PrimeLife (Ano VIII)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Dicas para acabar com a timidez

A timidez assim como a ansiedade atinge muitos jovens e adultos. Apesar de seus sintomas não trazerem consequências para saúde, a timidez causa perdas de grandes oportunidades. A falta de comunicação e relacionamento deixa a pessoa em desvantagens. Temos dicas e ferramentas para que você possa alcançar o sucesso. Se está lendo esse texto é porque não basta apenas ter essas ferramentas, é preciso vencer essa barreira que te impede de vencer, a timidez. Aqui vão 5 dicas:

1) Tenha em mente que todos são humanos.

A timidez nos faz sentir inferiores, sem capacidade. Eu costumava enxergar as pessoas como superiores, e que qualquer ação minha resultaria em crítica ou deboche. Tenha em mente que são cidadãos com defeitos e virtudes iguais a você.

2) Não tenha medo da vergonha.

A timidez traz consigo alto índice de vergonha. É comum nos sentirmos acanhado com pessoas novas e, assim como você, elas se sentem inseguras. As pessoas tendem a ter certa insegurança quando se trata de algo novo. Não se acanhe e mostre segurança. Levante a cabeça e mantenha postura.

3) Desenvolva a comunicação.

Uma característica comum em pessoa tímida é não expor seu ponto de vista em meio a interações sociais. Como diz o ditado “quem cala consente”. Desenvolva uma boa comunicação, faça oratória, não tenha medo de falar em púbico, todos estão do mesmo lado disseminando conhecimento. Comunicar não consiste apenas em falar e sim quando falar e o que falar. Trabalhe ela, pois é uma ferramenta valiosíssima.

4) Não se esconda.

A timidez traz a vontade de desaparecer. Como já dito antes, ninguém fica observando nossos passos para saber se temos medo ou não, há coisas mais importantes para se preocuparem do que ficar olhando mais um ser humano. Lembre-se: somos apenas mais um no mundo. Olharão para você da mesma maneira que olham para milhares de outras pessoas.

5) Foque em suas qualidades.

Assim com você, todos possuem defeitos. O segredo é focar em suas qualidades. Por exemplo, se você é bom em algum instrumento musical, exercite esse talento e verá que as pessoas irão reconhecer essa qualidade em você. Elas estão ali para ver sua progressão. Desenvolva os pontos fracos e progrida em seus pontos fortes.

Enfim, esses são alguns passos, pois não existe um método certo ou uma “receita de bolo” para vencer a timidez. São exemplos tirados da convivência com esse fardo da timidez. Agora você já deve ter as ferramentas certas e a alma pronta para progredir nesse trajeto de sonhos e objetivos.  Vamos começar?

Edição: Haroldo Wittitz

Anúncios

13/04/2018 Posted by | Autoconhecimento, Comportamento | Deixe um comentário

Vícios

Uma forma de encobrirmos os nossos medos são os vícios. Os vícios suprimem as emoções, deixamos de senti-las.
 
No entanto, há toda a espécie de vícios, além das drogas. Existe aquilo a que eu chamo os vícios padrão: padrões a que recorremos para evitar viver a nossa vida no presente.
 
Se não quisermos lidar com a situação que se apresenta a nós, se não quisermos estar onde estamos, arranjamos um padrão que nos isola dessa realidade. Para alguns é o vício da gula, para outros são as drogas.
 
Pode ser que a pré-disposição para o alcoolismo seja genética, mas a opção de alimentar essa doença é sempre uma escolha individual.
Frequentemente fala-se de problemas hereditários. Na verdade o que se passa é que a criança aceita o modo dos pais de enfrentarem o medo.
 
Outros sofrem de vícios emocionais. Uma pessoa pode ser viciada em encontrar defeitos nos outros. Aconteça o que acontecer, há de haver sempre alguém sobre quem jogar a culpa. “A culpa é deles, fizeram-me isto.”
 
Pode haver quem tenha o vício de acumular contas. Há pessoas viciadas em dívidas: fazem tudo o que for preciso para estar endividados até os cabelos. E isto, normalmente, não tem nada a ver com o fato de se ter muito ou pouco dinheiro.
 
Também podemos ser viciados na rejeição. Onde quer que se vá, atraímos as pessoas que nos rejeitam. Temos um jeitinho especial para encontrá-las. Todavia, a rejeição vinda do exterior é um reflexo da nossa própria rejeição. Se não nos rejeitarmos, ninguém o fará, e se alguém o fizer, também pouco importa. Faça a si próprio a pergunta: “O que é que eu não aceito em mim?”
 
Há muitas pessoas viciadas na doença. Estão sempre com qualquer coisa ou então estão muito preocupadas com a próxima. Parecem membros do “Clube da Doença do Mês.”
 
Se a questão é sermos viciados, porque não nos viciarmos no amor por nós próprios? Podemos cultivar o vício de fazer afirmações positivas ou de fazer coisas que contribuam para o nosso bem!

19/03/2018 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

FEAR? WHAT THE F*CK IS THAT?

Na verdade o medo é uma coisa boa! Coragem e medo vão de mãos em mãos. Costumava pensar que as pessoas eram corajosas quando escolheram fazer coisas que outros teriam medo de fazer.

Eu estava errado.

Só podiam ser corajosas em fazer coisas que tinham medo de fazer. A coragem não existe na ausência de trepidação. A fisiologia pode ser enganosa.

A verdade é que o medo está destinado a manter-nos seguros. A maioria das pessoas conhece a resposta  da luta ou do voo. Quando as nossas vidas estão ameaçadas, a fisiologia começa a proteger-nos. Estamos programados  para a autopreservação. O medo é instrutivo.

Quando se estabeleceu que a vida não está em perigo, o medo tornar-se útil de uma forma muito diferente. Em conclusão, o medo não é um problema. A nossa reação aos nossos medos é a questão. Ao fazer do medo um adversário, perdemos o desafio de decifrar a mensagem que nos está sendo enviada. Quando escolhemos fazer dele um aliado, ganhamos muito mais.

Portanto, vamos fazer do medo um aliado.

15/03/2018 Posted by | Autoconhecimento | 4 Comentários

Mindfulness

As grandes mudanças vêm precedidas de pequenas sacudidas, de tímidas variações diárias que têm o poder de mudar a nossa vida na direção correta. O Mindfulness pode nos ajudar a conseguir isso, e essas cinco chaves nos permitirão aprender a ser mais conscientes do momento presente para realizar mudanças reais em pouco tempo.

Todos sabemos que quando falamos de felicidade, não existem milagres. O que existe é a força de vontade e a mente aberta que dia após dia e pouco a pouco vai sendo mais perceptiva a tudo o que acontece ao seu redor para intuir oportunidades. Para cruzar a porta certa no momento certo.

Um dos maiores inimigos que nos separa destes limiares de oportunidade é sem dúvida a “mente errante”. Tanto é que, segundo nos revelam vários estudos, nós passamos cerca de 30 a 40% do nosso tempo na posição de “piloto automático”.

Viver uma vida rotineira onde nos transformamos em meros passageiros em vez de comandantes é como deixar a nossa própria felicidade nas mãos do destino.

Isso não é o mais adequado. Por isso, propomos que você faça algumas mudanças. Te convidamos a incluir no seu dia a dia essas cinco chaves para ver resultados diretos em 15 dias.

  1. Seja receptivo às suas emoções, o melhor momento para lidar com elas é AGORA

O Mindfulness é, acima de tudo, uma filosofia de vida; uma ferramenta para desenvolver uma consciência mais plena com o nosso momento presente e o que acontece nele.

  • Nada disso teria sentido se não prestássemos atenção nas nossas emoções. Aspectos como a decepção, o nojo, a contradição ou a raiva não podem ser colocadas dentro de uma pasta do disco rígido do nosso cérebro.
  • Nós devemos geri-las, entender essas emoções, tomar o controle desse mundo interior sem adiar.
  1. O Mindfulness ensina a parar de julgar

Aprenda a viver sua própria realidade sem julgar. Os outros têm todo o direito de fazer, entender e viver sua vida como desejam.

  • A sua vida é sua, seja responsável por ela e evite fazer julgamentos sobre os universos alheios ao seu. Algo tão simples permitirá que você disponha de um estado de calma e equilíbrio adequado a partir de hoje.
  1. Seja receptivo, escute, aprenda a estar presente

Faça isso, apague neste exato momento o som incessante e repetitivo dos seus pensamentos.

  • Agora abra os olhos, mas não só para olhar: “veja” com maior calma tudo aquilo que o rodeia.
  • Diminua o ritmo da sua vida, pare e respire.
  • Agora, aprenda a escutar. Você tem “ouvido” sons durante muito tempo, mas é hora de sentir, de ver e ouvir com o coração, com o centro da sua mente.

“Em um coração livre de tensões, o amor flui em todas as direções.”-Maharishi-

Da mesma forma, outra ferramenta excepcional para aprender a estar mais presente é gerir melhor o nosso tempo. Se você deseja ter uma vida mais plena, é necessário aprender a aplicar filtros mentais adequados e a concentrar todas as suas energias e recursos pessoais nesse propósito de vida que tem em mente.

  1. Deixe de lado o “EU TENHO QUE SER” para praticar o “EU SOU”

Nós passamos grande parte da nossa vida sendo o que os outros esperam de nós. Nos esforçamos para agradar, para ser o que os outros querem… Tudo isso é fonte de sofrimento desnecessário que nos leva a uma dura infelicidade.

  • Faça mudanças. Substitua o “eu tenho que ser” pelo “eu sou”.
  • A meditação pode ser uma grande aliada para lembrar-nos de quem somos e entrarmos em contato com o nosso verdadeiro eu no momento presente.

Não podemos nos esquecer de que a ferramenta essencial do Mindfulness é, sem dúvidas, a meditação.

  1. Pratique a aceitação

Praticar a aceitação no nosso dia a dia não significa nos rendermos diante de tudo aquilo que acontece ao nosso redor.

  • Significa, em primeiro lugar, aceitarmos a nós mesmos e as nossas emoções presentes.
  • A aceitação também nos permite entender realidades alheias às nossas e a respeitá-las.
  • Da mesma forma, saber aceitar é falar o idioma do coração onde se conjugam a tolerância e a compreensão. Só assim seremos capazes de iniciar mudanças, de abrir as portas em direção ao nosso bem-estar interior.

Para concluir, estas cinco chaves são como janelas que espreitamos todos os dias para ver e entender a vida de outro modo.

O Mindfulness é o melhor marco para nos aproximarmos de uma felicidade mais plena e mais autêntica.

Não hesite em aproveitar suas ferramentas, em permitir-se ser guiado por especialistas da área.

A formação é sempre o modo mais simples e prático de conseguir resultados diretos em pouco tempo.

16/09/2017 Posted by | Autoconhecimento, Comportamento, Psicologia | Deixe um comentário

Autenticidade: tudo começa com você

Toda vez que você é desonesto consigo mesmo, você coloca obstáculos ao seu Fluxo.

Toda vez que você é desonesto com os outros, você coloca barreiras no Fluxo entre você e eles.

Mentiras criam separação energética. Separação entre você e sua própria fé, e separação entre você e os outros.

Separação e resistência ao Fluxo causam desconforto profundo em você.

Alguns de vocês têm medo de mostrar-se em sua verdade, porque tem medo da rejeição.

Mas não ser fiel a si mesmo é, de fato, a rejeição de si mesmo.

Não mostrar-se em sua verdade é, em certo sentido, rejeitar os outros.

A mesma coisa que você teme é perpetuada pela sua falta de autenticidade.

Mostrar-se de maneira autêntica, é fundamental para todos os seres humanos neste momento. Ao fazer isso, você vai dar aos outros a oportunidade de se conectarem com você de uma maneira verdadeiramente significativa.

Dá aos outros a oportunidade de mostrar-lhes o Amor Incondicional, que abre o caminho para você começar a aceitar e a amar a si mesmo, também.

Também permite que você crie para si os encontros perfeitos e se libere de quaisquer obstáculos entre você e a vida que você estava destinado a viver.

É isto que as energias estão apoiando neste momento, e por causa disso, qualquer escolha que não esteja em consonância com a sua verdade se tornará mais e mais impossível de suportar.

Caros, não há nada mais glorioso do que você mostrar-se autenticamente, na sua verdade, em sua perfeição imperfeita.

É estar liberando e unindo, exatamente o que sua alma está ansiando para fazer.

É onde está a sua maior força, porque é abraçando a sua verdade que o leva a reconhecer-se como um aspecto individualizado da Fonte.

A autenticidade abre o caminho para a aceitação e unidade, serviço e suporte, que é exatamente o que você e seu mundo mais precisam, e como todas as outras coisas, tudo começa com você.

18/07/2017 Posted by | Autoconhecimento | 3 Comentários

Lei da Atração, ela realmente funciona?

Nos últimos tempos a Lei da Atração virou moda.

Uma infinidade de publicações chegam às nossas mãos diariamente.

Na verdade, esse é um assunto bem antigo, mas que voltou à tona após o lançamento do best seller “O Segredo” de Rhonda Byrne.

Várias foram as pessoas que acharam que bastava ficar pensando em uma casa, um carro, um namorado e pronto, em pouco tempo estava materializado na sua frente. É claro que nada disso acontecia e pareceu, então, um grande engodo para se vender muitos livros.

Mas a verdade é que a Lei da Atração realmente existe e funciona, quer a gente queira ou não.

É uma Lei Universal que existe até como uma ferramenta para o nosso processo evolutivo.

O problema é que nós não sabemos realmente como usá-la e por isso, acreditem ou não, ela trabalha a maior parte do tempo contra nós.

A Lei da Atração, a despeito de como todo mundo imagina, não acontece por conta dos nossos pensamentos e sim por causa das vibrações dos nossos pensamentos quando gerados pelas nossas emoções e crenças.

Esse é que é o grande segredo e, ao mesmo, tempo o grande problema.

Tudo é energia no Universo, nós somos energia, nossos pensamentos, quando motivados por fortes emoções e crenças são energias poderosíssimas.

A Lei da Atração diz que uma vibração emitida atrai, pela sintonia, o mesmo tipo de vibração.

Nós somos seres negativos em nossa essência, a negatividade está incrustrada em nosso DNA, fruto das crenças limitantes que nos foram impostas ao longo de nossas várias existências.

A bem da verdade, ainda sofremos a imposição desse tipo de crença até hoje.

Infelizmente ainda existem “classes dominantes” que não têm interesse que a verdade venha à tona, por que desta forma a humanidade em geral deixaria de ser massa de manobra e isto prejudicaria o interesse dessa minoria.

Observe o mundo à sua volta, por que será que tantas coisas tidas como “ruins” acontecem? por que as pessoas perdem o emprego, são assaltadas, traídas, se acidentam, adoecem etc?

É a Lei da Atração funcionando o tempo todo. Nós sempre estamos esperando o pior, sempre acreditamos que tudo vai dar errado, que o dinheiro vai acabar, que vamos adoecer, que não vamos encontrar a pessoa ideal e assim por diante. E tudo isso acaba mesmo acontecendo.

Qual é realmente o segredo para que consigamos fazer a Lei da Atração trabalhar a nosso favor?

Através de uma MUDANÇA DE CONSCIÊNCIA. E para isso, precisamos entender o processo da vida, entender que somos partículas divinas, dotadas de um poder imenso e por isso, capazes de criar qualquer situação e de transformar as nossas vidas.

Nascemos para sermos felizes e alegres, usufruir de toda a abundância divina que existe nesse Universo.

Não somos “pecadores” não somos “devedores”, não existe o certo ou o errado, o bom ou o mal.

Esse mundo de dualidade é uma grande ilusão. Todos somos realmente Um.

Tudo o que fazemos ao outro estamos fazendo a nós mesmos.

Quando conseguirmos entender essa verdade, o medo, a dúvida, a tristeza, o ciúme, a angústia e todos esses sentimentos negativos deixarão de existir dentro de nós.

Desta forma, passaremos a ser seres predominantemente positivos e a Lei da Atração passará a atuar a nosso favor sem qualquer dificuldade, de uma forma natural.

Isso pode parecer uma difícil… mas não é!

Nós podemos começar essa mudança hoje!

Estamos recebendo uma quantidade imensa de informações nos instruindo como nos modificar. O momento é esse e estamos todos sentindo isso.

Para que essa mudança ocorra, não dependemos de nenhum fator externo, essa força existe dentro de nós e só precisamos saber como ativá-la

Roberto Legey

29/05/2017 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

Refazendo as malas: o que deixar em 2016 e o que levar para 2017?

2013Impossível não pensar que o Ano Novo traz consigo, mesmo que simbolicamente, uma nova chance, um recomeço, uma oportunidade de fazer diferente e melhor! Claro, os mais céticos dirão que dia primeiro de janeiro nada mais é que o dia seguinte ao 31 de dezembro. Pode até ser! Porém, no final das contas, cada dia é o que você acredita que ele seja. Então, por que não aproveitar a data para, de fato, abrir um novo capítulo na sua história?

Há quem, sabiamente, faz um planejamento detalhado, com desejos descritos nas diversas áreas da vida, tais como amor, saúde, profissional, espiritual, alimentação, corpo, entre outras. Não tenho dúvidas de que debruçar-se sobre o exercício de escrever suas metas, colocando datas para alcançá-las, é altamente eficiente para organizar a mente e facilitar o processo de realização de seus sonhos.

Há os que preferem outros rituais. Existem muitos. Desde meditar sobre as perdas e os ganhos durante o ano atual e visualizar melhorias para o ano vindouro, até pular 7 ondas na virada, comer lentilhas, fazer oferendas, assistir à Missa do Galo, doar presentes, usar cueca ou calcinha nova, entre muitas outras ideias populares ou personalizadas.

Minha sugestão para um Ano Novo que realmente valha a pena tem muito a ver com as lindas dicas de Carlos Drummond de Andrade, no texto Receita de Ano Novo: “(…)  para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, (…) Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumadas nem parvamente acreditar que por decreto de esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, (…) Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro (a) , tem de merecê-lo, (…) É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.”

Ou seja, Ano Novo não tem a ver com perfeição ou virar tudo às avessas. Tem a ver com consciência, aprendizado. Refazer as malas para esta nova viagem da vida aproveitando o que ainda serve, o que é bonito e nos cabe muito bem, e abrindo mão do que já não serve mais, já não condiz com quem nos tornamos depois de tudo o que vivemos neste Ano que está ficando para trás.

Então, desapegue-se das crenças limitantes. Construa algumas novas, edificantes. Reescreva seu perfil. Mude de ideia, sim, se considerar que a nova é mais a sua nova cara. Não há nada de errado em se refazer de um jeito diferente. Como diz o sábio Zé Simão, “quem fica parado é poste”. E tem mais: síndrome de Gabriela (“(…) Eu nasci assim, eu cresci assim. E sou mesmo assim, vou ser sempre assim (…)” – Gal Costa nunca levou ninguém ao oásis de si mesmo.

E no que se refere ao amor que você deseja viver em 2017, saiba que primeiro precisa acreditar, de fato e de direito, que merece! Depois, reflita sobre o que pensou, até então, a respeito de si mesmo, de seu par e sobre relacionamento ou casamento. Em geral, quem não vive o amor que deseja é porque está se comportando com base em crenças equivocadas e que servem bem mais como armadilhas e obstáculos do que como trampolim ou atraentes desse amor! Encha-se e preencha-se de alegria e entusiasmo e viva um Ano Novo de luz, paz e amor, literalmente!

14/12/2016 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

A importância da aceitação

arvoreUma das maiores razões do sofrimento da humanidade vem da não aceitação de tudo que vai de encontro à vontade do ego.
 
Dominados por ele, sabemos sempre o que é melhor para nós e, quando algo não acontece, nos revoltamos, nos vitimizamos e sofremos.
 
Quando trabalhamos o nosso autoconhecimento, descobrimos a perfeição da vida.
 
Descobrimos que todos os caminhos que trilhamos, mesmo não que não entendamos o porquê, são os mais importantes para a nossa evolução.
 
Desenvolvemos e utilizamos plenamente a aceitação, que é a completa fé e confiança no Universo, em seus guias e em nosso próprio Eu Superior, sabendo que, todos eles, nos entregam exatamente aquilo que precisamos na hora certa..
 
A aceitação é o alicerce da paciência, da paz e do amor incondicional.
 
Ela nos permite estarmos permanentemente presentes na magia do agora.
 
A confiança que o melhor sempre acontece nos permite viver nossas expressões de vida em sua plenitude total.
Aprenda a aceitar as coisas como são.
O Universo nos ama e quer sempre o melhor para nós.

05/12/2016 Posted by | Autoconhecimento | Deixe um comentário

Um velho Samurai

Páscoa 1Conta a lenda, que perto de Tóquio vivia um Grande Samurai, já idoso, que se dedicava a ensinamentos zen aos jovens guerreiros. Apesar de sua idade, havia o mito de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Queria derrotar o samurai e aumentar sua fama. O velho não aceitou o desafio e o jovem começou a insultá-lo. Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou insultos, ofendeu seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.

Desapontados, os alunos perguntaram ao mestre como ele pudera suportar tanta indignidade, e o mestre respondeu:

_ Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?

_ A quem tentou entregá-lo, respondeu um dos discípulos.

_ O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos, concluiu o Velho Samurai.
Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem o carregava consigo.
A sua paz interior depende exclusivamente de você.
As pessoas não podem lhe tirar a calma. Só se você permitir.

“A calma na luta é sempre um sinal de força e confiança, enquanto a violência, pelo contrário, é prova de fraqueza e de falta de confiança em si mesmo”.

27/10/2016 Posted by | Atitudes, Autoconhecimento, Comportamento | 3 Comentários

Filmes sobre autoconhecimento

Filmes AutoconhecimentoUm jeito de dar uma pausa, buscar aquela paz perdida não sabemos onde, sair do comando do relógio e refletir sobre o sentido do que nos dá sentido!

1-EU MAIOR:

Traz uma reflexão contemporânea sobre autoconhecimento e busca da felicidade, por meio de entrevistas com expoentes de diferentes áreas, incluindo líderes espirituais, intelectuais, artistas e esportistas. Um filme sobre questões essenciais e universais, numa época de grandes transformações e desafios, que pedem níveis mais altos de discernimento e consciência individual.

2-LIVRE:

Depois de anos de comportamento inconsequente, o vício em heroína e a destruição de seu casamento, Strayed (Reese Witherspoon) decide mudar. Assombrada pela lembrança de sua mãe e sem nenhuma experiência, ela sai para trilhar os milhares de quilômetros do Pacific Crest Trail totalmente sozinha.

3-NA NATUREZA SELVAGEM:

Início da década de 90. Christopher McCandless (Emile Hirsch) é um jovem recém-formado, que decide viajar sem rumo pelos Estados Unidos em busca da liberdade. Durante sua jornada pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia ele conhece pessoas que mudam sua vida, assim como sua presença também modifica as delas. Até que, após 2 anos na estrada, Christopher decide fazer a maior das viagens e partir rumo ao Alasca.

4-DUAS VIDAS:

Se você tivesse a chance de encontrar consigo mesmo quando tinha 8 anos de idade, será que aquela feliz criança gostaria de ver o que você se tornou quando cresceu? Em se tratando de Russ Duritz, a resposta é um ressoante “Não!”. Russ (Bruce Willis) tem sua pacata vida como um profissional bem-sucedido virada de cabeça para baixo quando, de forma mágica e inesperada, encontra Rusty, ele mesmo com apenas 8 anos (Spencer Breslin). Rusty é um doce e ligeiramente gordo menino que não fica nada feliz ao ver seus sonhos de ser um piloto de avião irem por água abaixo após conhecer sua versão adulta. Porém, o convívio de ambos irá ajudar Russ a relembrar seus sonhos de infância, para que ele possa se tornar o adulto que sonhava ser quando criança.

5-MINHA VIDA SEM MIM:

Tendo apenas 23 anos, Ann (Sarah Polley) é mãe de duas garotinhas, Penny (Jessica Amlee) e Patsy (Kenya Jo Kennedy), e é casada com Don (Scott Speedman), que constrói piscinas. Ela trabalha todas as noites na limpeza de uma universidade, onde nunca terá condições de estudar, e mora com sua família em um trailer, que fica no quintal da casa da sua mãe (Deborah Harry). Ann mantém uma distância obrigatória do pai, pois ele há dez anos está na prisão. Após passar mal, Ann descobre que tem câncer nos ovários e terá no máximo três meses de vida. Ann faz uma lista de tudo que sempre quis realizar, mas nunca teve tempo ou oportunidade. Ela começa uma trajetória em busca de seus sonhos, desejos e fantasias, mas imaginando como será a vida sem ela.

6-MINHAS VIDAS:

Shirley MacLaine narra sua jornada rumo ao mundo interno, Shirley MacLaine sai em uma viagem de autodescoberta, em busca da ligação entre a matéria e o espírito. Ao longo do caminho, ela entra em contato com a realidade do mundo espiritual.

7- COMER, REZAR, AMAR:

Liz Gilbert (Julia Roberts) tinha tudo o que uma mulher moderna deve sonhar em ter – um marido, uma casa, uma carreira bem-sucedida – ainda sim, como muitas outras pessoas, ela está perdida, confusa e em busca do que ela realmente deseja na vida. Recentemente divorciada e num momento decisivo, Gilbert sai a zona de conforto, arriscando tudo para mudar sua vida, embarcando em uma jornada ao redor do mundo que se transforma em uma busca por autoconhecimento.

8- NÁUFRAGO:

Chuck Noland (Tom Hanks) um inspetor da Federal Express tem por função checar vários escritórios da empresa pelo planeta, porém, em uma de suas costumeiras viagens ocorre um acidente, que o deixa preso em uma ilha completamente deserta por 4 anos. Com sua noiva (Helen Hunt) e seus amigos imaginando que ele morrera no acidente, Chuck precisa lutar para sobreviver, tanto fisicamente quanto emocionalmente, a fim de que um dia consiga retornar civilização.

Bom Filme.

04/08/2016 Posted by | Autoconhecimento, Cinema | Deixe um comentário