PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Feliz Ano Novo

No próximo ano:

Ame tudo o que você faz e faça com amor!

Siga suas paixões!

Escute seu coração!

Crie sua realidade!

Conheça suas habilidades!

Confie em você e na sua intuição!

Faça seus dias felizes!!

Feliz Ano Novo!!!!!

2017/2018

Anúncios

31/12/2017 Posted by | Mensagens | Deixe um comentário

Desejos de Natal e Ano Novo

Festeje o ano que está acabando não apenas como dias que passaram, e sim como mais um trecho percorrido na estrada da sua vida.

Festeje a alegria que lhe extasiou, e a dor que lhe fez crescer!

Festeje pelo bem que foi capaz de fazer, e pelo mal que foi capaz de superar.

Abra os braços e o coração para receber os sonhos e expectativas do ano novo.

Jogue fora o medo, sinta a vida.

Sonhe, busque, espere …, ame.

Deixe sua alma voar alto

Mentalize seus desejos mais íntimos e acredite: eles chegarão ao céu.

Irão se misturar as estrelas, irão penetrar no Universo e voltarão cheios de energia para tornarem-se reais.

Basta você querer, ter fé e nunca, nunca desistir deles.

Acredite nos seus sonhos …

Feliz Natal, Feliz Ano Novo

– Haroldo Wittitz

2017/2018

Christmas and New Year Wishes

Celebrate the year that is ending not only as the days passed, but as a further distance covered on the road of your life.

Celebrate the joy that enraptured him, and the pain that made him grow!

Celebrate the good that was able to do, and the evil he was able to overcome.

Open arms and hearts to receive the dreams and expectations of the new year.

Throw away the fear, feel the life

Dream on, look, wait …, love

Let your soul soar

Look your innermost desires and believe: they will reach the sky

Will blur the stars, will penetrate the Universe and back full of energy to become real.

Just want you to have faith and never, never give up on them

Believe in your dreams …

Merry Christmas, Happy New Year

23/12/2017 Posted by | Mensagens | Deixe um comentário

O silêncio e a tolerância

Pensar antes de reagir é uma das ferramentas mais nobres do ser humano nas relações interpessoais.

Nos primeiros trinta segundos de tensão, cometemos os maiores erros de nossas vidas, falamos palavras e temos gestos diante das pessoas que amamos que jamais deveríamos expressar.

Nesse rápido intervalo de tempo, somos controlados pelas zonas de conflitos, impedindo o acesso de informações que nos subsidiariam a serenidade, a coerência intelectual, o raciocínio crítico.

Um médico pode ser muito paciente com as queixas de seus pacientes, mas muitíssimo impaciente com as reclamações de seus filhos.

Pensa antes de reagir diante de estranhos, mas não diante de quem ama.

Não sabe fazer a oração dos sábios, nos focos de tensão, o silêncio.

Se vivermos debaixo da ditadura da resposta, da necessidade compulsiva de reagir quando pressionados, cometeremos erros, alguns muito graves.

Só o silêncio preserva a sabedoria quando somos ameaçados, criticados, injustiçados.

Cada vez as pessoas estão perdendo o prazer de silenciar, de se interiorizar, refletir, meditar.

O dito popular de contar até dez antes de reagir é imaturo, não funciona.

O silêncio não é se aguentar para não explodir, o silêncio é o respeito pela própria inteligência.

Quem faz a oração dos sábios não é escravo do binômio do bateu-levou.

Quem bate no peito e diz que não leva desaforo para casa, não pensa nas consequências de seus atos.

Quem se orgulha de vomitar para fora tudo que pensa, machuca quem mais deveria ser amado, não conhece a linguagem do auto controle.

Decepções fazem parte do cardápio das melhores relações.

Nesse cardápio precisamos do tempero do silêncio para preparar o molho da tolerância.

Para conviver com máquinas não precisamos de silêncio nem da tolerância, mas com seres humanos elas são fundamentais.

Ambos são frutos nobres da arte de pensar antes de reagir. Preserva a saúde psíquica, a consciência, a tranquilidade.

O silêncio e a tolerância são o vinho dos fortes, a reação impulsiva é a embriaguez dos fracos.

O silêncio e a tolerância são as armas de quem pensa, a reação instintiva é a arma de quem não pensa.

É muito melhor ser lento no pensar do que rápido em machucar, é preferível conviver com uma pessoa simples, sem cultura acadêmica, mas tolerante, do que com um ser humano de ilibada cultura saturada de radicalismo, egocentrismo, estrelismo.

Sabedoria e tolerância não se aprendem nos bancos de uma escola, mas no traçado da existência.

Ninguém é digno de maturidade se não usar suas incoerências para produzi-la.

Todo ser humano passa por turbulências na vida. Para alguns falta o pão na mesa; a outros a alegria na alma. Uns lutam para sobreviver, outros são ricos e abastados, mas mendigam o pão da tranquilidade e da felicidade.

Os milionários quiseram comprar a felicidade com seu dinheiro, os políticos quiseram conquistá-la com seu poder, as celebridades quiseram seduzi-la com sua fama, mas ela não se deixou achar.

Balbuciando aos ouvidos de todos, disse: “…Eu me escondo nas coisas simples e anônimas…”.

Todos fecham os seus olhos quando morrem, mas nem todos enxergam quando estão vivos.

13/12/2017 Posted by | Comportamento, Desenvolvimento Pessoal, Reflexões | Deixe um comentário

Frases inteligentes que vão mudar seu modo de pensar

Muitas vezes procuramos entender os dilemas da vida e achar respostas para questões que parecem impossíveis. Outras vezes, gostaríamos apenas de encontrar a frase ideal para descrevermos uma situação, um sentimento ou um acontecimento. Felizmente, podemos olhar para trás e aprender um pouco com filósofos, escritores e sábios, desde a Grécia Antiga até os tempos modernos. Os filósofos Kierkegaard e Nietzsche nos ensinam a enxergar a vida de outro ângulo. O escritor romano Sêneca nos resume, em sábios versos simples, abordagens práticas sobre vários aspectos da vida cotidiana.

Aquilo que somos contribui muito mais para a felicidade do que aquilo que temos ou representamos.

(Schopenhauer, Aforismos para a sabedoria de vida)

A vida é divida em três períodos: o passado, o presente e o futuro. Destes, o presente é breve, o futuro, duvidoso, e o passado, imutável.

(Sêneca, De brevitate vitae)

Poucas coisas são impossíveis para a persistência e para a habilidade.

(Samuel Johnson, The Works of Samuel Johnson).

Coragem é a resistência ao medo, domínio do medo, e não a ausência do medo.

(Mark Twain, Pudd’nhead Wilson, 1923)

É fácil viver no mundo conforme a opinião das pessoas. É fácil, na solidão, viver do jeito que se quer. Mas o grande homem é aquele que, no meio da multidão, mantém com perfeita doçura a independência da solidão.

(Ralph Waldo Emerson, Self-Reliance, 1808)

Na Escola Bélica da Vida — O que não me faz morrer me torna mais forte.

(Friedrich Nietzsche, O Crepúsculo dos Ídolos)

Age de modo que consideres a humanidade tanto na tua pessoa quanto na de qualquer outro, e sempre como objetivo, nunca como simples meio.

(Immanuel Kant, Kritik der praktischen Vernunft‎)

A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes.

(Adam Smith, Uma Investigação Sobre a Natureza e a Causa da Riqueza das Nações)

A beleza não é uma qualidade inerente às coisas. Ela existe apenas na mente de quem as contempla.

(David Hume, Essays and treatises on several subjects)

Quando o coração pode falar, não há necessidade de preparar o discurso.

(Gotthold Lessing, Mina von Barnhelm)

Quem quer algo de grande, como diz Goethe, deve saber limitar-se. Quem, pelo contrário, tudo quer, nada, em verdade, quer e nada consegue.

(Hegel, Enciclopédia das Ciências Filosóficas)

 A maioria dos homens persegue o prazer com tanta impetuosidade que passa por ele sem vê-lo.

(Soren Kierkegaard, Parables of Kierkegaard)

A medicina cura as doenças do corpo. A sabedoria liberta a alma das paixões.

(Demócrito, tr. Freeman)

A esperança nos dá asas mas não nos ensina a voar.

(Leonid Sukhorukov, The Human-Aphorism)

Não detesto as opiniões contrárias as minhas. Estou muito distante de me assustar ao ver discordâncias entre meus julgamentos e os dos outros e não me torna incompatível com a sociedade por terem outra opinião e partido que não o meu.

(Michel de Montaigne, Ensaios, livro 2)

Como diz o adágio: “Uma boa frase é como um diamante na mão de um sábio e como um cascalho na mão de um tolo.“.

28/11/2017 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Far Away

Far Away na performance de Nickelback.

04/11/2017 Posted by | Songbook | Deixe um comentário

A última lição de Chico Anysio

“O antidepressivo arrumou a minha vida. Temos de colocar esses remédios ao alcance dos pobres”, disse meu tio, que sofreu de depressão por anos

A última entrevista de Chico Anysio, foi feita em sua casa e não foi para nenhum jornal, rádio ou TV. Com cerca de 40 minutos de duração, foi concedida ao psiquiatra Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Chico havia sido convidado para ser padrinho da campanha “A sociedade contra o preconceito”, da ABP, lançada no Congresso Brasileiro de Psiquiatria, ano passado. Devido ao seu estado de saúde e com medo de não comparecer ao evento, fez questão de deixar algumas palavras aos médicos na abertura do congresso, onde seu depoimento foi exibido.

Como sua fala é de grande valia, divido com os leitores algumas de suas últimas palavras. Paciente orgulhoso do psiquiatra Marcos Gebara por quase 25 anos, fez questão de explicitar a importância do tratamento psiquiátrico na sua vida. “Sem os remédios da psiquiatria, eu não teria feito 20% do que fiz.”

O grande Chico Anysio, que divertiu a vida de gerações de brasileiros, sofreu de depressão por anos a fio.

“Depressão é um quadro que só se controla com remédio. O antidepressivo acertou a minha vida. A psiquiatria é fundamental como o ar que eu respiro.” A depressão era “um demônio, um gás letal, ela entra e a pessoa não sente que está deprimida. Os outros é que descobrem”.

Chico definiu como “criminoso” o preconceito contra as doenças mentais, traduzido pela palavra psicofobia. “Achar que ir ao psiquiatra ainda é coisa de maluco é retrato do preconceito. Depressão é uma coisa, maluquice é outra”, comparou.

Chico se revoltou com o descaso com que governos e autoridades lidam com os transtornos mentais e o fornecimento de medicamentos.

“Se é possível ajudar e curar pessoas e isso não é feito, é crime. O governo tem esse dever. Não é favor colocar os remédios psiquiátricos ao alcance dos pobres, é obrigação. É dever do governo. Remédios psiquiátricos precisam ser gratuitos para quem precisa, assim como já acontece com os soropositivos”, propôs.

Ele afirmava que seu grande mal não era a depressão, mas o cigarro. “Meu pulmão foi meu grande adversário. O grande criminoso da minha vida foi o cigarro. Eu venci a depressão porque pude pagar remédios e psiquiatra. A depressão é vencível, é controlável. É só ir ao psiquiatra e tomar os remédios. O cigarro não.”

Ele era categórico em afirmar que seu único arrependimento em quase 80 anos de vida era o vício no cigarro. “Sou do tempo em que fumar era coisa de macho. Cary Grant fumava, Humphrey Bogart fumava… Conseguir que uma pessoa pare de fumar significa que ela volte a viver”, afirmou emocionado.

Ele foi capaz de um feito raro: parar de fumar sozinho. Mas, infelizmente, já era tarde demais. Os danos ao pulmão e coração eram de tal ordem que muito pouco poderia ser revertido. Antes de falecer, Chico andava com a ideia de criar uma fundação com seu nome para apoiar os estudos de combate ao tabagismo. Infelizmente, não teve tempo.

Ele tinha a dimensão do poder que suas palavras poderiam ter para as vítimas de depressão e tabagismo.

“O humor só existe em países com problemas. Não existe humorista sueco ou finlandês. Do problema nasce o humor. Como humorista, não tenho nenhum poder de consertar uma coisa, mas tenho o dever de denunciá-la. É o que estou fazendo aqui: denunciando a falta de socorro aos doentes mentais no Brasil”.

Que o seu contundente relato alcance aqueles que ainda fumam ou questionam os danos que os transtornos mentais não tratados podem causar na vida de quem os sofre, seus familiares e amigos. Se Chico conseguiu diminuir a tristeza de milhões de brasileiros com o sorriso, que ele possa agora diminuir o preconceito contra as doenças psiquiátricas por meio de suas palavras.

ANALICE GIGLIOTTI, mestre em psiquiatria pela Unifesp, é medica e sobrinha de Chico Anysio

26/09/2017 Posted by | Artigos, Saúde | Deixe um comentário

Paciência

Não, Não somos obrigados a aguentar tudo.

Paciência tem limites e a vida é para ser vivida, não suportada.

18/09/2017 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Mindfulness

As grandes mudanças vêm precedidas de pequenas sacudidas, de tímidas variações diárias que têm o poder de mudar a nossa vida na direção correta. O Mindfulness pode nos ajudar a conseguir isso, e essas cinco chaves nos permitirão aprender a ser mais conscientes do momento presente para realizar mudanças reais em pouco tempo.

Todos sabemos que quando falamos de felicidade, não existem milagres. O que existe é a força de vontade e a mente aberta que dia após dia e pouco a pouco vai sendo mais perceptiva a tudo o que acontece ao seu redor para intuir oportunidades. Para cruzar a porta certa no momento certo.

Um dos maiores inimigos que nos separa destes limiares de oportunidade é sem dúvida a “mente errante”. Tanto é que, segundo nos revelam vários estudos, nós passamos cerca de 30 a 40% do nosso tempo na posição de “piloto automático”.

Viver uma vida rotineira onde nos transformamos em meros passageiros em vez de comandantes é como deixar a nossa própria felicidade nas mãos do destino.

Isso não é o mais adequado. Por isso, propomos que você faça algumas mudanças. Te convidamos a incluir no seu dia a dia essas cinco chaves para ver resultados diretos em 15 dias.

  1. Seja receptivo às suas emoções, o melhor momento para lidar com elas é AGORA

O Mindfulness é, acima de tudo, uma filosofia de vida; uma ferramenta para desenvolver uma consciência mais plena com o nosso momento presente e o que acontece nele.

  • Nada disso teria sentido se não prestássemos atenção nas nossas emoções. Aspectos como a decepção, o nojo, a contradição ou a raiva não podem ser colocadas dentro de uma pasta do disco rígido do nosso cérebro.
  • Nós devemos geri-las, entender essas emoções, tomar o controle desse mundo interior sem adiar.
  1. O Mindfulness ensina a parar de julgar

Aprenda a viver sua própria realidade sem julgar. Os outros têm todo o direito de fazer, entender e viver sua vida como desejam.

  • A sua vida é sua, seja responsável por ela e evite fazer julgamentos sobre os universos alheios ao seu. Algo tão simples permitirá que você disponha de um estado de calma e equilíbrio adequado a partir de hoje.
  1. Seja receptivo, escute, aprenda a estar presente

Faça isso, apague neste exato momento o som incessante e repetitivo dos seus pensamentos.

  • Agora abra os olhos, mas não só para olhar: “veja” com maior calma tudo aquilo que o rodeia.
  • Diminua o ritmo da sua vida, pare e respire.
  • Agora, aprenda a escutar. Você tem “ouvido” sons durante muito tempo, mas é hora de sentir, de ver e ouvir com o coração, com o centro da sua mente.

“Em um coração livre de tensões, o amor flui em todas as direções.”-Maharishi-

Da mesma forma, outra ferramenta excepcional para aprender a estar mais presente é gerir melhor o nosso tempo. Se você deseja ter uma vida mais plena, é necessário aprender a aplicar filtros mentais adequados e a concentrar todas as suas energias e recursos pessoais nesse propósito de vida que tem em mente.

  1. Deixe de lado o “EU TENHO QUE SER” para praticar o “EU SOU”

Nós passamos grande parte da nossa vida sendo o que os outros esperam de nós. Nos esforçamos para agradar, para ser o que os outros querem… Tudo isso é fonte de sofrimento desnecessário que nos leva a uma dura infelicidade.

  • Faça mudanças. Substitua o “eu tenho que ser” pelo “eu sou”.
  • A meditação pode ser uma grande aliada para lembrar-nos de quem somos e entrarmos em contato com o nosso verdadeiro eu no momento presente.

Não podemos nos esquecer de que a ferramenta essencial do Mindfulness é, sem dúvidas, a meditação.

  1. Pratique a aceitação

Praticar a aceitação no nosso dia a dia não significa nos rendermos diante de tudo aquilo que acontece ao nosso redor.

  • Significa, em primeiro lugar, aceitarmos a nós mesmos e as nossas emoções presentes.
  • A aceitação também nos permite entender realidades alheias às nossas e a respeitá-las.
  • Da mesma forma, saber aceitar é falar o idioma do coração onde se conjugam a tolerância e a compreensão. Só assim seremos capazes de iniciar mudanças, de abrir as portas em direção ao nosso bem-estar interior.

Para concluir, estas cinco chaves são como janelas que espreitamos todos os dias para ver e entender a vida de outro modo.

O Mindfulness é o melhor marco para nos aproximarmos de uma felicidade mais plena e mais autêntica.

Não hesite em aproveitar suas ferramentas, em permitir-se ser guiado por especialistas da área.

A formação é sempre o modo mais simples e prático de conseguir resultados diretos em pouco tempo.

16/09/2017 Posted by | Autoconhecimento, Comportamento, Psicologia | Deixe um comentário

Aprendi

Aprendi que eu não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto.

06/09/2017 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Evidências

Evidências” de Paulo Sérgio Valle e José Augusto na performance de Ana Carolina.

02/09/2017 Posted by | Songbook | Deixe um comentário