PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Para pensar quando a vida estiver difícil

Sidarta Gautama, o Buda nos deixou um legado de grande sabedoria.

Entre tantas pérolas, separo 13 conselhos deixados para aqueles que vivem momentos difíceis.

Existe, segundo Buda, uma forma de viver esses momentos de uma maneira mais tranquila e o segredo tem a ver com atitude:

1) AS COISAS SÃO O QUE SÃO

A nossa resistência às coisas é a principal causa do nosso sofrimento. Este acontece quando resistimos às coisas como elas são. Se não se pode fazer nada, relaxe. Não lute contra a correnteza, aceite ou então se consuma em seu sofrimento.

2) SE VOCÊ ACHA QUE TEM UM PROBLEMA, VOCÊ TEM UM PROBLEMA

Repare que tudo é olhado através de uma perspectiva. Em um determinado momento as coisas parecem difíceis, no outro não. Sabendo disso, caso tenha uma dificuldade escolha entendê-la como um desafio, uma oportunidade de aprendizado. Se enxergá-la como um problema, essa dificuldade será certamente um problema.

3) A MUDANÇA COMEÇA EM VOCÊ MESMO

Seu mundo exterior é um reflexo do seu mundo interior. Temos o hábito de achar que tudo ficará bem quando as circunstância mudarem. A grande verdade, no entanto, é que as circunstâncias só mudarão quando essa mudança ocorrer em nosso interior.

4) NÃO EXISTE APRENDIZADO MAIOR DO QUE FALHAR

O fracasso não existe!!! Entenda isso de uma vez por todas. Todas as pessoas de sucesso já falharam diversas vezes. Aproveite suas falhas como um grande aprendizado. Se fizer isso, na próxima vez estará mais perto do sucesso. A falha é sempre uma lição de aprendizado.

5) SE ALGO NÃO ACONTECE COMO O PLANEJADO, SIGNIFICA QUE O MELHOR ACONTECEU

Tudo acontece de forma perfeita, até quando dá errado. Muitas vezes, quando olhamos para trás, percebemos que aquilo que consideramos errado, na verdade foi o melhor que podia ter acontecido. No entanto, quando dá certo, certamente estamos alinhados com nosso propósito de vida. O universo sempre trabalha a nosso favor.

6) APRECIE O PRESENTE

Nós só temos o momento presente! Portanto não o deixe passar perdendo tempo com o passado. Valorize seu momento presente pois ele é único e importante. É a partir dele que cria sua vida futura.

7) DEIXE O DESEJO DE LADO

A maioria das pessoas vive a vida guiadas pelos desejos. Isso é extremamente perigoso, um desejo não satisfeito transforma-se em uma grande frustração. Frustação desencadeia uma energia negativa muito forte e retrai seu crescimento. Procure entender que tudo o que precisa vai chegar até você se cultivar sua felicidade incondicional. Pratique uma mente isolada, só assim suas emoções permanecerão felizes ou neutras.

8) COMPREENDA SEUS MEDOS E SEJA GRATO POR ELES

O medo é o contrário do amor, é quem mais atrapalha sua evolução caso não saiba entendê-lo. No entanto ele é importante na medida em que fornece uma grande oportunidade de aprendizado. Quando enfrenta e vence o medo, se torna mais forte e confiante. Superar seus medos requer prática, o medo é apenas uma ilusão e, acima de tudo, é opcional.

9) EXPERIMENTE ALEGRIA

Existem pessoas que se divertem com tudo o que lhes acontece. Mesmo na pior situação, riem de si mesmas. São pessoas felizes que enxergam crescimento em tudo. Essas pessoas aprenderam que é importante focar na alegria e não nas dificuldades. O resultado é que atraem muito mais situações felizes do que tristes.

10) NUNCA SE COMPAREM COM OS OUTROS

Você é único, veio aqui com uma missão só sua. E ela é tão importante quanto a de qualquer outra pessoa. Mesmo assim se não conseguir evitar comparações, compare com quem tem menos que você. Isso é uma ótima estratégia para perceber que tem sempre muito mais do que precisa para ser feliz.

11) VOCÊ NÃO É UMA VÍTIMA

Você é sempre o criador de suas experiências! Tudo o que lhe acontece foi atraído por você mesmo e extremamente necessário pra seu aprendizado. Quando algo que considera desagradável acontecer com você, agradeça e pergunte: “Por que será que atraí isso para minha vida?”, “O que preciso aprender com essa experiência?”.

12) TUDO MUDA

Isso também vai passar…palavras de Chico Xavier. Tudo nessa vida é dinâmico, tudo muda em um segundo. Portanto, não fique se lamentando. Caso não saiba o que fazer, não faça nada. O universo não para de mudar, crescer e se expandir, sendo assim espere, por que tudo vai passar.

13) TUDO É POSSÍVEL

Milagres acontecem todos os dia, e nós mesmos é que somos responsáveis por eles. Confie e acredite nisso. Na medida em que conseguir sua mudança de consciência, encontrará em você o poder de realizar milagres. É tempo de mudar e entender sua importância, a possibilidade que você tem de mudar o mundo. Acredite!!!!

24/04/2017 Posted by | Comportamento, Meditação | Deixe um comentário

Estes hobbies deixam seu cérebro mais rápido e inteligente.

introvertidoTodas as partes do nosso corpo envelhecem, inclusive o cérebro. Entretanto, neurocientistas descobriram que é possível atrasar esse processo.

Em alguns casos, é possível até reverter o envelhecimento do cérebro através de atividades específicas.

Um dos melhores jeitos de fazer isso é através de hobbies, ou seja, atividades que nos deem prazer. Aqui estão alguns exemplos que a ciência destaca.

  1. Leia qualquer coisa que você goste

Não importa se você gosta de jornais ou prefere histórias em quadrinhos.

Ler estimula o crescimento de neurônios à medida em que nós absorvemos informações. Isso porque a leitura ativa partes do cérebro ligadas à resolução de problemas, identificação de padrões e interpretação de linguagem e sentimentos.

Além disso, ler estimula a memória. E até mesmo quem lê muito rápido tem benefícios: a leitura dinâmica ajuda a aumentar as sinapses, já que o cérebro precisa processar informações rapidamente.

Quanta coisa, né?

E olha que boa notícia: enquanto você lê este texto, seu cérebro já está ficando um pouquinho mais jovem,

  1. Aprenda a tocar um instrumento musical

Tocar um instrumento aumenta o volume de matéria cinzenta e faz conexões neurais entre os dois hemisférios do cérebro.

Por esta razão, o aprendizado musical precoce permite que as crianças melhorem em diversos aspectos, da matemática ao desenvolvimento de pesquisas.

De uns tempos para cá, os cientistas têm percebido que os benefícios não são só para as crianças. Adultos de todas as idades podem evoluir com a música.

E não se preocupe se você não quer tocar violão, teclado, saxofone ou bateria. A voz também é um instrumento e qualquer pessoa pode praticar.

  1. Pratique exercícios regularmente

Atividades físicas produzem a proteína BDNF na corrente sanguínea.

Como o sangue viaja através do cérebro, as células absorvem esta proteína que é responsável pelo aumento de memória e foco.

Uma das experiências mais interessantes nesse sentido foi um teste de memória aplicado em dois grupos. Um grupo se exercitou antes do teste e o outro não.

Os resultados do teste do grupo que se exercitou foram esmagadoramente melhores. Os participantes foram capazes de se concentrar nas fotos e lembrar delas após um momento de espera.

  1. Aprenda um novo idioma

Várias áreas do cérebro são usadas para entender um som, dar significado a ele e formular uma resposta.

Pessoas bilíngues têm mais massa cinzenta na área responsável por idiomas e desenvolvem a habilidade de se concentrar em mais de uma tarefa ao mesmo tempo.

Em experimentos, mais uma vez os cientistas começaram observando as crianças. Aquelas que cresceram falando mais de um idioma em casa ou na escola mostraram mais atividade nas partes do cérebro ligadas ao raciocínio, planejamento e memória.

E, novamente, as pesquisas atuais apontam que esses benefícios se aplicam a pessoas de qualquer idade.

  1. Aposte na aprendizagem “cumulativa”

Aprendizagem cumulativa é definida como o processo de adicionar novas camadas de informações sobre algo que já sabemos.

Difícil de entender? Bom, aí vai um exemplo bem prático: a matemática.

Nela, crianças aprendem primeiro as operações fundamentais. Em seguida, aprendem como usar essas operações para resolver problemas. Depois aprendem álgebra, e assim por diante.

As pesquisas mostram que se a gente continuar exercitando essas aprendizagens, podemos aguçar a memória, melhorar nossa resolução de problemas e evoluir nas atividades relacionadas à linguagem.

  1. Exercite seu cérebro com jogos e quebra-cabeças

Nosso cérebro é muito semelhante a computadores e músculos.

Quanto mais informações inserimos nele, mais funções ele pode realizar. E quanto mais ele é exercitado, mais forte fica.

Inclusive, “plasticidade cerebral” é um termo usado para se referir às novas conexões que são continuamente criadas quando nos forçamos a absorver informações, raciocinar e lembrar de algo.

Palavras cruzadas, atividades de pensamento dedutivo, jogos estratégicos como o xadrez ou até mesmo alguns jogos de vídeo, forçam o cérebro a receber novas informações e fazer novas conexões.

  1. Pratique meditação ou yoga

Meditação já deixou de ser vista como “aquilo que os budistas ou monges fazem”.

A ciência mostra que quem medita tem mais foco e controle sobre os pensamentos, mesmo quando não está meditando.

Nos idosos, a meditação ajuda a manter uma quantidade maior de massa cinzenta. Já as crianças que têm problemas de comportamento costumam melhorar bastante quando começam a meditar.

Pelo jeito, a meditação é ótima para todas as idades. Inclusive, já mostramos neste post o que acontece no cérebro de quem medita. Os benefícios são inúmeros!

Aliás, todos os 7 hobbies que citamos são fáceis de incorporar no dia a dia. E nada melhor do que cuidar do cérebro enquanto você faz algo prazeroso, não é mesmo?

Agora, mãos à obra.

01/09/2016 Posted by | Bem Estar, Meditação, Saúde | Deixe um comentário

Mindfulness, a técnica para aumentar a produtividade e diminuir o estresse

mindfulness1Acontece sempre ao meio-dia. Na sala com iluminação reduzida, o grupo se reúne. Aos poucos, cada um se acomoda em uma posição confortável, entre almofadas. Todos fecham os olhos e se concentram nas próprias respirações. Por vezes, eles mentalizam a praia preferida e pensam que tocam a água gelada. Em outras, ficam em silêncio, prestando atenção a seus pensamentos. Menos de meia hora depois, a turma abre os olhos e se levanta. Pronto. Todos estão renovados para encarar o resto do dia de trabalho – que, aliás, os aguarda do outro lado da porta.

É assim que funciona o grupo de meditação do Google. De segunda a sexta, antes do almoço, até 15 funcionários do site de buscas se isolam por 20 minutos em uma sala, que lembra uma choupana, na sede da empresa, em São Paulo. Nesse período, essa pequena turma se dedica a exercícios que buscam acalmar a mente e aumentar o foco. Quem participa dessas sessões garante que, após as pequenas pausas, tem um dia mais produtivo e menos estressante.

Hoje, a esse tipo de atividade dá-se o nome de mindfulness. A expressão foi traduzida no Brasil como “atenção plena”. Ela tem origem na meditação budista. No mindfulness, contudo, ela é dissociada do cunho espiritual ou religioso geralmente vinculado à prática. A técnica despertou o interesse de acadêmicos nos Estados Unidos durante os anos 70. Começou a ter seus efeitos pesquisados por Jon Kabat-Zinn, da Universidade de Massachusetts, e Ellen Langer, de Harvard. Kabat-Zinn criou um programa de redução de estresse baseado na meditação mindfulness e fez pesquisas na área da saúde, estudando sua utilização em pacientes com câncer e doenças crônicas. Já Ellen abordou o conceito como o ato de prestar atenção ativamente e o desvinculou da meditação.

Nos últimos dez anos, o mindfulness vem avançando sobre o ambiente corporativo. Hoje, a seguradora Aetna, o LinkedIn, a gestora de fundos BlackRock e o banco Goldman Sachs estão entre as companhias que aderiram a esses exercícios nos Estados Unidos. No Brasil, o método ainda é pouco conhecido. O Google é uma das poucas empresas a adotá-lo, ainda assim por influência da sede americana.

Efeito na produtividade
E o que justifica o interesse crescente pela técnica? Em muitos casos, a prática de mindfulness é mais uma opção oferecida pelos programas de bem-estar das empresas – assim como aulas de ioga ou descontos em academias de ginástica. Alguns adeptos, no entanto, enxergam benefícios também para as companhias. Um deles é a possibilidade de aumentar a produtividade.

Um estudo de Harvard, publicado em 2010, mostra que, de todo o tempo que permanecemos acordados, quase a metade dele (47%) é gasto com a mente no “mundo da Lua”. Ficamos dispersos. Isso, ao longo de um dia, não só prejudica o trabalho, mas pode nos deixar infelizes. “Geralmente, a nossa mente fica presa remoendo o passado ou se volta para um futuro distante”, diz o psicólogo Armando Ribeiro, que tem especialização em mindfulness. É esse comportamento que a técnica pretende combater. Com as breves pausas, os praticantes supostamente desenvolvem a capacidade de prestar mais atenção ao momento presente – o bom e velho “aqui e agora”. Daí, o eventual ganho de produtividade.

O Google é uma das empresas mais engajadas não só em oferecer a meditação mindfulness para os funcionários como também em difundir o tema por outras companhias. Quem começou a pesquisar o assunto na empresa foi o engenheiro Chade-Meng Tan, um dos primeiros funcionários do gigante de buscas. Por interesse pessoal, Meng passava parte do seu tempo lendo estudos sobre o comportamento humano. Além de mindfulness, investigou teses sobre inteligência emocional e neurociência. Até que, em 2007, criou um programa que mistura aspectos das diferentes áreas de pesquisa. O pacote foi batizado de Search Inside Yourself (SIY).

O programa do SIY consiste em dois dias inteiros de palestras e orientações sobre técnicas para a busca desse estado de atenção plena. Depois de testar e aprimorar o modelo no Google, Meng uniu-se ao empresário Marc Lesser e a Philippe Goldin, professor de psicologia de Stanford. Em 2012, o trio fundou o Instituto SIY. Desde então, a técnica criada pelo engenheiro tem se difundido pelas filiais da empresa ao redor do mundo e por outras companhias.
Meng não é o único propagador do assunto no mundo corporativo. Uma das principais precursoras da técnica é a americana Janice Marturano, criadora do instituto Mindful Leadership. Ela trabalhou durante 15 anos na General Mills, dona de marcas como Häagen-Dazs e Yoki. Depois de incorporar a técnica de mindfulness em sua vida, passou a treinar colegas de trabalho e executivos de outras empresas, como a Procter & Gamble. Em 2012, quando resolveu se dedicar ao instituto, 1,4 mil profissionais já haviam recebido suas lições.

Dividir os problemas em partes
No Brasil, o termo mindfulness ainda é pouco conhecido. Um dos adeptos do grupo do Google no país é o engenheiro Tomás Nora. Até dois anos atrás, ele se considerava extremamente estressado. “Não vivia o momento presente”, afirma. Praticar meditação era uma opção que não fazia parte de seu repertório. Só prestou atenção no assunto depois de passar por uma cirurgia em decorrência de uma inflamação intestinal crônica. “Percebi que se eu não parasse intencionalmente, meu corpo pararia por mim.” Por indicação da esposa, leu estudos científicos sobre mindfulness e resolveu fazer um teste. Hoje, a prática faz parte de sua rotina e ele sente os benefícios no desempenho profissional. “A meditação ajuda a dividir os grandes problemas em pequenas partes”, diz. “No fundo, é o que os engenheiros já fazem.”

Além do mindfulness, há diversas práticas similares chegando às empresas. Uma delas é a meditação transcendental. A diferença entre ambas está em detalhes: para se concentrar, em vez de focar na respiração, por exemplo, o praticante da segunda mentaliza repetidas vezes uma determinada palavra – um mantra.

Para alguns, o mindfulness é apenas uma solução “fast-food” contra o estresse

Essa foi a técnica que chamou a atenção de Nestor Sequeiros, presidente no Brasil da multinacional Mead Johnson Nutrition, que fabrica produtos como Sustagen. Ele conheceu os exercícios meditativos quando trabalhou na Ásia. Acompanhou a experiência de uma fábrica da empresa na Índia, que oferecia meditação diária aos 250 operários. Para complementar o programa, havia aulas de ioga duas vezes por semana. Depois da implantação das técnicas, durante dois anos, não houve nenhuma falta entre os funcionários e a produtividade aumentou em 15%.

Desde 2012, ele começou uma experiência no Brasil. Hoje, paga aos funcionários interessados 80% do curso de meditação transcendental. Dentro do escritório, é rotina diminuir as luzes duas vezes por dia, durante 20 minutos. A ambientação é um convite para quem quiser fazer sua pausa em silêncio. Os benefícios descritos pelos participantes vão desde dormir melhor até uma gestão mais eficiente do tempo no trabalho.

Em abril deste ano, outra companhia, a brasileira Mercur, fabricante de produtos tão variados quanto pisos e bolsas de água quente, passou a oferecer meditação para os funcionários. Os interessados reúnem-se por 15 minutos uma vez por semana. Também passaram a praticar meditação antes de algumas reuniões, como as de planejamento estratégico. Segundo Luiz Neumann, coordenador de processos de produção da Mercur, a iniciativa partiu dos funcionários. Eles entenderam que isso poderia melhorar o relacionamento entre as pessoas na empresa. Ainda é cedo, porém, para saber os resultados.

Não é para todos
É claro que nem todo mundo quer passar 15 minutos entre exercícios de meditação. Para muitos, esse tipo de atividade soa como perda de tempo e a empresa é um ambiente inapropriado para praticá-la. “Tem limitações. Algumas pessoas vão achar isso chato ou cansativo”, afirma Tiago Tatton, psicólogo com especialização em mindfulness.
Em tom de brincadeira, a imprensa americana popularizou o termo McMindfulness, comparando a onda da “atenção plena” a uma solução fast-food contra o estresse. Em um artigo recente da Harvard Business Review, o psiquiatra David Brendel afirmou que uma de suas clientes passava tanto tempo meditando (e aceitando a vida como ela era) que não foi capaz de lidar com funcionários que não entregavam resultados. “A meditação deve ser usada para reforçar, e não deslocar o pensamento racional e analítico das pessoas sobre suas carreiras e vidas”, escreveu.

A questão que fica é: afinal, funciona ou não? Para muitos, sim. Steve Jobs, por exemplo, meditava. Ao seu biógrafo, Walter Isaacson, ele disse que o exercício de ouvir os próprios pensamentos e tentar acalmar a mente aflorava a intuição, permitia enxergar as “coisas” (leia-se tudo) com mais clareza. Ou seja, com base no que ele produziu, mal não deve fazer. Vai ver que, por isso mesmo, essa onda de “meditação corporativa” só faz crescer.

Marcela Bourroul e Ariane Abdallah 

20/01/2016 Posted by | Equilibrio, Meditação | 2 Comentários

Um presente para si

como-meditar-meditacaoEncontrar a lucidez da mente pode transformar a forma como você se relaciona consigo e com os outros.

Com o Corpo relaxado, inspire e expire suavemente. Inspire e expire, inspire e expire… sem parar, de um jeito bem leve.

Agora veja, com sutileza, que enquanto você respira, há algo consciente em você, leve, parado, lúcido, silencioso, além da inspiração e da expiração.

Observe.

Siga inspirando e expirando, mas a partir desse lugar leve, lúcido.

Pratique assim. Você está meditando.

Quando sua mente se distrai, veja, é como se surgisse uma bolha de realidade – essa bolha é uma espécie de sonho com caminhar próprio e com um momento final.

Nesse sonho surgem visões, emoções, pensamentos e também urgências… é assim mesmo.

Agora você volta à respiração.

Perceba, a presença serena e lúcida está lá.

A mente se distrai novamente, e novamente, e novamente.

Faz parte do processo.

As bolhas de realidade e de sonhos surgem e vão embora.

Mas a presença lúcida pode seguir imóvel, igual.

É a partir dessa condição estável, mesmo apesar das distrações, que você vê a ação da sua mente; ela cria mundos de significados e pensamentos em bolhas que surgem e se desfazem.

A esse infindável saltar de bolha em bolha da nossa mente, Buda deu o nome de transmigração.

É como um pássaro que, pousado em um galho, sempre termina por esvoaçar para outro galho.

Se você reparar, nossas vidas se resumem a isso: transmigrar infindavelmente entre pensamentos.

É como respirar; acontece o tempo todo.

Ainda assim, há algo leve, estável e lúcido além desses ciclos.

Algo que não muda, não flutua, não envelhece.

Sempre vivo e presente.

Consegue sentir?

Está aí, presente:  a lucidez da mente.

Em qualquer momento, dentro de qualquer experiência – seja de sonho em meio ao dia ou à noite, seja de meditação, de trabalho ou de estresse – está essa presença lúcida, serena e silenciosa.

E você pode acessá-la para viver melhor.

Depois de algum tempo de treino (persista!) e com a capacidade de olhar a partir dessa condição de lucidez, observe os que vivem próximos a você, as pessoas que encontra a cada dia.

Veja, eles flutuam e agem por dentro de suas próprias bolhas de realidade, por vezes animados, sorrindo, outras vezes depressivos, em sofrimento.

Suas visões da vida, do presente, do passado e do futuro mudam constantemente junto com as bolhas.

Percebe?

Se você, vendo isso, não se assustar e nem se perturbar, mas ver surgir em si uma energia disposta a ajudá-las nessa circunstância que vivem, você recebeu o presente de enxergar a compaixão surgir em seu coração.

Agora, retorne à lucidez serena e leve.

Olhe novamente os seres ao seu redor.

Veja, eles têm brilho, amorosidade, inteligência, energia de ação, beleza e outras tantas qualidades e virtudes.

Caso seus olhos brilhem com as virtudes que encontra neles, alegre-se, você recebeu o presente do amor estável.

Com o treino e a prática da meditação, sua visão irá além das bolhas.

Você encontrará na lucidez silenciosa uma fonte inesgotável de tesouros de felicidade para si mesmo e para todos ao redor.

por Padma Samten  

05/05/2015 Posted by | Meditação | Deixe um comentário

É intolerável ser ninguém

BB 52E este é o milagre, quando você aceita ser ninguém, quando você se torna tão comum quanto todos os outros, quando não quer mais reconhecimento, quando pode existir como se não existisse.

Estar ausente é o milagre. As pessoas têm medo de ser ninguém porque toda sua personalidade terá então desaparecido. Nome, fama, respeitabilidade, tudo isso terá desaparecido, daí o medo. Mas a morte irá levá-las, de qualquer forma. Aqueles que são sensatos permitem que essas coisas se vão por conta própria. Então não haverá mais nada para a morte levar. Então todo o medo desaparecerá, porque a morte não pode chegar até você, já que nada terá restado para ela.

A morte não pode matar um ninguém.Você está aqui, de certa forma, e ainda assim não está.Você está aqui por causa da velha associação com o corpo, mas olhe com cuidado e verá que não está. E esse reconhecimento, onde há puro silêncio e puro estado-de-ser, isso é sua realidade, que a morte não pode destruir. Essa é a sua eternidade, sua imortalidade.

Não há nada a temer. Não há nada a perder. E se você pensar que perdeu algo – nome, respeitabilidade, fama -, todas essas coisas não possuem valor. São brinquedos de crianças, não servem para as pessoas maduras. Você deve amadurecer, você deve ‘ser’ apenas.
Seu ser-alguém é tão pequeno. Quanto mais você é alguém, menor é. Quanto mais você é ninguém, maior se torna.

Seja absolutamente ninguém e você será um com a própria existência.

– Osho

22/02/2015 Posted by | Meditação, Pensamentos | Deixe um comentário

Feliz Ano Novo

brindeO melhor da vida é olhar para trás e sentir orgulho. É viver cada momento e construir a felicidade, aqui e agora. Claro que a vida prega partidas.

Mas, pensa comigo. Qual a piada de viver sem rir, pelo menos uma vez ao dia? Faz sentido estragar o dia por uma discussão?

Eu quero viver bem … e você? 2014 foi um ano cheio! Cheio de coisas boas, mas também de problemas, desilusões, tristezas, perdas e reencontros.

Normal … Às vezes, esperamos demais. O dinheiro que faltou, O amigo que decepcionou, O amor que acabou.

Normal … 2015 não vai ser diferente. O homem é cheio de imperfeições, A natureza tem personalidade, Nem sempre é a que se deseja, mas, e depois?

Desejo para todos sabedoria. Que todos nós vivamos isso numa boa experiência … O nosso desejo não se realizou? Paciência … não era a hora.

Chorar faz parte do ser humano … Mas, se olharmos o outro, e o mundo com generosidade, as coisas são diferentes.

Desejo para todos esse olhar especial!

2015 pode ser um ano especial, se o nosso olhar for diferente. Pode ser muito bom, se entendermos nossas fraquezas e egoísmo e dermos a volta.

Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro.

2015 pode ser fantástico, o máximo, maravilhoso, lindo, especial!

Depende de mim … Depende de você.

Pode ser … E que seja!

Feliz Ano Novo

28/12/2014 Posted by | Meditação, Mensagens, Pensamentos, Reflexões | 2 Comentários

Meditação: é mais fácil do que parece!

como-meditar-meditacaoA meditação é uma prática que existe há milhares de anos. E mesmo assim, a maioria das pessoas acha muito difícil sentar e esvaziar a mente. Porque será?

“Na cultura ocidental, somos reconhecidos pelo que fazemos e temos e pouco pelo que somos. Isto nos habitou a pensar, fazer e falar incessantemente e até quando chegamos em casa ligamos TV ou falamos ao telefone. Então não é fácil parar, sentar e aquietar a mente. Mas depois que aprendemos, o difícil passa a ser abrir mão desses minutos diários em nossa vida”, diz Sandra Rosenfeld, coach pessoal, instrutora de meditação e autora do livro “O que é Meditação” (Ed. Nova Era).

Leia aqui as dicas para você começar a meditar:

Para Leonardo Dobbin da Sangha Viver Consciente a ideia de que apenas os calmos conseguem meditar é equivocada. “Uma aparente calma externa pode esconder uma tremenda inquietação mental. Os mestres sempre comparam nossa mente a um macaco que pula de galho em galho, sempre inquieto”, diz ele.

A meditação pode ser muito útil em casos de traumas psicológicos, perdas e problemas sérios de saúde. O economista Vitor Caruso Jr. é um exemplo de como a prática mudou a sua vida. Ele descobriu que tinha câncer e a meditação foi sua grande aliada no tratamento: “Iniciei uma profunda fase de pesquisas, retiros, práticas, participação em cursos, leituras, e vivências espirituais. O resultado de tudo isto foi uma cura extraordinária, na metade do tempo em que a medicina tinha conhecimento na época.”. Desde então Vitor é escritor, professor de Yoga e meditação em Curitiba, com trabalhos publicados na área de meditação, yoga, economia e cultura de paz.

Os benefícios da prática, uma grande aliada de um corpo saudável:

” Ela ajuda na redução de problemas físicos relacionados ao stress, como hipertensão arterial, enxaqueca, insônia e dores crônicas. Reduz os batimentos cardíacos e o ritmo respiratório. Diminui a freqüência das ondas cerebrais. Diminui a síndrome pré-menstrual, ansiedade, irritabilidade e depressão. Fortalece a imunidade, aumenta a serotonina e diminui os níveis de colesterol, entre outros benefícios, explica Vitor .

Há benefícios mais sutis: “Ela também transforma a qualidade da vida diária, estimulando criatividade, exercitando as capacidades mentais e integrando o corpo e a mente”, explica Claudio Mendes Moraes, Instrutor de Meditação no Instituto Nyingma do Rio de Janeiro.

02/08/2014 Posted by | Meditação | Deixe um comentário

Se eu morrer antes de Você

Não se queixeSe eu morrer antes de você, faça-me um favor:
Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado.

Se não quiser chorar, não chore.
Se não conseguir chorar, não se preocupe.
Se tiver vontade de rir, ria.

Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão.
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.

Se me criticarem demais, defenda-me.
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam.

Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo.

Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver.

E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase:
“Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus!”

Aí, então derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar.

E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus.

Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele.
E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele.

Você acredita nessas coisas?

Então ore para que nós vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito.

Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu..
Ser seu amigo… já é um pedaço dele…”

por Chico Xavier/Emmanuel

04/05/2014 Posted by | Espiritualidade, Meditação, Mensagens, Reflexões | Deixe um comentário

Os cavaleiros na escuridão

diamante-pra-sempreNum lugar distante, muitos e muitos anos atrás, um grupo de cavaleiros viajava numa noite escura com seus cavalos já cansados. Eles passavam por uma estrada íngreme e pedregosa. O cansaço e o desânimo estavam presentes em todos os membros do grupo.

A floresta era densa e a luz das estrelas mal conseguia passar por entre as folhagens das grandes árvores. O desejo de todos era parar e dormir. Mas a viagem não podia ser interrompida.

Nisto, uma forte voz surgiu, no meio da escuridão como um trovão. A voz ordenou que desmontassem de seus cavalos e enchessem suas sacolas com as pedras que havia no chão e só depois disso continuassem a viagem. A Voz ainda alertou que ao amanhecer alguns deles estariam alegres e outros tristes.

Alguns desmontaram, outros não. Uns pegaram muitas pedras, outros pegaram poucas e, alguns, vencidos pela exaustão e pela descrença, não pegaram nenhuma pedra.
Sem muita demora seguiram viagem.

Ao amanhecer, conforme a voz anunciara, alguns estavam alegres, outros tristes. Uns alegres porque não eram pedras comuns, eram diamantes! Outros tristes, arrependidos por não terem recolhido mais pedras e, muitos por não terem recolhido nenhum diamante.

Assim também é a vida. Às vezes não enxergamos as oportunidades que estão diante de nós. Muitas vezes temos grandes oportunidades à nossa frente, mas preferimos a acomodação. Depois nos arrependemos por ter perdido a oportunidade. Aí vemos que alguém garimpou mais, acreditou mais, criou, trabalhou, persistiu.

Estes são os verdadeiros vencedores.

19/03/2014 Posted by | Fábulas, Meditação | 1 Comentário

Caminhe e medite

caminhar-na-areiaDurante a caminhada é possível aliviar a mente. Aprenda como dominar sua ansiedade

Há um jeito simples de evitar a ansiedade do dia a dia: meditar andando. “Quando praticamos a meditação andando, nossas queixas e preocupações desaparecem e descobrimos a vida”, diz em seu livro Meditação Andando o monge vietnamita Thich Nhat Hanh, grande divulgador da prática. O que ele quer dizer é que, quando andamos, devemos simplesmente andar e contemplar o momento presente. O grande desafio é levar essa prática para as ruas movimentadas da cidade e aos corredores do trabalho, não é?

Primeiro passo

A monja budista Coen explica que andar com mais pessoas tem lá suas vantagens. “Quando estamos em grupo, ele serve como um apoio, um incentivo para a prática. O importante é perceber que nossa vida está no lugar onde estamos e não naquele para onde vamos – ela está onde nossos pés estão”.

Foi isso que perceberam os monges budistas há cerca de 2 mil anos: durante os intervalos das meditações sentadas eles saíam para andar e, assim, aliviar as pernas, que ficavam muito tempo paradas. E viram que, durante a caminhada, também era possível aquietar a mente – que é o objetivo da meditação.

Respiração consciente

Antes de sair batendo perna por aí, saiba que existem alguns conselhos preciosos para a meditação andando dar certo. A postura é importante: mantenha sempre o quadril encaixado e a coluna ereta. Com o corpo relaxado, preste atenção na respiração – ela é um elo entre o corpo e a mente.

Durante a caminhada, um exercício simples é, ao inspirar, dizer para si mesmo “inspirando” e, ao expirar, dizer “expirando”. Outra técnica é contar os passos dados a cada movimento respiratório. Não tente controlar nem se esforçar. Deixe seus pulmões dizerem o tempo e a quantidade de ar que precisam para um caminhar suave e confortável. A duração da inspiração não tem que ser a mesma da expiração. Evite conversar, para não dispersar.

Mantenha o olhar para a frente e, caso fique com vontade de ver alguma coisa, pare, contemple e depois continue com a caminhada. Mas o que fazer com os pensamentos que pipocam na cabeça? “Os pensamentos surgem, você os observa e depois volta para o momento presente”, disse Coen. “A impressão que as pessoas têm é que a gente desliga do resto, mas é o oposto: sentimos a presença de tudo, com todos os canais de percepção abertos, mas sem julgar”.

Thich Nhat Hanh diz que, como os bebês, precisamos aprender a andar de novo – de maneira mais vagarosa, com mais alegria e naturalidade. “Se prestar atenção, poderá observar todas as preocupações e ansiedades das pessoas impressas no chão. São passos pesados”, diz o monge. Um jeito de reeducar cada passada é ficar atento ao contato dos pés com o solo.

Não importa tanto a velocidade dos passos: você pode andar lentamente, pé ante pé, e sua cabeça estar num tumulto, ou andar mais rápido e sentir prazer nisso. O importante é estar consciente. O monge Phap Nhan disse que uma maneira de saber se você está praticando bem é sentir muito prazer ao caminhar.

Thich Nhat Hanh

Em todos os livros do monge há um ensinamento que é sempre destacado: a importância da conscientização de cada ato da nossa rotina diária. Para ele, a meditação não se dá apenas nos centros, mas nos pequenos atos do dia-a-dia. Thich Nhat Hanh é um grande exemplo com sua própria história de vida. Nasceu no Vietnã em 1926 e foi ordenado monge zen-budista com apenas 16 anos. Durante a guerra no Vietnã, renunciou ao isolamento monástico para ajudar seu povo ativamente. Criou junto a um grupo de professores e estudantes universitários a Escola da Juventude para o Serviço Social, na qual equipes de jovens ajudavam a fundar nos campos escolas e clínicas de saúde e a reconstruir os lugarejos destruídos pela guerra. Trabalhou pela conciliação entre o Vietnã do Norte e o do Sul, o que o levou ao exílio em 1966. Viajou pelo mundo para conversar com líderes em defesa da paz e seus ideais fizeram com que Martin Luther King o indicasse para o Prêmio Nobel da Paz em 1967.

15/02/2014 Posted by | Meditação | Deixe um comentário