PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Dia Nacional do Homem

No dia 15 de julho próximo passado, comemorou-se o Dia Nacional do Homem.

Esta data foi inspirada no Dia Internacional do Homem (19/11), e tem o objetivo de conscientizar a população masculina sobre os cuidados que devem tomar com a sua saúde, e seu comportamento.

No Brasil, o Dia do Homem foi criado por iniciativa da Ordem Nacional dos Escritores, e é celebrado no país desde 1992.

Nós sabemos que não existe um “homem perfeito”, mas buscar o auto aperfeiçoamento pode tornar a sua vida mais realizada.

Para ser um homem melhor, você pode ter de fazer algumas mudanças no seu modo de pensar, agir e interagir com as outras pessoas.

Abaixo relacionamos alguns pontos para reflexão:

SEJA FIEL AOS SEUS VALORES

Faça um esforço consciente para definir quais são os seus principais valores, aqueles princípios que permanecem sinceros e inalterados, e aja de acordo com eles, independente de quaisquer inconveniências que possam surgir no caminho.

  • Ter uma base moral fortalecida fará com que você possa ser fiel a si mesmo com mais facilidade, mesmo quando a vida ficar difícil. De tempos em tempos, comprometer-se aos seus valores pode exigir coragem, mas o esforço valerá a pena.

TREINE-SE PARA SER REALISTICAMENTE POSITIVO

Ser idealista ao extremo pode evitar que você lide bem com a realidade da vida, enquanto ser otimista permitirá que você reconheça essa realidade e espere por um resultado melhor.

  • Desafie os pensamentos negativos. Em vez de presumir que as coisas darão errado, tenha ciência dessa possibilidade, mas pense no que você precisa fazer para evitar falhas. Vá atrás dos seus objetivos. Pense com antecedência e faça planos para o futuro. Pergunte a si mesmo o que você quer conquistar e, com base nisso, estabeleça os objetivos adequados. Quando você os tiver em mente, concentre-se em torná-los realidade.
  • De certa forma, precisamos mesmo viver o momento e aproveitar a vida pelo que ela é. Não deixe que as graças da sua vida desapareçam por estar concentrado demais no futuro para prestar atenção no presente.
  • Por outro lado, se você não conseguir estabelecer esses objetivos para si mesmo, pode ficar facilmente estagnado, o que pode fazer com que a vida pareça menos realizada do que realmente é.

MANTENHA-SE FIRME SOB QUALQUER PRESSÃO

O estresse é inevitável. No entanto, quando você se encontrar em uma situação que o deixe irritado ou ansioso, treine-se para manter a calma e controlar essas emoções em vez de deixá-las soltas.

  • Em vez de ter uma reação impensada e instintiva, acalme-se e pense de modo racional. Reaja de acordo com a razão, não com a emoção.
  • É claro que isso não significa que você não possa sentir emoções. Pelo contrário: aceitar o fato de que você as tem pode ser difícil para alguns homens; no entanto, quanto mais cedo você fizer isso, mais fácil será controlá-las em vez de deixar que elas controlem você.

RESPONSABILIZE-SE PELO SEU PRÓPRIO COMPORTAMENTO

Quando as coisas derem errado e a culpa for das suas atitudes, aceite a responsabilidade e siga em frente. Do mesmo modo, quando as coisas derem certo por causa de algo que você fez, aceite o crédito merecido..

  • Não culpe os outros pelos seus fracassos e não se concentre nos comportamentos negativos demonstrados pelas pessoas quando estiver avaliando o que deu errado em determinada situação. Você não controla o que os outros fazem a você; só é possível controlar as próprias atitudes. Assim, faz sentido que você se concentre nelas quando for avaliar o passado e seguir em frente.

AGUCE A MENTE

Busque o conhecimento ativamente e mantenha o cérebro nas melhores condições possíveis.

Ler é uma ótima maneira de fazer isso, mas você também pode manter as habilidades mentais aguçadas resolvendo quebra-cabeças ou encarando novos desafios.

DEIXE A MENTE DESCANSAR

Embora seja importante aguçá-la, é fácil exagerar se você não der a si mesmo uma chance de se afastar do mundo e relaxar de vez em quando.

  • Passar tempo com os seus amigos pode ser uma parte importante desse processo de relaxamento, mas você também deve reservar um tempo para ficar só. Quando isso acontecer, desconecte-se ao máximo do mundo. Desligue o computador e o celular. Passe um tempo isolado e dê a si mesmo a chance de se recarregar.

CUIDE DO CORPO

Lembre-se sempre dos três pilares de uma vida saudável: uma dieta de qualidade, exercícios regulares e horas suficientes de sono.

  • Você não precisa viver à base de saladas e shakes de proteínas para ter uma dieta saudável. Pelo contrário: as melhores dietas são as mais equilibradas. No entanto, você pode ter de resistir à tentação de ingerir “alimentos inadequados” com frequência. O ser humano não consegue viver só de bacon e barras de chocolate.
  • Tente se exercitar pelas manhãs, assim que acordar. Você pode ir à academia, caso isso seja de seu interesse. Se não, pode ainda fazer leves caminhadas ou ficar animado com alguns polichinelos.

MANTENHA UMA APARÊNCIA BEM ARRUMADA

A sua aparência tem um papel importante na primeira impressão dos outros sobre você.

Embora os rituais de beleza das mulheres possam ser um tanto complexos, tudo o que você precisa fazer (como homem) é manter uma higiene básica e vestir roupas limpas e bem arrumadas, que se adequem às ocasiões.

Nada impede, muito pelo contrário, que você cuide da sua pele e do seu corpo. Hoje o mercado está repleto de produtos específicos para os cuidados pessoais do homem

  • Se tiver pelos faciais, mantenha-os raspados, assim com os pubianos. Isto é fundamental para manter uma boa higiene.
  • Vista roupas limpas e de boa aparência, e garanta que sejam adequadas para a ocasião.

MANTENHA-SE INFORMADO

Atualize-se sobre o mundo à sua volta. No entanto, em vez de preencher a mente com informações relativamente inúteis, concentre-se nas pessoas e nos eventos que realmente importam. Isso pode exigir que você sacrifique um pouco do tempo que dedica a esportes ou jogos para aprender mais sobre o estado atual das políticas estrangeiras, ou o efeito econômico gerado pelos últimos desastres naturais.

  • Você precisará entender o mundo em que vive se quiser funcionar nele da melhor maneira possível.
  • É claro que isso não significa que você não possa se dedicar a hobbies e interesses. Essas coisas são importantes, já que ajudam você a relaxar e recarregar as energias. Basta aprender a priorizar a atenção e a aproveitar os hobbies sem deixar que eles controlem a sua vida.

LIMPE OS LOCAIS ONDE VOCÊ VIVE E TRABALHO

Há um motivo por trás da notória fama de desleixados atribuída a homens solteiros. Desafie esse estereótipo e mantenha o seu espaço pessoal em uma condição de relativa limpeza. Não é necessário ser perfeito, mas você provavelmente deva se certificar de que pode, ao menos, olhar para baixo e ver o chão, em vez de pilhas de roupas sujas e embalagens vazias.

SEJA RESPONSÁVEL COM O DINHEIRO

Dívidas podem ser um peso enorme, e ter várias delas fará com que as instituições financeiras se recusem a fazer empréstimos caso você precise bancar as mensalidades de escola/faculdade, carros novos e moradias melhores. Em resumo, ser uma pessoa financeiramente irresponsável impedirá que você avance na vida.

  • Não gaste o dinheiro que você não tem e economize o dinheiro que recebe. Investir com sabedoria ou guardar uma parte do salário na conta bancária poderá dar a você uma boa estabilidade financeira em épocas difíceis.

EXPERIMENTE ALGO NOVO

O segredo de ter uma vida interessante é fazer coisas interessantes. Desafie-se a aprender algo novo ou a conhecer um lugar que nunca tenha visitado.

  • Encontre uma coisa que lhe interesse e aprenda mais sobre ela. Isso pode envolver fazer algo mental (como estudar um novo idioma) ou algo físico (como aprender a lutar krav-magá).

PENSE ANTES DE AGIR

Embora a “síndrome da língua maior que a boca” possa afetar tanto os homens quanto as mulheres, os homens têm uma fama de se encrencarem mais por isso.

Não importa se isso é ou não justo; você deve sempre se esforçar para pensar por alguns segundos sobre as coisas que pretende dizer ou fazer antes de seguir adiante

  • Ter a “cabeça quente” costuma ser uma característica masculina; no entanto, isso não é algo sábio. Embora você não deva ter medo de tomar atitudes, reconheça que alguns impulsos não são necessariamente bons. Uma breve avaliação deve ser suficiente para que você determine se é ou não seguro prosseguir.
  • Por exemplo: se a sua primeira reação for insultar um colega de trabalho ou subordinado por um pequeno erro cometido, será bom para todos se você parar, questionar o seu impulso e escolher uma maneira melhor de lidar com o problema.

ADOTE UMA ATITUDE ALTRUÍSTA

Busque as melhores atitudes para todas as pessoas envolvidas, mesmo que você tenha de se sacrificar um pouco para isso. Ao demonstrar a sua disposição para colocar os outros antes de si mesmo, passará a mensagem de que você é confiável.

  • A compaixão não vem tão facilmente para muitos homens, e é fácil perder as outras pessoas de vista quando você se concentra somente nos próprios objetivos. Mesmo assim, é importante persistir nos seus esforços para alcançar as necessidades (óbvias e não tão óbvias) das outras pessoas.
  • É claro que isso não significa que você deva sacrificar o respeito próprio. Há uma linha tênue entre se sacrificar pelos outros e deixar que os outros abusem de você. Enquanto a primeira é uma opção, a segunda é forçada sobre você e, geralmente, as pessoas a aceitam sem questionamento.

AJA COM SINCERIDADE

Trate as pessoas com a mesma atitude genuína com a qual você gostaria de ser tratado. Seja fiel a si mesmo e permita que essa sinceridade seja exposta em meio às suas interações diárias.

  • Tente não fazer nem dizer coisas da boca para fora, mesmo que você esteja tentando apaziguar os sentimentos de alguém ou aliviar uma situação desagradável. Ser flagrado dizendo algo insincero fará com que as pessoas deixem de confiar em você, o que pode fazer com que ter um relacionamento pessoal e profissional bem-sucedido com os outros seja difícil.
  • Aqui, tome duas atitudes: pare de contar “mentiras brancas” e cumpra todas as promessas que fizer (a menos que uma emergência verdadeira e inevitável o impeça de fazê-lo).

CUMPRA AS OBRIGAÇÕES FAMILIARES

Você pode ter de exercer vários papéis na sua família ao longo da vida: filho, irmão, marido ou pai; você pode ter relacionamentos importantes com parentes mais distantes; pode ver os amigos como uma família, embora não haja laços de sangue. Independentemente da situação, é preciso que você se certifique de que possa cumprir as responsabilidades exigidas pelo seu “papel”.

  • Tanto os homens quanto as mulheres precisam se envolver com as suas famílias de modo igual. No entanto, embora isso seja uma expectativa imposta sobre as mulheres, a sociedade não costuma fazer o mesmo com os homens. Por exemplo: uma mãe de família que trabalhe pode ser questionada quanto à forma com que ela equilibra a carreira e a família, enquanto um pai de família que trabalhe não passa por isso.
  • Ao se esforçar para cumprir as obrigações em família, você poderá melhorar os seus relacionamentos, além de aprimorar o seu caráter moral. As famílias são postas à prova ao longo de toda a vida, e tratar bem os parentes lhe ensinará a tratar as pessoas externas com o mesmo carinho.

TRATE AS MULHERES COM RESPEITO  

Ao contrário da crença popular, babacas não conquistam mulheres, pelo menos, não quando a mulher tem um mínimo de respeito próprio.

Se você ainda não agir assim, deverá parar de tratar as mulheres como objetos e começar a vê-las como seres humanos.

DÊ O PRIMEIRO PASSO  

Em qualquer situação social, deve haver uma pessoa que diga: “Vai”. Não tenha medo de assumir esse papel. Comece fazendo escolhas e criando planos e supere as objeções conforme elas surgirem, em vez de se preocupar com elas de antemão.

  • O “mundo romântico” oferece o exemplo mais óbvio. Se você quiser chamar uma mulher para sair, chame-a. Você pode ser rejeitado; no entanto, mesmo que isso aconteça, a rejeição pelo menos libertará a sua atenção e permitirá que você procure pessoas em outro lugar.
  • Como um exemplo não romântico, considere a dinâmica entre você e os seus amigos. Em vez esperar que eles o convidem para as coisas, comece a ir atrás deles e fazer os convites por conta própria.

ACEITE AS PESSOAS COMO ELAS SÃO

Nem todas as pessoas se dão bem umas com as outras, mas você provavelmente poderá tolerar a maioria delas se puder vê-las sob uma lente objetiva.

  • Ninguém tem uma história exatamente igual à sua ou está vivendo as mesmas circunstâncias que você; assim, ninguém pensará exatamente como você pensa. Ademais, cada pessoa está em um estágio diferente do crescimento pessoal. Se examinar o seu passado, você provavelmente poderá se lembrar de um período da sua vida do qual não se orgulha.
  • Quando aprender a aceitar os pontos fortes e fracos das outras pessoas, você poderá começar a influenciá-las com uma preocupação genuína, em vez de apenas fazer críticas severas.

DEMONSTRE GRATIDÃO

Tornar-se um homem melhor requer muito trabalho, e você deve se orgulhar das próprias conquistas. No entanto, também deverá reconhecer a ajuda que receber dos outros. Seja grato internamente por esse auxílio e, sempre que possível, compartilhe essa gratidão externamente com as pessoas.

Anúncios

17/07/2017 Posted by | Ética, Bem Estar, Boa Aparência, Cuidados Pessoais, Desenvolvimento Pessoal, Elegância, Equilibrio, Estilo, Etiqueta, Homem de Caráter, Lembranças do Dia, Saúde | Deixe um comentário

As pessoas mais felizes e bonitas são as fora dos padrões de beleza e juventude

Por que você não faz uma cirurgia para corrigir as pálpebras caídas? E preenchimento ao redor dos lábios para tirar o bigode chinês?
Tenho sofrido um bombardeio de perguntas perturbadoras como estas, especialmente por parte de algumas amigas. Elas insistem que eu preciso, urgentemente, fazer algumas “correções” nas pálpebras, pescoço e seios, além de lipoaspiração e aplicação de botox, lifting facial e outros procedimentos disponíveis no mercado da beleza.

Até recentemente as perguntas para quem pensava em fazer uma cirurgia plástica eram:

Por que você quer fazer? Você acha que vale a pena correr o risco de ficar deformada e até mesmo de morrer?

Hoje, as perguntas mudaram e sou testemunha de um massacre sobre as mulheres: Por que você não faz uma plástica? Você não quer parecer mais jovem?

A resposta mais óbvia é que eu tenho medo de ficar com a “cara plastificada”.

Mas elas dizem: Ninguém vai perceber, fica muito natural. Digo que receio as complicações pós-operatórias. Elas são contundentes: É só fazer com um excelente cirurgião, não tem riscos. Falo que não sou tão vaidosa quanto elas, que só uso filtro solar e nem sei como fazer uma maquiagem básica. Elas reagem indignadas: Você não quer ficar dez anos mais jovem? Você é culpada por estar ficando uma velha!

A verdadeira resposta é que eu acredito que os velhos são lindos. Não consigo achar que uma pele esticada e um nariz perfeito são mais bonitos do que as rugas que contam a história de uma vida plenamente vivida.

Tenho o hábito de ficar observando as pessoas em todos os lugares. Adoro ir à praia só para ver corpos de todos os tipos, tamanhos, cores e idades. As pessoas que eu acho mais bonitas, e que parecem mais felizes, são justamente aquelas que estão completamente fora dos padrões de beleza e de juventude.

Apesar de ter muitos medos com relação ao meu envelhecimento, decidi investir o meu tempo, dinheiro e energia nos meus projetos de vida, e não me angustiar tanto com as transformações inevitáveis do meu corpo.

Afinal, se eu acredito que é possível inventar uma bela velhice, por que faria uma cirurgia plástica para fingir que sou mais jovem?

Mirian Goldenberg

20/04/2017 Posted by | Bem Estar | Deixe um comentário

Como retardar o envelhecimento 

Como cientificamente retardar o envelhecimento?

Descrevo abaixo o que a ciência sabe, e funciona, mas antes acho importante algumas considerações.

 1. Cuidado com as falsas promessas com capsulas milagrosas, cortar este ou aquele alimento, ou infusōes “quelantes”perigosas e sem fundamento cientifico.

Somos vulneráveis emocionalmente e facilmente dirigidos sem pensar, porque alguém que está usando está ou aquela formulação. 

 2. Recentemente tenho visto muito mais intolerância a lactose ou a glúten, do que a estatística destas patologias descrita na literatura, ou seja todo mundo é diagnosticado com essas intolerâncias.

Absurdo.!

O que existe é o cólon irritável (fundo emocional) que melhora com a retirada da lactose.

 3. Basicamente o geriatra tem que ter a sensibilidade do diagnostico com os sintomas menos intensos dos idosos, garantir a boa nutrição, ter mais atenção com a toxicidade dos medicamentos e conhecimento dos medicamentos que melhoraram a cognição (raciocínio e memória). 

Não tem como o geriatra retardar o envelhecimento de um paciente de 40 ou 50 anos.  

O QUE TEMOS DE SÉRIO E VERDADEIRO EM RETARDAR O ENVELHECIMENTO

1. Coma poucas calorias nas 24 horas varias vezes ao dia (a cada 3 horas, rica em verduras e frutas e pobre em farináceos brancos e açúcar refinado). 

 Os estudos mostram retardamento dramático no envelhecimento dos chimpanzés. 

 2. Sono com qualidade;  

3. Exercícios rotineiros sem excessos;

4. Tratar imediatamente e prevenir foco infeccioso crônico como nos dentes e seios da face;    

5. Evitar o estresse excessivo, o pelo menos criar um distanciamento dos problemas, evitando a liberação de cortisol;

5. Acima de tudo, ame-se de paixão. 

Importante mencionar que reposição hormonal responsável melhora qualidade, mas não retarda o envelhecimento.

Espero que entendam e que seja útil. Boa noite a todos

Roberto Zeballos, médico 

01/02/2017 Posted by | Anti-Envelhecimento, Bem Estar | Deixe um comentário

Exercícios recomendados em cada fase de vida da mulher

sedução corporalPraticar exercícios físicos regularmente não é apenas uma questão de estética, mas de saúde. Quem mantém uma rotina que favorece o movimento do corpo reduz o estresse, tem melhores noites de sono e maior concentração nas atividades diárias. Para as mulheres é fundamental fazer exercícios, já que elas têm um metabolismo um pouco mais baixo.

Com isso, não estamos dizendo que você deveria treinar pesado todos os dias da semana, mas sim encontrar a melhor forma e disposição para o seu perfil. Abaixo, indicamos alguns exercícios adequados para cada faixa etária feminina.

Aos 25 anos

Depois dos 25, sua capacidade aeróbica começa a reduzir, ainda que pouco (em torno de 1% ou 2%). Assim, os melhores aliados são os exercícios que estimulam o aumento da frequência cardíaca.

Corrida, natação, dança e spinning são ótimas escolhas para manter o condicionamento vascular e liberar toda a energia que o corpo carrega ao longo da semana. A frequência mínima ideal é de duas vezes por semana. Caso tenha mais disposição, exercite-se mais!

Aos 35 anos

Nessa fase de vida é a massa muscular que é impactada. Os músculos dão lugar à gordura que, por sua vez, desacelera o metabolismo. Por isso, é fundamental praticar exercícios que exijam força, como os localizados.

Inscrever-se em uma academia pode ser uma boa opção para trabalhar toda a musculatura do corpo. As lutas, como muay thai, judô ou capoeira também são alternativas, mas exigem mais cuidado com o impacto dos movimentos. Certifique-se de que a turma esteja no mesmo nível que você, para evitar acidentes, e conheça os seus limites.

Aos 45 anos

Com a queima calórica um pouco mais lenta, o ganho de peso é uma realidade na vida da maioria das mulheres dessa faixa etária. Os exercícios de força devem ser mantidos, mas também podem ser aliados a uma rotina aeróbica.

Rotina, aliás, é a palavra-chave dessa fase: manter-se dedicada às atividades físicas garantirá bons resultados. Uma semana de descanso pode comprometer grande parte do trabalho.

A ioga e o pilates são ideais nessa fase, já que tonificam sem oferecer muito risco aos músculos e não exigem tanto preparo físico. Caminhadas diárias, nem que sejam de apenas 30 minutos, contribuem bastante.

Aos 55 anos

Aqui temos uma mudança um pouco mais radical, graças a menopausa. Com as inconstâncias hormonais a estrutura óssea fica mais fraca e pode ser atingida por problemas como a osteoporose.

Para fortalecer a massa óssea, volte a praticar exercícios com um certo impacto, como pular corda. A hidroginástica ou deep running também são ótimas opções, visto que minimizam os riscos dos movimentos repetitivos com a água.

Aos 65 anos

Nessa fase, o ideal é praticar atividades que estimulem o equilíbrio entre corpo e mente, a flexibilidade e a postura. Tai chi chuan, ioga e a hidroginástica combinam essas características enquanto mantém a queima calórica em alta.

Independentemente da sua escolha, o mais importante é se manter feliz com o seu corpo e cuidadosa com a sua saúde!

por Cosmopolitan

23/10/2016 Posted by | Bem Estar, Mulher, Saúde | Deixe um comentário

Lições para ser uma pessoa mais positiva

positividade“Pense positivo!”.

Esta frase é regra para todas as relações sociais. Pudera, a positividade traz inúmeros benefícios, entre eles o poder de acreditar mais em si e na vida, ser mais feliz e melhorar o humor. Mas se está difícil ser assim, relacionamos 7 lições para ser uma pessoa mais positiva:

  1. 1. Limpeza interna

Assim como a nossa casa, nós também precisamos fazer uma faxina interna. Isso significa jogar fora mágoas, medo, rancores, pensamentos ruins, culpa pelas falhas e demais sentimentos que possam contribuir para a negatividade.

  1. Gratidão

Seja grato pelas coisas na sua vida. Sinta gratidão por acordar, por mais um dia, pela sua saúde, pelas pessoas na sua vida, pelo seu trabalho, enfim, por tudo e todos que te envolve. Entenda que a vida é um grande presente.

  1. Não seja a vítima

Tudo e todos conspiram contra você, certo? Sentimos em lhe informar que provavelmente isso ocorre somente na sua cabeça. Todas as pessoas têm problemas. O que realmente muda é a forma como algumas lidam com as adversidades.

  1. Veja o lado bom

“Em cada canto eu vejo o lado bom”. Você pode não gostar da música da Mallu Magalhães, mas não dá para ignorar a lição que essa frase transmite. Ver a vida olhando pelo lado bom fará seus dias muito mais leves e você será uma pessoa muito mais positiva.

  1. Sorria para a vida

Sorria, sorria! Ficar carrancudo não vai tornar sua vida melhor, pelo contrário. E se tem algo muito característico em pessoas positivas é justamente o sorriso, pois elas sabem o quanto isso muda ao seu redor. Pode experimentar: sorria e veja o quanto tudo parece mais leve.

  1. De olho nas oportunidades

Nem todos os dias são como gostaríamos, mas em vez de se lamentar, uma pessoa positiva sabe que são nesses momentos de imprevistos que surgem oportunidades, seja para aprender algo, seja tornar-se mais maduro.

  1. Treine sua mente

Por vezes, nossa mente quer escolher o caminho da negatividade. Mas é possível treinar para que isso mude: sempre que você tiver um pensamento negativo, imediatamente foque em um positivo. É um treinamento diário que fará a diferença no seu modo de ser e pensar

14/10/2016 Posted by | Bem Estar, Comportamento | Deixe um comentário

Estes hobbies deixam seu cérebro mais rápido e inteligente.

introvertidoTodas as partes do nosso corpo envelhecem, inclusive o cérebro. Entretanto, neurocientistas descobriram que é possível atrasar esse processo.

Em alguns casos, é possível até reverter o envelhecimento do cérebro através de atividades específicas.

Um dos melhores jeitos de fazer isso é através de hobbies, ou seja, atividades que nos deem prazer. Aqui estão alguns exemplos que a ciência destaca.

  1. Leia qualquer coisa que você goste

Não importa se você gosta de jornais ou prefere histórias em quadrinhos.

Ler estimula o crescimento de neurônios à medida em que nós absorvemos informações. Isso porque a leitura ativa partes do cérebro ligadas à resolução de problemas, identificação de padrões e interpretação de linguagem e sentimentos.

Além disso, ler estimula a memória. E até mesmo quem lê muito rápido tem benefícios: a leitura dinâmica ajuda a aumentar as sinapses, já que o cérebro precisa processar informações rapidamente.

Quanta coisa, né?

E olha que boa notícia: enquanto você lê este texto, seu cérebro já está ficando um pouquinho mais jovem,

  1. Aprenda a tocar um instrumento musical

Tocar um instrumento aumenta o volume de matéria cinzenta e faz conexões neurais entre os dois hemisférios do cérebro.

Por esta razão, o aprendizado musical precoce permite que as crianças melhorem em diversos aspectos, da matemática ao desenvolvimento de pesquisas.

De uns tempos para cá, os cientistas têm percebido que os benefícios não são só para as crianças. Adultos de todas as idades podem evoluir com a música.

E não se preocupe se você não quer tocar violão, teclado, saxofone ou bateria. A voz também é um instrumento e qualquer pessoa pode praticar.

  1. Pratique exercícios regularmente

Atividades físicas produzem a proteína BDNF na corrente sanguínea.

Como o sangue viaja através do cérebro, as células absorvem esta proteína que é responsável pelo aumento de memória e foco.

Uma das experiências mais interessantes nesse sentido foi um teste de memória aplicado em dois grupos. Um grupo se exercitou antes do teste e o outro não.

Os resultados do teste do grupo que se exercitou foram esmagadoramente melhores. Os participantes foram capazes de se concentrar nas fotos e lembrar delas após um momento de espera.

  1. Aprenda um novo idioma

Várias áreas do cérebro são usadas para entender um som, dar significado a ele e formular uma resposta.

Pessoas bilíngues têm mais massa cinzenta na área responsável por idiomas e desenvolvem a habilidade de se concentrar em mais de uma tarefa ao mesmo tempo.

Em experimentos, mais uma vez os cientistas começaram observando as crianças. Aquelas que cresceram falando mais de um idioma em casa ou na escola mostraram mais atividade nas partes do cérebro ligadas ao raciocínio, planejamento e memória.

E, novamente, as pesquisas atuais apontam que esses benefícios se aplicam a pessoas de qualquer idade.

  1. Aposte na aprendizagem “cumulativa”

Aprendizagem cumulativa é definida como o processo de adicionar novas camadas de informações sobre algo que já sabemos.

Difícil de entender? Bom, aí vai um exemplo bem prático: a matemática.

Nela, crianças aprendem primeiro as operações fundamentais. Em seguida, aprendem como usar essas operações para resolver problemas. Depois aprendem álgebra, e assim por diante.

As pesquisas mostram que se a gente continuar exercitando essas aprendizagens, podemos aguçar a memória, melhorar nossa resolução de problemas e evoluir nas atividades relacionadas à linguagem.

  1. Exercite seu cérebro com jogos e quebra-cabeças

Nosso cérebro é muito semelhante a computadores e músculos.

Quanto mais informações inserimos nele, mais funções ele pode realizar. E quanto mais ele é exercitado, mais forte fica.

Inclusive, “plasticidade cerebral” é um termo usado para se referir às novas conexões que são continuamente criadas quando nos forçamos a absorver informações, raciocinar e lembrar de algo.

Palavras cruzadas, atividades de pensamento dedutivo, jogos estratégicos como o xadrez ou até mesmo alguns jogos de vídeo, forçam o cérebro a receber novas informações e fazer novas conexões.

  1. Pratique meditação ou yoga

Meditação já deixou de ser vista como “aquilo que os budistas ou monges fazem”.

A ciência mostra que quem medita tem mais foco e controle sobre os pensamentos, mesmo quando não está meditando.

Nos idosos, a meditação ajuda a manter uma quantidade maior de massa cinzenta. Já as crianças que têm problemas de comportamento costumam melhorar bastante quando começam a meditar.

Pelo jeito, a meditação é ótima para todas as idades. Inclusive, já mostramos neste post o que acontece no cérebro de quem medita. Os benefícios são inúmeros!

Aliás, todos os 7 hobbies que citamos são fáceis de incorporar no dia a dia. E nada melhor do que cuidar do cérebro enquanto você faz algo prazeroso, não é mesmo?

Agora, mãos à obra.

01/09/2016 Posted by | Bem Estar, Meditação, Saúde | Deixe um comentário

Síndrome de Burnout: a doença do esgotamento físico, mental e emocional

sindrome do ter deEm geral a Síndrome de Burnout atinge profissionais do mundo inteiro que lidam direta ou indiretamente com pessoas.

Em todas as áreas, não importa a profissão, o estresse faz parte do nosso dia a dia em um mundo cada vez mais competitivo.

A Síndrome de Burnout é uma das consequências desde ritmo acelerado e atual, um estado de tensão emocional e estresse provocado por condições de trabalho desgastantes e estressantes.

O próprio termo burnout demonstra que esse desgaste danifica aspectos físicos e psicológicos das pessoas acarretando prejuízo da saúde física, mental e emocional.

Há diversos sintomas que em fase inicial e alguns podem até levar a um primeiro diagnóstico de depressão.

Por isso, é importante uma avaliação detalhada.

O esgotamento é refletido através de comportamento diferentes, como agressividade, isolamento, mudanças de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, falha da memória, ansiedade, tristeza, pessimismo, baixa autoestima, ausências no trabalho.

Além desses sintomas citados, há relatos de sentimentos negativos, desconfiança e de paranoia.

Dos sintomas físicos são comuns: dores de cabeça, enxaqueca, cansaço, sudorese, palpitação, pressão alta, dores musculares, insônia, crises de asma e distúrbios gastrointestinais, respiratórios e cardiovasculares. Em algumas mulheres também pode acontecer alterações no ciclo menstrual.

Além do tratamento, que inclui terapia e medicamentos, se faz necessária uma mudança no estilo de vida. A atividade física regular e os exercícios de relaxamento devem entrar para a rotina, pois ajudam a controlar os sintomas.

Uma dica importante é observar se é o ambiente profissional a causa do estresse ou se não as atitudes da própria pessoa que geram a crise.

A qualidade de vida é uma das armas para prevenir a Síndrome de Burnout ou qualquer outras doenças

18/08/2016 Posted by | Bem Estar, Saúde | Deixe um comentário

Qual é o tempo médio do sexo?

sex0Você provavelmente nunca colocou um cronometro ao lado da cama para ver quanto tempo dura a sua relação sexual. Mas um estudo científico pôs 500 casais heterossexuais para fazer exatamente isso. 

Com base nesses dados, o levantamento pôde apontar uma média de tempo de duração do sexo, excluindo às preliminares: 5 minutos e 24 segundos.

A variação do tempo de duração da atividade dos participantes foi enorme ao longo  das quatro semanas de duração desse estudo. Enquanto o casal que ficou com o menor tempo obteve 33 segundos, o que teve o maior tempo conseguiu 44 minutos, ou seja, 80 vezes mais do que o de menor resultado.

O que foi aferido no estudo foi somente o tempo entre a penetração vaginal e a ejaculação, nada além disso.

O levantamento mostrou outro lado interessante: casais que usaram camisinha não apresentaram diferença relevante no tempo médio de duração do sexo em relação aos que não a usaram. A circuncisão também não foi um fator que indicou mudança na duração do ato.

A nacionalidade dos casais não apresentaram importância no estudo, exceto no caso dos turcos, que tiveram a menor média: 3 minutos e 42 segundos. As pessoas que participaram do estudo eram da Holanda, da Espanha, do Reino Unido e dos Estados Unidos.

Quanto tempo é normal?

A duração considerada normal para uma relação sexual varia de acordo com o que pensamos de normal. No final da década de 1940, o tempo médio de duração do sexo era de 2 minutos para 45% dos homens, um número que pode gerar um diagnóstico de ejaculação precoce atualmente, segundo Crystal Dilworth, biomédica e divulgadora científica.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de New Brunswick , a duração média  de uma relação sexual é de entre 5 e 10 minutos. Quando a atividade excede 20 minutos , ela é considerada indesejada pela maioria dos 152 casais participantes, que tinham idades de 21 a 77 anos.

O terapeuta sexual Barry W. McCarthy fez uma afirmação ao Esquire (Magazine) que corrobora com os resultados das pesquisas médicas. “Pouquíssimas pessoas têm relações sexuais em si (penetração vaginal) que durem mais do que 12 minutos”, disse McCarthy.

E a ciência mostra que se engana quem pensa que o tempo das carícias preliminares é o fator que mais importa para a mulher atingir o orgasmo, Um estudo com 2.360 mulheres tchecas, publicado no “The Journal of Sexual Medicine” e realizado pelos psicólogos Petr Weiss e Stuart Brody, concluiu que a chance de um orgasmo feminino têm maior relação com o tempo de duração do ato sexual do que com as preliminares.

Mas, por favor, não deixe de caprichar nas preliminares, ela pode não ser determinante (!?) para o orgasmo feminino, mas é MUITO importante.

 

 

 

09/04/2016 Posted by | Bem Estar, Saúde, Sexo | Deixe um comentário

O amor é racional?

valorizeHá uma descrição do cérebro humano que é muito didática. Segundo ela, nós não teríamos um cérebro só, mas três. Essas partes têm funções diferentes, mas muito complementares. Nosso cérebro seria então uma espécie de três em um, um conjunto de estruturas que são chamadas a agir em função das diferentes situações que a vida nos oferece.

O primeiro cérebro chama-se sistema reptiliano, porque é uma herança de bichos como os dinossauros. Suas funções estão inteiramente ligadas aos instintos de sobrevivência física, como comer, economizar energia, esconder-se, fugir e também gerar o impulso sexual, pois dele depende a sobrevivência da espécie.

O segundo cérebro chama-se sistema límbico, é bem mais novo que o anterior e tem sob sua jurisdição os sentimentos e as emoções. Graças a ele somos capazes de amar, odiar, sentir medo, raiva, saudade, prazer, ambição, ciúmes.

Só que o ser humano, e apenas ele, tem o terceiro cérebro, chamado de córtex cerebral. Uma fina camada que recobre todo o órgão (córtex significa casca) e que concentra a maior quantidade de neurônios existente na natureza. E é nessa camada que se realiza o fantástico conjunto de reações químicas que convencionamos chamar de pensamento, lógica, razão.

O amor pode começar no sistema límbico, mas ultrapassa esses limites e contamina todo o cérebro, pedindo a participação de nossa parte mais primitiva, animal, e de nossa função mais desenvolvida, racional. Sem essas ajudas, o amor não se sustenta, deixa de ser um prazer e passa a incomodar como um corpo estranho.

Entretanto, o amor é um sentimento maravilhoso, mas frágil. Lygia Fagundes Telles uma vez o comparou a uma bolha de sabão, e escreveu um conto com esse título. Uma bolha de sabão flutua no ar e se eleva como se estivesse em busca do infinito. Até que estoura… E estoura porque é sensível demais, mais leve que a realidade cotidiana. O amor é assim mesmo, e se não for conservado ao abrigo das farpas cortantes acaba por estourar.

Conheço pessoas que se acomodaram na conquista. “O amor nos manterá unidos”, diz o imprudente. Não, o amor não sustenta, quem sustenta é a felicidade que vem dele, das ações que ele provoca e das coisas práticas da vida.

O que pode fazer a razão em favor do amor é providenciar uma coleção de pequenos atos que, somados, conferem valor à relação e garantem sua longevidade. Não há nada mais sem graça que uma relação que se acomodou. A rotina que mata o amor é a rotina do que não se faz. Da declaração de amor que deixa de ser feita, do elogio economizado à roupa simples do dia a dia, do sorriso sonegado ao acordar, da palavra de carinho roubada à despedida, da comemoração não feita em qualquer conquista, do boa noite seco, sem um beijo, antes de dormir.

O amor não se sustenta sem a intenção de amar e sem a ação pequena, mas constante, de alegrar o outro com sua presença. Acredito que o amor é uma grandeza que não se sustenta com o tempo. Ou aumenta ou diminui. Qual é, afinal, sua intenção?

por Eugenio Mussak

07/12/2015 Posted by | Bem Estar, Reflexões | Deixe um comentário

Entre na linha com seu DNA

WL004

A dieta baseada em um exame que revela as predisposições genéticas de cada pessoa pode ser a receita para uma vida saudável, associada, é claro, a uma rotina adequada de exercícios físicos.

O grego Hipócrates (460 a.C.-375 a.C.), o “pai da medicina”, jamais duvidou que a dieta fosse a receita mais apropriada para uma vida saudável. Mas, antes que essa constatação soe como uma obviedade, vale lembrar que, na língua grega, a palavra díaita – da qual se originou o termo “dieta” – significa “modo de viver”. Não por acaso, Hipócrates escreveu: “Se pudéssemos dar a cada indivíduo a quantidade correta de alimentos e de exercícios, nem muito pouco nem em excesso, encontraríamos o caminho seguro para a saúde”. O que o médico dos médicos receitava, portanto, era mais do que um regime alimentar: ele se batia por um “estilo de vida”. Contudo, apesar de esse conhecimento ter começado a se disseminar há quase 2 500 anos, continuam na ordem do dia “receitas” que prometem boa forma por meio de um sem-número de regimes “miraculosos” – muitos deles com enorme vocação para transformar-se em modismos. Não é incomum que convoquem em seu auxílio até mesmo procedimentos médicos, como a cirurgia bariátrica, para quem não necessita deles. São os representantes de uma autêntica “indústria da fraude”.

Na contramão de tais procedimentos, e – quem diria – mais afinada com o pensamento do velho Hipócrates, encontra-se uma novidade científica: a dieta genética. Nela, levam-se em conta as variações genéticas individuais para determinar cardápios e tipos de exercícios e esportes ideais para o organismo de cada pessoa – indicando assim o “caminho seguro para a saúde”.

A dieta dos genes é o resultado direto do exponencial desenvolvimento das pesquisas e das tecnologias genéticas alcançadas nos últimos anos. Se quase um século separa o médico suíço Friedrich Miescher, que em 1869 isolou pela primeira vez o DNA, da descoberta da estrutura dessa molécula, em formato de dupla-hélice, realizada pelos cientistas James Watson e Francis Crick em 1953, a partir daí o campo da genética avançou de maneira extraordinariamente rápida. Em 2003, chegou-se ao mapeamento completo dos genes humanos, com o Projeto Genoma. No mesmo ano, foi inaugurado o Centro de Nutrigenômica dos Estados Unidos, cujo objetivo era estudar justamente as relações entre nossos genes, as doenças – e as dietas. Surgiram, então, dois campos de estudos: a nutrigenômica, que analisa os efeitos de alimentos consumidos nos genes, e a nutrigenética, pela qual se pesquisa como a constituição de cada um afeta a dieta e a prática de exercícios físicos.

De início, acreditava-se que estariam nos genes todos, absolutamente todos, os segredos da vida – inclusive a resposta para o fato de algumas pessoas serem mais magras ou contarem com alguns quilos a mais do que outras. Essa fase foi resumida assim pelo geneticista americano Craig Venter, que, ao lado do conterrâneo Francis Collins, criou o primeiro esboço do sequenciamento do genoma humano, em 2000: “Tinha-se uma compreensão ingênua e equivocada de que o DNA determinaria todos os traços do organismo e da personalidade”. Há três anos, o ambicioso projeto Encode (sigla em inglês para Enciclopédia de Elementos do DNA) deu um passo adiante ao descobrir que há, sim, genes que determinam características hereditárias – como a tendência a comer mais mesmo sem ter fome -, mas também existem outros, os chamados epigenes, que se modificam em consequência de hábitos cotidianos e correspondem a 2% da composição do genoma. Alguns desses epigenes, por exemplo, ajudam um atleta a queimar mais calorias, acumular menos gordura ou ter um metabolismo acelerado.

A dieta genética procura balancear exatamente esses dois aspectos: as determinações hereditárias para engordar, ou emagrecer, e os costumes diários. Mais Hipócrates, impossível.

Se estiver interessado você pode entrar em contato com a empresa inglesa My Gene Diet e remeter suas amostras para identificar as determinações genéticas e indicar a melhor alimentação e os esportes ideais para você. 

Jennifer Ann Thomas

08/11/2015 Posted by | Bem Estar, Saúde | Deixe um comentário