PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Pequenos e grandes perdões

Quando amamos alguém de verdade, nosso coração sempre está em descompasso.

Amar demais, amar por dois, amar simplesmente.

No dia a dia desse amor dividido, nas mazelas da rotina e no acomodar-se nos braços desse sentimento, acabam acontecendo situações em que mesmo o mais forte dos amores balança.

Somos todos diferentes: em pensamentos, em costumes, em atitudes, em formas de encarar a vida.

Cada pessoa é um mundo particular e esse mundo único muitas vezes se estranha com o mundo particular de quem se ama.

Mas o amor sempre vence. Sempre.

Na hora em que o coração dói, a saudade aperta e percebemos que não vale a pena sem aquela pessoa ao nosso lado, que não importa o quão diferentes sejamos e que para tudo dá-se um jeito; nessa hora o amor venceu.

O amor venceu quando pequenos e grandes perdões nos fazem continuar amando com a mesma ou até maior intensidade. Pequenos e grandes perdões que pedimos e concedemos todos os dias; como uma troca para alimentar o amor.

Necessários para nutrir e crescer esse sentimento que nos domina e nos faz de bobos mas que é motivo de felicidade, de sonhos e que nos leva nesse descompasso pela vida em busca sempre de mais amor.

31/10/2015 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

To Love Again

“To Love Again” por Chris Botti.

30/10/2015 Posted by | Songbook | Deixe um comentário

Quais são os seus valores ?

Num mundo cada vez mais complicado de se viver, aonde só vale alguma coisa quem pode pagar, aonde vemos a corrupção ganhar força e a impunidade ficar sem limites; precisamos pensar aonde estão nossos valores.

Aonde está a moral, a honestidade, a palavra, o respeito, a colaboração, os bons modos, a responsabilidade, a generosidade?

Perdemos tudo isso nesse mundo insano aonde temos cada vez mais que mostrar que somos melhores que os outros, que temos que provar que o que importa é ter cada vez mais, independente de quem se prejudique com isso.

Diga não! Não se deixe envolver pelo que vem fácil, não seja parte de um mundo sem valores.

É isso que nossos filhos vão herdar? Um mundo insano aonde não se ande de cabeça erguida, não se olhe nos olhos e não se durma em paz?

Resgate seus valores humanos, ensine, compartilhe.

Insista.

São esses valores que vão nos trazer uma vida feliz, de sucesso, de paz interior.

São esses valores que vão resgatar a esperança de um futuro mais digno e é cada um de nós, fazendo nossa pequena parte que somados podemos fazer um mundo melhor.

30/10/2015 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Como cuidar dos cabelos grisalhos

Porque o cabelo fica grisalho?

É a genética que determina quando você começa a ter cabelos brancos – para algumas pessoas pode ser até aos 10 anos. A média é aparecerem aos 35, mas pode ser aos 50 ou nunca. Provavelmente na mesma idade que seus pais e avós. Vale avisar aqui que ter cabelos brancos cedo não quer dizer que você esteja envelhecendo – uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Se o surgimento dos fios brancos não depende da sua vontade, por outro lado, o ritmo com que seus cabelos brancos vão tomando conta da sua cabeça é algo que você pode controlar.

Acredita-se que fumar acelere o ritmo com que o cabelo vai ficando mais grisalho, assim como anemia, má nutrição, insuficiências de vitamina B e doenças na glândula tireóide não tratadas. Situações de estresse extremo, choques ou traumas também podem influenciar – mas fique tranquilo, essa história de que o estresse do dia-a-dia rende fios brancos é em grande parte mito.

O que acontece com o fio branco?

A ausência de cor nos fios tem a ver com mudanças na produção do pigmento chamado melanina (o mesmo pigmento responsável pela cor da pele e o bronzeado, além da cor do cabelo). Em algum ponto do nosso ciclo de vida, as células que estão localizadas na base dos folículos capilares começam a funcionar mais lentamente e, eventualmente, param de produzir pigmento.

O termo para essa morte “programada” da célula é Apoptose. A partir daí, o cabelo continua crescendo, porém sem pigmento. A ordem na qual o homem fica grisalho normalmente é: pelos do nariz, cabeça, barba, pelos do corpo, e por fim as sobrancelhas.

Preciso me livrar dos meus cabelos brancos?

Não. Não mesmo. Acredite, grisalho é o novo preto! Caras como George Clooney, Patrick Dempsey, Richard Gere e Ben Affleck (e também os brasileiros Alexandre Borges , Edson Celulari e Haroldo Wittitz) estão aí pra provar exatamente isso. Só porque você começou a perder o pigmento dos seus fios não quer dizer que você tem que perder seu estilo ou mudar de atitude.

A onda “assuma seu cabelo grisalho”, embalada pelas celebridades mencionadas aqui em cima e outros nomes famosos, parte da seguinte ideia: um grisalho discreto e bem cuidado pode deixar o homem mais distinto e elegante, enquanto fios brancos demais vão dar uma aparência envelhecida. (Entenda como “grisalho discreto” quando os fios brancos são secundários no cabelo, não se sobrepõem à cor original).

Em muitas cidades americanas, principalmente as marcadas por grande concentração de políticos e executivos, há uma demanda de homens sem nenhum fio branco que vão aos salões buscando processos de descoloração que os deixem um pouco grisalhos. Parece mentira, mas não é. Os caras querem ser levados mais a sério, parecer mais responsáveis e dignos de confiança, ou estão de olho naquele cargo gerencial – quem pode culpá-los por isso?

A grande maioria que busca o contrário – colorir a maior parte do cabelo branco, mas ainda assim manter alguns fios grisalhos para um efeito mais natural – já tem a disposição diversos produtos para conseguir esse efeito.

As tinturas de efeito natural

Na Men’s Market, a aposta são as tinturas da marca [3D]Mension  (do tradicional laboratório Schwarkopf), chamadas Grey Blen. Assim como todos produtos [3D]Mension, essas tinturas foram desenvolvidas especialmente para o público masculino.

Estão disponíveis em 6 tonalidades diferentes, dividas entre duas linhas: a de terminação 01 agrupa as tonalidades mais metálicas, que puxam para o cinza e deixam um efeito mais jovem, enquanto a de terminação 12 reúne tons mais próximos do marrom natural.

É um produto prático e de fácil aplicação. Pode ser aplicado por você mesmo, na sua casa, e leva de 5 a 10 minutos, dependendo da quantidade de fios brancos que deseja cobrir.

Como devo cuidar dos meus cabelos brancos?

É bom deixar claro que os fios brancos não são fios doentes ou ruins. Tirando a falta de pigmentação, a princípio eles nascem igual aos outros fios em termos de maciez e textura. Podem parecer mais grossos, já que às vezes bolhas de ar substituem o espaço antes ocupado pelos pigmentos. Acontece que essa mudança de espessura é temporária, porque logo as bolhas de ar somem e o fio volta ao seu diâmetro normal.

Mas sim, os fios brancos precisam de cuidados especiais. Devido aos vazios formados pela ausência de melanina, esses fios têm uma tendência para absorver produtos químicos, minerais encontrados na água e outros tipos de resíduos. O resultado? Um cabelo amarelado, desbotado e sem graça.

Por isso é importante é usar um shampoo de base violeta toda semana, ou mesmo todo dia, de acordo com a indicação do fabricante do produto. Esse tipo de shampoo é usado para remover pigmentos amarelados do cabelo neutralizando-os com o roxo, a cor oposta no disco de cores. Dessa forma o cabelo fica mais brilhante, macio e com aspecto bem-cuidado. Um bom condicionador também é indispensável.

Eu, particularmente, prefiro o Silver Charge da Clinique. É usado como um shampoo durante o banho, tira todo o amarelado que o cabelo branco tende a ter com a ação do sol, e deixa o cabelo limpo, sedoso, maleável, e brilhante.

Arrancar cabelo branco, pode?

Com certeza você já ouviu alguém dizendo que se você arrancar um fio branco dos seus cabelos, outros três (sete?) nascem no lugar. Isso é mito. Mas, mesmo assim, não devemos arrancar cabelo branco: quando um fio é arrancado constantemente de uma certa área, os folículos capilares “entendem” que não é mais necessário produzir cabelo naquela região, ou podem mesmo ser destruídos, levando à calvície.

Novas Descobertas

Pesquisas recentes indicam uma luz no fim do túnel: sim, um tratamento para os cabelos brancos pode estar a caminho. Não estamos mais falando de tinturas ou shampoos que disfarçam e melhoram o aspecto dos cabelos grisalhos – a conversa aqui é sobre um tratamento definitivo, capaz de reverter ou prevenir o aparecimento de fios brancos.

Uma equipe de cientistas europeus teve um momento “Eureka!” enquanto estudavam a doença Vitiligo, que causa machas em pedaços da pele sem pigmento. Eles perceberam que as pessoas doentes tinham baixa atividade de catalase, uma enzima que quebra o peróxido de hidrogênio, resultando em níveis elevados desse peróxido na pele.

Vamos ver o que vem por aí.

30/10/2015 Posted by | Boa Aparência, Cuidados Pessoais | Deixe um comentário

Quem são os “Psicopatas do Cotidiano?”

Você pode estar entre eles.

A psiquiatra carioca Katia Mecler explica, em livro recém-lançado, quem são essas pessoas. Eles podem estar no ambiente de trabalho, no apartamento da frente e até mesmo na família

O ser humano é fascinado por histórias de psicopatas. Os vilões manipuladores que aparecem em manchetes de jornais e protagonizam filmes de terror prendem a atenção com suas atitudes perversas. O que muitos não sabem, contudo, é que além dos casos mais graves, existe um tipo de psicopata que pode até não cometer crimes absurdos, mas que diariamente afeta a vida de quem está ao seu redor.

A psiquiatra carioca Katia Mecler, de 50 anos, discorre sobre esse tipo de personalidade em seu recém-lançado livro Psicopatas do Cotidiano: como reconhecer, como conviver, como se proteger, da editora Casa da Palavra.

A obra trata de pessoas que impingem um sofrimento diário a quem está próximo. Elas podem estar no ambiente de trabalho, no trânsito, no condomínio e dentro da própria família. Disse Katia em entrevista sobre o livro: “Todos nós podemos ser em algum momento da vida perversos, mentirosos e frios. O problema é quando isso se torna frequente — deflagra-se uma patologia”.

Como a senhora define os “psicopatas do cotidiano”, termo que dá nome ao seu livro?

São pessoas que desde a adolescência ou início da vida adulta desenvolveram um transtorno de personalidade e comportamento . Tais problemas têm como característica o excesso de alguns traços comportamentais, como por exemplo mentira, manipulação, egocentrismo, frieza, desconfiança e insegurança.

Ao todo, são 25 traços estabelecidos pelo Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais (DSM-5), elaborado pela Associação Americana de Psiquiatria. A maneira como pensamos, nos comportamos e sentimos naturalmente não é estática. Sempre incluímos em cada ato o que há de bom e de ruim em nós. Qualquer um pode, em algum momento, ser malvado, agressivo, egoísta, arrogante, hostil, manipulador, descontrolado, explosivo… O problema é quando essas características se tornam repetitivas e inflexíveis em vários momentos da vida, chegando ao ponto de causar sofrimento ou perturbação a si mesmo e, sobretudo, aos outros. É aí que surge a patologia.

A senhora poderia dar alguns exemplos de psicopatas do cotidiano?

Eles não são como os psicopatas que vemos em filmes com serial killers e não necessariamente aparecem em manchetes de jornais porque cometeram um crime. Essas pessoas fazem parte da nossa rotina e nem sabemos que elas têm um transtorno. É o chefe que desqualifica o funcionário publicamente, o namorado excessivamente grudento, o parente “esquisitão” que vive enfurnado em casa e evitar contato com outros, o vizinho que está sempre buscando motivos pra criar confusão no condomínio, os pais que frequentemente fazem chantagem emocional com os filhos para que eles tomem atitudes contrárias às suas vontades, os motoristas que perdem a cabeça no trânsito constantemente…

Eles têm consciência de que sofrem de um transtorno?

Em geral, não. Eles podem se sentir diferentes, mas apenas porque acreditam que são superiores. E eles não perdem o juízo da realidade, tampouco seus sintomas aparecem na forma de surtos, com delírios e alucinações, como em casos de esquizofrenia e transtorno bipolar. A pessoa é daquele jeito e age sempre da mesma maneira em determinadas situações.

O que esses psicopatas têm em comum com aqueles que cometem crimes?

Os psicopatas que cometem crimes também têm um transtorno de personalidade, que pertence ao grupo dos antissociais. Mas em um grau ainda mais severo. Eles são frios, oportunistas, impiedosos, manipuladores e mentirosos. É comum utilizarem o outro como trampolim para satisfazer os desejos. Eles carecem de culpa e empatia e não se importam com as regras, convenções nem com o restante da humanidade. Muito se fala sobre esses “vilões”, mas poucos lembram que podemos conviver diariamente com o que chamo de “psicopatas do cotidiano”.

Já se nasce psicopata?

Não, ninguém nasce com personalidade definida. Ela é uma combinação entre temperamento e caráter. O temperamento é herdado geneticamente e regulado biologicamente. Já o caráter está ligado à relação que existe entre o temperamento e tudo o que vivenciamos e aprendemos com o mundo exterior, o ambiente. Nascemos com as sementes do bem e do mal, mas como elas vão germinar, crescer e dar frutos depende de uma série de fatores que irrigarão a nossa vida, como a educação que recebemos, frustrações que vivenciamos e traumas severos. É possível notar o temperamento de uma criança, mas somente depois que ele for combinado ao caráter que será formado. É isso que, no futuro, forma um psicopata.

Quem sofre mais?

O próprio psicopata do cotidiano ou as pessoas que eles fazem sofrer? A maioria dos psicopatas do cotidiano não percebe o constrangimento, o mal-estar e o sofrimento que espalham ao seu redor. Então, em tese, pode-se dizer que as pessoas ao redor do psicopata do cotidiano sofrem mais do que ele. Porém, é preciso destacar que alguns traços patológicos de personalidade também acarretam muito sofrimento ao indivíduo.

Eles conseguem amar?

Se houver amor, será por si próprio. Os psicopatas tendem a ser narcisistas, eles só reconhecem qualidades em si mesmos e acreditam que são pessoas muito especiais. É claro que não há nada errado em ter autoconfiança e boa autoestima, dois elementos que, quando equilibrados, trazem sociabilidade e segurança. O problema é que pessoas com traços de egocentrismo e grandiosidade levam essas características ao extremo e acreditem que suas contribuições são muito mais valiosas do que na realidade.

Há algum tratamento recomendado?  

Em geral, os psicopatas do cotidiano não se responsabilizam pelos próprios atos. Eles estão sempre culpando os outros e costumam injetar sentimentos de culpa no outro. Acham que o problema está fora, que o mundo os atrapalha. Para eles, quando algo não vai bem em suas vidas, o problema é dos que os cercam. Em relação ao tratamento, o mais utilizado é a psicoterapia cognitiva, técnica que leva o indivíduo a reconhecer o que ele faz e como suas atitudes inflexíveis causam prejuízos aos outros.

30/10/2015 Posted by | Artigos, Comportamento | Deixe um comentário

Mulheres cultas tendem a beber mais álcool

Universitárias consomem mais bebidas alcoólicas do que mulheres com menor grau de instrução, sugere uma nova pesquisa da London School of Economics, realizada na Grã-Bretanha. De acordo com o estudo, as mulheres cultas também são mais propensas a admitirem problemas envolvendo o abuso do álcool.

Uma relação semelhante entre o grau de escolaridade e o consumo de bebidas alcoólicas também foi identificada entre os homens, entretanto ela é bem menos influente do que o que ocorre com o público feminino.

Os pesquisadores acompanharam milhares de pessoas, de ambos os sexos, nascidos em uma mesma semana de 1970, na Grã-Bretanha. O relatório concluiu que quanto mais culta for uma mulher, maior as chances dela beber semanalmente. Os estudos afirmaram, ainda, que quanto maior o grau de instrução escolar, maior a tendência de um profissional do sexo feminino admitir problemas de dependência com relação ao álcool.

Os testes foram feitos anos antes dos voluntários chegarem à vida adulta, enquanto ainda estavam na fase escolar. As adolescentes que registraram notas mais altas no colégio, de acordo com a pesquisa, mostraram ter até 2,1 mais chances de beber no dia a dia do que alunas de desempenho inferior.

Explicações: Francesca Borgonovi e Maria Huerta, responsáveis pelo estudo, disseram que há uma série de explicações para a relação entre os estudos e a bebida. Elas afirmaram que as mulheres de maior grau de escolaridade tendem a ter filhos mais tarde, o que posterga a responsabilidade da maternidade. Essas mulheres, afirmam as especialistas, têm uma vida social agitada e seu ambiente de trabalho é dominado por homens, cuja cultura do happy hour já faz parte da rotina.

Essas profissionais geralmente cresceram em uma família classe média e testemunharam seus pais beberem ao longo da infância, completaram Borgonovi e Huerta.

Segundo a pesquisa, mulheres com qualificações educacionais mais elevadas são 71% mais propensas a beber durante a semana do que o público feminino que não tem acesso ao ensino superior ou a carreira acadêmica. O estudo mostra que mulheres cultas têm um estilo de vida diferente, que as expõem ao consumo de álcool.

As conclusões da pesquisa realizada pela London School of Economics foi publicada na revista especializada Social Science and Medicine.

30/10/2015 Posted by | Saúde | Deixe um comentário

Perfect Moment

“Perfect Moment” por Peter White.

29/10/2015 Posted by | Songbook | Deixe um comentário

A chama que não se apaga.

Chega um certo período na vida em que, depois de ver tantas coisas, de conhecer tantas histórias, de sofrer tantas decepções, tantas desilusões, de ver tantas injustiças e sofrê-las também, passamos a não acreditar mais no ser humano.

Como acreditar em um Homem que está preocupado em passar por cima de qualquer coisa para alcançar seus objetivos? Um Homem que mata seus semelhantes cruelmente, que não respeita a natureza nem os animais, que não ama sua família, que procura a satisfação mesmo que isso cause o mal de alguém.

Esse tal Homem que habita nosso planeta e o destrói diariamente. Com lixo, com violência física e verbal, com armas químicas, com poluição desenfreada, com guerras, com políticas que só favorecem as grandes potências mundiais e se esquece completamente dos países assolados pela miséria e pela fome.

Vivendo neste mundo acabamos com esse sentimento de vazio, de frustração em relação à tudo, em relação aos nossos semelhantes.

Mas existe uma esperança de tempos melhores.

Esta esperança é uma pequena chama que habita cada um de nós. Ela nasceu quando tínhamos a inocência de acreditar no próximo, num olhar sincero, num choro comovido, num sorriso espontâneo, num abraço apertado.

Esta esperança existe para quem não deixa essa chama se apagar,  ainda acredita e faz acontecer.

Depende de nós, cultivar essa chama e passá-la adiante.

Fazer algo para mudar a história, a nossa história e com isso mudar a história da humanidade.

Se cada um, passar adiante coisas boas, exemplos de tolerância, de boa convivência, de paz, de respeito ao próximo, de honestidade e combater tantas coisas ruins que o Homem inventou, podemos mudar as próximas gerações e podemos sonhar com um mundo de mais justiça e igualdade.

29/10/2015 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Mais

Acho que é isso que falta em nossas vidas:

Mais palavras bonitas e menos cara feia,

Mais olhares sinceros e menos grosseria,

Mais sorrisos cúmplices e menos palavras duras,

Mais educação e menos pressa,

Mais respeito e menos julgamento,

Mais humanidade e menos falta de respeito,

Mais doação e menos egoísmo, e

Mais mãos dadas e menos individualidade.

29/10/2015 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Sou

Sou um pouco de todos que conheci, um pouco dos lugares que fui, um pouco das saudades que deixei, e sou muito das coisas que gostei.

Saint-Exupéry

29/10/2015 Posted by | Pensamentos, Reflexões | Deixe um comentário