da cozinha asiática, seja chinesa, vietnamita ou tailandesa.

Quem sabe até uma moqueca, sem falar nas receitas com alho, como uma boa bouillabaisse com aioli e croutons, prato típico da região, nativo de Marselha.

Os aromas característicos de frutas vermelhas se somam às notas florais, e os perfumes vegetais muitas vezes trazem para o copo a garrigue, a formação vegetal típica das regiões mediterrâneas, especialmente da Provence, marcados pelas ervas como alecrim e tomilho. São feitos com as uvas locais, como Grenache, Mourvèdre, Cinsault e Syrah, entre outras.

Quando não estão nos arredores de Saint-Tropez, a cerca de 15 minutos de carro do seu charmoso centro histórico, essas belas propriedades dedicadas à produção dos melhores vinhos rosés do mundo ficam muito perto, em um dos mais belos e concorridos circuitos turísticos do mundo, como o mítico Domaines Ott, com vinhedos próximos a Bandol (o Château Romassan), Hyères (Clos Mireille) e Draguignan (Château de Selle), todos a menos de 100 quilômetros de distância de Saint-Tropez.

Essas quatro propriedades, parte do time dos sonhos dos rosés da Provence, são importadas para o Brasil pela Premium Drinks (www.premiumdrinks.com.br), que nasceu justamente para explorar este filão, no momento em que o consumidor brasileiro começa a perder o preconceito, ainda existente, em relação aos vinhos rosados.

Também é possível visitar algumas dessas vinícolas, abertas aos turistas, como é o caso do Château Roubine, em Lorgues. Esta é uma outra marca de referência quando o assunto é rosé, também classificada como Cru Classé, assim como o Château Minuty (e o Clos Mireille e o Château de Selle, dos Domaines Ott), que estão entre os 14 a ostentar esta que é a mais alta distinção dos vinhos locais.

17/08/2015 - Posted by | On The Road

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: