PrimeLife (Ano VIII)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Os Homens que amam as Mulheres

Amar é uma arte, e como qualquer arte, melhora com a prática.

“O amor infantil segue o princípio: amo porque me amam. O amor maduro obedece ao princípio: sou amado porque amo. O amor imaturo disse: amo porque preciso de você. O amor maduro respondeu: eu preciso de você porque o amo”. Erich Fromm

Existem muitas especulações e mitos no imaginário coletivo sobre como deve ser “um homem de verdade,” e eles nunca foram substituídos ou complementados por outros mais construtivos.

Muitas vezes, falamos da paixão com sendo algo incontrolável. Pode ser emocionante no início, mas na realidade os protagonistas passam a ser carrascos da sua própria história se essa paixão obsessiva tornar-se tóxica.

Suas paixões se transformam em verdadeiras prisões, muito diferentes e sem a magia das histórias românticas.

Quando a paixão se transforma em um turbilhão de ciúmes e uma sequência de erros e reprovações, esquecemos o romance construtivo e a magia, transformando a vida em amargura e tristeza.

Poucos filmes de Hollywood nos mostram como é uma convivência amorosa, um intercâmbio de vida. Com a intimidade, a convivência deixa de ser misteriosa para os casais.

No entanto, para aqueles que desejam viver uma história de amor arrebatadora, na versão real e sem censuras, o filme “Amour” de Michael Haneke, pode ser uma ótima opção para entender realmente o que é amor, baseado na intimidade e respeito mútuo.

O charme irresistível dos homens que sabem compartilhar

Atualmente, os homens que desejam compartilhar, aprender e conhecer, estão muito desvalorizados.

Pode ser relativamente fácil encontrar um homem que deseja se tornar um herói e conquistador. O difícil é encontrar um homem que deseja se transformar na sua versão mais perfeita, grato pelo dom da razão humana, buscando melhorar e não dominar.

Esse modo de pensar e agir encanta os corações que cruzam o seu caminho. Eles são refletidos através de um anseio, um suspiro, um sonho repetido no mundo das mulheres.

Um sonho que nunca vai se transformar em um pesadelo; será sempre um sonho compartilhado.

Os homens que amam as mulheres

Os homens que amam as mulheres… São sempre correspondidos; são inesquecíveis para as mulheres que tiveram o prazer de conhecê-los.

Os homens que amam as mulheres não se impõem, não são obcecados pela sedução, mas gostam de ser seduzidos.

Não são atraídos pela fama das mulheres que o acompanham, mas por suas qualidades.

O mais importante é a luta da mulher por sua identidade, sua honestidade e as virtudes conquistadas ao longo da vida.

Ficam felizes com o sucesso e realizações de suas companheiras, porque acreditam que a felicidade do casal só pode ser completa quando compartilhada.

Estão cientes de que o amor pode acabar um dia; mas nem por isso deixam de viver essa paixão.

Eles apreciam o valor da estabilidade e da rotina, desde que sejam baseadas na liberdade; duas almas que vivem e desejam permanecer juntas.

Enfim, os homens que amam as mulheres amam de uma forma que não causa sofrimento, que não machuca. Soltam com arte os cordões com os quais a sociedade nos prende, e não temos outra escolha, senão continuar ao seu lado.

Edição: Haroldo Wittitz

Anúncios

15/04/2018 Posted by | Comportamento | Deixe um comentário

Mentira

As únicas pessoas que se enfurecem ao ouvir a verdade, são aquelas que vivem a mentira.

14/04/2018 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Percebemos a educação de uma pessoa pela maneira como ela discorda de nós

A maneira como lidamos com o que frustra nossas expectativas e com quem nos rejeita diz muito sobre quem somos, da mesma forma acontece com nossas discordâncias. Ao longo dos dias, teremos que discordar de muitas pessoas, teremos que argumentar e fazer valer o nosso ponto de vista, teremos que confrontar várias pessoas que pensam completamente diferente de nós, inclusive convivendo com muitas delas em ambientes que nos forçarão a isso.

Não conseguiremos fugir a locais de trabalho, a salas de aula, a encontros sociais, onde haja quem discorde de nós, onde nem todos pensarão como nós. E ouviremos gente confrontando-nos em nossas convicções, desequilibrando nossas verdades, algumas vezes de forma deseducada e agressiva. Porque a muitos será impossível repensar os próprios caminhos – não sejamos nós quem não reflete sobre si mesmo.

 É extremamente saudável quando podemos confrontar nossas ideias com ideias contrárias, uma vez que é assim que rompemos com o que impede os avanços a que temos direito, à medida que oxigenamos nossa mentalidade. O mundo vive em constante transformação e essa ressignificação também deve fazer parte de nós, enquanto nos ajustamos frente ao novo, que sempre vem.

Infelizmente, muitas pessoas confundem argumentação com gritaria, com imposição, como se todos fôssemos obrigados a dizer amém a tudo que elas dizem, como se estivessem sempre certas. Existem muitos tiranos por aí, prontos a ditar regras aos outros, impondo suas ideias e não aceitando serem contraditos, em hipótese alguma. Não sabem ouvir não, não suportam ser contrariados – os adultos mimados vida afora.

Por permanecerem presos ao egocentrismo, por recusarem-se a crescer, acabam se destemperando além da conta quando se veem confrontados no que julgam ser inquestionável, inabalável. E encontram no tom de voz alto e na agressividade recursos com que tentam esconder a incapacidade de defender o que querem com mínima coerência. Como dizem, carroças vazias são as mais barulhentas.

Bom mesmo é encontrar quem discorda de nós e consegue desenvolver uma discussão equilibrada, rica e produtiva. É somente assim que o conhecimento se espalha e a gente se torna melhor. Não existe quem consiga se desenvolver rodeado somente de ovelhas dóceis e obedientes, pois são as diferenças que nos tornam únicos e especiais, à nossa maneira. Mas com educação, por favor.

Edição: Haroldo Wittitz 

 

14/04/2018 Posted by | Comportamento | Deixe um comentário

Pessoas III

Na vida você encontrará três tipos de pessoas: aquelas que irão mudar a tua vida, aquelas que irão te prejudicar a tua vida e aquelas que serão a tua vida.

13/04/2018 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Mindset

  • As pessoas têm certo nível de inteligência e não se pode fazer muito para modificá-lo.
  • Há algo que sempre quis fazer, mas tive medo de não saber fazer bem e por isso desisti.
  • Quando dizem que não sou capaz, eu me frustro e desisto.
  • Meus pais e professores sempre disseram que sou inteligente. Mas quando vejo um desafio que não sei resolver, arrumo uma desculpa para evitar enfrentá-lo.

Essas frases soam comuns para você?

Pois bem, elas representam algumas das muitas crenças enraizadas e disseminadas pela sociedade, das quais crescemos acreditando serem verdadeiras e imutáveis. Chamamos isso de mindset, crenças poderosas que estão na nossa mente e nos levam a acreditar, ou não, em nosso potencial.

Saber quais crenças patrocinam nossos pensamentos, comportamentos e atitudes e quais são seus mecanismos é extremamente importante para todo aquele que deseja a evolução e reinvenção constante, uma vez que elas têm forte influência sobre aquilo que desejamos e sobre nossas chances de consegui-lo.

O mindset determina justamente aquelas crenças a respeito de si mesmo que orientam grande parte da sua vida. E são essas crenças que irão impulsionar, ou não, todo o potencial e capacidade que cada ser humano,sem dúvida possui, mas que muitas vezes nem imagina.

Tipos de Mindset

Existem basicamente dois tipos de mindset: o mindset fixo e o mindset de crescimento.

É importante saber que tipo de mindset predomina na sua vida para determinar que mudança de comportamento e realização você busca.

1- Mindset Fixo

O mindset fixo é caracterizado por aquelas pessoas que acreditam que suas capacidades e qualidade são imutáveis, cuja inteligência é estática, pois já se nasce com talento ou não. E por acreditar que as habilidades são inatas, não acreditam e evitam o esforço, acham que já sabem tudo, precisam logo ser e não vir a ser.

Geralmente são pessoas que têm necessidade de serem elogiadas, pois acreditam serem superiores e mais talentosos que os outros. Não suportam o fato de terem debilidades, deficiências e falhas, já que isso é sinal de fracasso para eles. Por esse motivo temem os desafios e desvalorizam o esforço.

Em resumo, o sucesso é ser mais bem dotado do que os demais; o fracasso realmente os classifica; e o esforço é para aqueles que não conseguem ter êxito por meio do talento.

2- Mindset de crescimento

Já aqueles que apresentam o mindset de crescimento são atraídos pelos desafios e sabem que os talentos são importantes, mas não fundamentais. Os talentos podem ser o ponto de partida do desenvolvimento, mas não o fim.

Estão dispostos a assumir os riscos, enfrentar os desafios e continuar a se esforçar. Isso porque a paixão está na busca de seu desenvolvimento e persistem nesse caminho mesmo quando as coisas não vão bem. Esse é o principal diferencial de quem possui o mindset de crescimento.

Eles não apenas buscam o desafio, mas prosperam com ele. Reconhecem os desafios como oportunidade de conhecer fraquezas que precisam ser fortalecidas e com o treino constante, a habilidade é então desenvolvida. Por isso, os erros, as críticas construtivas e os feedbacks são vistos positivamente, porque a partir deles é possível obter informações que possam aumentar seu conhecimento e enriquecer seu processo de aprendizagem.

Para eles os fracassos podem até ser dolorosos, mas não os definem. Pois, não se trata da perfeição imediata, mas sim de adquirir um conhecimento a longo prazo que permita dominar o processo e se superar. O foco aqui não é achar que é competente para realizar algo e sim desejar fazê-lo e ter prazer nisso.

Em resumo, o sucesso significa ser o melhor de você mesmo, e não ser melhor do que os outros; o fracasso é uma circunstância, e não uma condenação; e o esforço é a chave do sucesso.

Questione-se!

Sabendo da existência desses dois mindsets, questione-se: qual deles é mais predominante na sua vida? Será que não é isso que está te limitando mentalmente para alcançar maiores realizações?

Os cientistas estão percebendo que as pessoas têm maior capacidade do que se imagina para aprender e desenvolver o cérebro durante a vida. Portanto, saiba que somos capazes de fazer muito mais do que acreditamos e imaginamos.

Claro que cada um possui uma dotação genética específica, podem ter diferentes temperamentos e aptidões no início da vida, mas a experiência, o treinamento e o esforço pessoal determinam o restante do percurso.

Pode ser difícil mudar, mas não há dúvida que vale a pena. Você é quem tem que decidir se a mudança é necessária e adequada neste momento.

Fica a dica 

Comece pelo básico. Quando enfrentar obstáculos, perceba quais crenças o dominam e quais são as consequências, bem como os resultados que você espera alcançar. Observe se suas crenças estão de acordo com seus objetivos, faça os ajustes necessários e siga em frente!

Edição: Haroldo Wittitz

13/04/2018 Posted by | Desenvolvimento Pessoal | Deixe um comentário

Dicas para acabar com a timidez

A timidez assim como a ansiedade atinge muitos jovens e adultos. Apesar de seus sintomas não trazerem consequências para saúde, a timidez causa perdas de grandes oportunidades. A falta de comunicação e relacionamento deixa a pessoa em desvantagens. Temos dicas e ferramentas para que você possa alcançar o sucesso. Se está lendo esse texto é porque não basta apenas ter essas ferramentas, é preciso vencer essa barreira que te impede de vencer, a timidez. Aqui vão 5 dicas:

1) Tenha em mente que todos são humanos.

A timidez nos faz sentir inferiores, sem capacidade. Eu costumava enxergar as pessoas como superiores, e que qualquer ação minha resultaria em crítica ou deboche. Tenha em mente que são cidadãos com defeitos e virtudes iguais a você.

2) Não tenha medo da vergonha.

A timidez traz consigo alto índice de vergonha. É comum nos sentirmos acanhado com pessoas novas e, assim como você, elas se sentem inseguras. As pessoas tendem a ter certa insegurança quando se trata de algo novo. Não se acanhe e mostre segurança. Levante a cabeça e mantenha postura.

3) Desenvolva a comunicação.

Uma característica comum em pessoa tímida é não expor seu ponto de vista em meio a interações sociais. Como diz o ditado “quem cala consente”. Desenvolva uma boa comunicação, faça oratória, não tenha medo de falar em púbico, todos estão do mesmo lado disseminando conhecimento. Comunicar não consiste apenas em falar e sim quando falar e o que falar. Trabalhe ela, pois é uma ferramenta valiosíssima.

4) Não se esconda.

A timidez traz a vontade de desaparecer. Como já dito antes, ninguém fica observando nossos passos para saber se temos medo ou não, há coisas mais importantes para se preocuparem do que ficar olhando mais um ser humano. Lembre-se: somos apenas mais um no mundo. Olharão para você da mesma maneira que olham para milhares de outras pessoas.

5) Foque em suas qualidades.

Assim com você, todos possuem defeitos. O segredo é focar em suas qualidades. Por exemplo, se você é bom em algum instrumento musical, exercite esse talento e verá que as pessoas irão reconhecer essa qualidade em você. Elas estão ali para ver sua progressão. Desenvolva os pontos fracos e progrida em seus pontos fortes.

Enfim, esses são alguns passos, pois não existe um método certo ou uma “receita de bolo” para vencer a timidez. São exemplos tirados da convivência com esse fardo da timidez. Agora você já deve ter as ferramentas certas e a alma pronta para progredir nesse trajeto de sonhos e objetivos.  Vamos começar?

Edição: Haroldo Wittitz

13/04/2018 Posted by | Autoconhecimento, Comportamento | Deixe um comentário

Se você

Se você exige respeito, seja uma pessoa digna de respeito.

Se você exige o direito de liberdade, não tente tirar a liberdade dos outros.

Se você gosta de mostrar sua opinião, vai ter que aprender a aceitar a opinião dos outros.

12/04/2018 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Ausência sentida

Trabalhe por uma causa, não por aplausos.

Viva a vida para expressar, não para impressionar.

Não se esforce para fazer a sua presença notada, basta fazer a sua ausência sentida.

11/04/2018 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Erros comuns na hora de degustar vinhos

Na hora de degustar um bom vinho, algumas dúvidas podem surgir. O que diz a etiqueta? Posso harmonizar do jeito que eu quiser? E a temperatura? Veja as possíveis dúvidas..

Ter o prazer de apreciar um bom vinho é uma experiência fantástica. Porém, algumas dúvidas podem surgir no momento da degustação. Veja erros mais comuns:

1 – Julgar o vinho pelo seu vedante

A rolha de cortiça maciça é, sem dúvida, o vedante queridinho de muita gente. Por isso, há gente que não vê com os melhores olhos as tampas de rosca (screw cap), sintéticas e de vidro (vinolok), na preferência popular.

Se a rolha de cortiça possui toda sua tradição e charme como aliada, aposte na tampa de rosca vedante que é tendência mundial e traz modernidade e praticidade. Ela dispensa o uso de saca-rolhas para praia ou piscina, por exemplo. Já a vinolok tem um charme único e ainda permite reutilizar a garrafa depois.

2 – Servir vinhos em temperaturas diferentes das indicadas

Para algumas pessoas, a temperatura do vinho pode passar despercebida, como um detalhe, mas na verdade esse aspecto é de extrema importância e faz muita diferença na sua experiência.

Uma das crenças mais difundidas é que o vinho deve ser degustado à temperatura ambiente. Porém, os estudos que apontam essa prática se referem a locais de temperatura amena a fria, onde 15, 16°C são corriqueiras.

Em relação aos aromas, se o vinho estiver muito gelado, entre 9 e 10°C, por exemplo, eles tendem a ficar mais difíceis de se perceber. Por outro lado, se estiver em alta temperatura, como 25°C, o álcool será predominante. Outro ponto é que, quanto mais baixa a temperatura do vinho, mais seus taninos e amargor se evidenciam. Confira a temperatura ideal de cada tipo de vinho.

3 – Encher muito a taça

É preciso ficarmos atentos com a quantidade de vinho a ser servida. O ideal é ocupar ⅓ da taça. Se for servida muita quantidade, a tendência é que ele esquente antes mesmo da pessoa terminar de degustar todo o volume. Nesse caso, é até capaz de haver desperdício.

Como regra geral, nunca é bom servir mais da metade da taça, para a pessoa poder aproveitar ao máximo aquele volume de vinho na temperatura recomendada.

4 – Segurar a taça pelo bojo

Pela etiqueta, não existe uma regra única de como se segurar a taça. Entretanto, é recomendado segurá-la pela haste (parte da taça que liga a base ao bojo), pois assim evitamos sujar o bojo da taça, principalmente, quando houver harmonização.

Além de manter a temperatura do vinho que, em contato com a mão, aquece e perde rapidamente sua temperatura ideal de consumo.

5 – Ingerir outras bebidas fortes durante a degustação

Em uma degustação de vinhos, qualquer outro elemento pode acabar prejudicando sua experiência. Se esse elemento tiver aromas e sabores fortes, os sentidos ficam prejudicados e o vinho poderá revelar características desagradáveis que não seriam sentidas antes.

Por isso, evite ingerir destilados, cafés ou chás pouco antes ou durante a degustação. Para acompanhar um bom vinho, nada melhor do que uma taça de água.

6 – Ordem de serviço no “achômetro”

Quer degustar mais de um tipo de vinho e não sabe por onde começar? Não se assuste! Em vez de ir no “achômetro”, criamos uma tabelinha superprática para servir os vinhos na sequência correta:

  • Peso: Leves → médio corpo → encorpados
  • Tipo: Espumantes → brancos → rosés → tintos
  • Doçura: Secos → meio secos → doces

7 – Ignorar o poder da harmonização

A arte de combinar vinhos e comida se baseia no estudo das interações químicas que explicam o sucesso quase unânime das combinações consagradas. Por exemplo, churrasco argentino e Malbec, bem como o porquê de certas combinações serem rejeitadas pela maioria, como harmonização de ovo com vinho.

O objetivo buscado é o equilíbrio, pois um vinho sensacional pode “matar” um prato delicioso e vice-versa. A ideia é que a união do vinho e da gastronomia garantam um prazer maior do que a presença de cada um deles separadamente. E aqui, cabe pão com azeite, salgadinho de festa, pipoca, pizza de supermercado ou mesmo do delivery. O importante é potencializar seus momentos!

8 – Armazenar inapropriadamente

Você pode deixar vinhos e espumantes dentro de caixas fechadas ou em armários. Busque por um ambiente sem luz direta. É muito importante não deixá-los em ambientes que recebam fontes de calor, como cozinha, varanda ou próximo a janelas. O local deve ser o ambiente que possui a temperatura mais amena da residência.

A temperatura média tida como ideal para conservação do vinho é 13°C, aceitando um máximo de variação de 2°C ao ano. Quanto mais calor o vinho pegar, maior a velocidade das reações químicas, fazendo com que o amadurecimento do exemplar seja muito mais rápido. Assim, ele vai se perder em um tempo mais curto também.

Para a rolha não ressecar e levar ao vazamento do vinho, mantenha-o em um ambiente com a umidade relativa entre 65% a 70%. Baixa umidade pode ressecar a rolha e excesso pode facilitar o surgimento de mofo. O local onde o vinho será armazenado precisa ser livre de trepidação (pequenos tremores). Caso deseje, pode também optar por comprar uma adega portátil.

9 – Não tomar água

A presença da água junto à taça de vinho é de suma importância, pois nossa bebida preferida, assim como outras bebidas que contém álcool, são diuréticas e ajudam na desidratação do corpo humano.

Além disso, se você vai beber vários tipos de vinhos, a água ajuda a limpar o paladar, entre um exemplar e outro. A sensação de bem-estar será muito maior na presença dela e ajudará a evitar o efeito do álcool no dia seguinte.

10 – Achar que só vinho caro é bom

O primeiro ponto é entender que o gosto pessoal que irá definir qual é o melhor vinho para você. Se você já fez alguma degustação às cegas, pode ter se surpreendido. Você pode ter percebido que o melhor vinho para você não era o mais caro daquela mesa e, às vezes, nem mesmo o mais apreciado pela maioria.

A sugestão é ter experiências baseadas na uva, no terroir, no tipo de amadurecimento ou outros pontos, e que o preço seja apenas uma delas, não a principal.

11 – Se apegar apenas a um vinho, uma linha ou um estilo

O mundo do vinho tem mais sentido ao ser chamado de universo, pois é praticamente impossível, em uma única vida, degustar todos os tipos de uvas, terroirs, tipos de vinificação, amadurecimento e afins.

Portanto, se permita sempre conhecer uma novidade e aqui cabe um clichê: cada garrafa vazia aberta é uma fonte inesgotável de conhecimento. Aumente seu leque de oportunidades e, quem sabe, de gosto pessoal!

09/04/2018 Posted by | Vinhos | Deixe um comentário

Que

Que estejamos presentes em memórias alheias.

Que alguém já distante lembre-se do nosso sorriso e se sinta acolhido.

Que o nosso bem faça bem ao outro.

Que sejamos a saudade batendo no peito de uma velha amizade.

Que sejamos o amor que alguém nunca esqueceu.

Que sejamos um alguém que sorriu na rua e o desconhecido encantou-se.

Que sejamos, hoje e sempre, uma coisa boa que mora dentro de cada um que passou por nós.

09/04/2018 Posted by | Comportamento, Reflexões | Deixe um comentário