PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Sobre a maturidade

maturidadeAlguém me perguntou uma vez o que seria o mais importante para mim em relacionamentos com outras pessoas.

Respondi que seria a MATURIDADE.

A pessoa perguntou então: “Como assim maturidade?

Quer dizer então que você prefere se relacionar com gente velha?”.

Não gostei do termo “gente velha” (não existe gente “velha”; o que existe é gente em fases diferentes da vida) e percebi mais uma vez que é esse o conceito de maturidade de muita gente, o que não está errado de todo, pois a própria palavra passa a noção de “MATURA + IDADE”, ou seja, idade madura.

Mas não é só isso.

Ligar a maturidade à idade da pessoa é um conceito limitado, pois maturidade é bem mais que isso e, num sentido mais profundo, não está necessariamente vinculada à idade cronológica.

Todos nós conhecemos crianças que nos surpreendem pelo seu nível de maturidade e também pessoas de idade mais avançada que nos assustam pelo seu nível de imaturidade.

Maturidade tem para mim uma ligação muito maior com o grau de desenvolvimento da pessoa. Vou até mais longe e digo: com o desenvolvimento da alma – o que explica para mim a maturidade “precoce” de alguns. É claro que experiência de vida faz (ou deveria fazer) amadurecer, porém, isso nem sempre é verdadeiro. Como já dito, há crianças maduras e adultos imaturos, o que mostra claramente o que digo. Vou tentar a seguir aprofundar um pouco o conceito de maturidade, apontando aquilo que a caracteriza.

Maturidade é independência

Uma pessoa madura é independente, em seus atos, em sua forma de pensar, em sua forma de ver o mundo. Uma pessoa madura não se prende à opinião dos outros, não age para agradar (ou deixar de agradar) ninguém e é fiel a si mesma.

Maturidade é responsabilidade

Uma pessoa madura assume a responsabilidade por sua vida, pelo seu caminho, tem senso de responsabilidade sobre si mesma, assumindo as rédeas, o controle de sua realidade e de seu crescimento, com disciplina e nitidez. Enquanto uma pessoa imatura sempre busca a “culpa” nos outros, tentando transferir a responsabilidade por sua vida, pelas coisas que faz ou deixa de fazer, pelos problemas que surgem, o ser maduro compreende que não são os outros os responsáveis pela sua felicidade, pelo seu bem-estar, mas também pela sua infelicidade e pelo seu desconforto neste mundo.  Ele assume também sua responsabilidade no meio onde vive, pela sua família, pelos que dependem dela, pelo seu papel moral e social.

Maturidade é respeito

Quem não respeita, não é maduro. E quem é maduro respeita. Ter maturidade é entender que todos nós somos iguais em nosso direito de existir. É ter consciência de que não há seres humanos superiores e inferiores e que qualquer um, por mais que não gostemos da pessoa, por mais que ela seja diferente de nós, por mais que não compreendamos e não concordemos com ela, merece o mesmo respeito, sempre, sem exceções. Assim, a pessoa madura respeita a qualquer um, também (e principalmente!) a si mesma. E ela respeita também a vida, com todas suas nuanças, com tudo que dela faz parte.

Maturidade é coragem

Maturidade é coragem de ver as coisas como são, sem enfeitá-las, sem se perder em ilusões. É coragem de ser lúcido, de ser verdadeiro, de enfrentar a vida com seus altos e baixos, sem fugir, sem enfiar a cabeça no buraco, de caminhar com os próprios pés. E ser maduro é ter coragem de ser sincero, não se corrompendo por medo de dizer o que realmente pensa ou sente.

Todos nós temos medos, como o de fracassar, por exemplo. Mas uma pessoa madura não se deixa levar por esse medo. Ela o enfrenta e busca realizar seus projetos. Ela não se deixa frear pelo medo de cair, pois sabe que aprende com os tombos, tendo a chance de reconhecer onde errou e prosseguindo com otimismo e mais forte, ao contrário dos imaturos, que temem caminhar para não errar, que têm medo de sofrer, e assim não correm riscos e terminam parados no mesmo lugar.

Maturidade é tolerância

Ser maduro significa também ser tolerante com os outros, é aceitar que somos todos imperfeitos e limitados, que ninguém pode desmerecer o direito de alguém existir e ser como ele é, independente de gostar ou não de sua forma de vida.

Maturidade é complacência para consigo mesmo

Ser maduro é ser complacente consigo mesmo, aceitando as próprias limitações, com as frustrações e contrariedades inevitáveis desta vida. Pessoas maduras normalmente não se aborrecem quando erram e, quando se aborrecem, nunca mais do que o tempo necessário, não se maltratando por isso, não sendo duras consigo. Ser maduro é dar carinho e atenção a si mesmo, aceitando seus defeitos e limites, tentando sempre melhorar e crescer, entendendo que todo mundo tem seus defeitos e erra. Também eu, também você.

Maturidade é aceitação da dor

Ninguém neste mundo está livre de dor e sofrimento. Ser maduro é aceitar esse fato, ao invés de tentar evitar o que nos machuca. Aceitar as dores da vida significa ter certa resiliência, desenvolvendo uma capacidade de absorver o sofrimento, compreendendo que também ele faz parte da vida, mas sem se entregar à tristeza e ao ressentimento, sem transformar o sofrimento em um monstro imbatível. É aceitar a dor sem se ver como vítima, é aceitá-la como aquilo que ela é: uma parte de nós. Maturidade não é buscar ser feliz o tempo todo, mas saber que a tristeza também é importante para o crescimento, aceitando-a com dignidade.

Maturidade é diferenciação

Ser maduro é entender que o mundo não é preto e branco, que não há sempre um “certo” e um “errado”, que há várias verdades neste mundo e que a própria verdade não é necessariamente a única que tem validade e que ela às vezes não tem validade alguma. É compreender que as coisas nem sempre são como parece, que tudo na vida tem, no mínimo, dois lados e que ver sem diferenciar limita muito nossa visão.

Maturidade é coerência

Uma das coisas que mais tenho visto na internet nos últimos tempos é a incoerência de posturas. Vejo muita gente se contradizendo, com uma capacidade extrema de dizer uma coisa e negá-la na mesma frase. É gente que diz: “Não sou racista, mas acho que todo negro é isso ou aquilo”, “Nada tenho contra homossexuais, mas não aceito dois homens se beijando perto de mim”, “Não discrimino religião alguma, mas acho que todo muçulmano é terrorista”, e assim por diante. Quem se posiciona assim, mostra incoerência. E isso é um forte sinal de imaturidade.

Sim, maturidade requer coerência. Não adianta falar de amor ao próximo apenas na teoria e, na prática, discriminar outras pessoas, desejando-lhes o mal, propagando preconceitos e coisas negativas sobre elas.

Maturidade é capacidade de reflexão

Uma pessoa madura reflete antes de se expressar, pois ela sabe que aquele pensamento que veio em primeiro lugar, principalmente em situações carregadas emocionalmente, pode estar totalmente errado, distorcido. Ela sabe que seus sentimentos e mais ainda a forma como os interpreta podem estar completamente equivocados e precisam, portanto, de reflexão, ou melhor, introspecção, antes de serem exteriorizados.

É importante o controle racional das emoções e de sentimentos negativos como desprezo, inveja, ciúme, vingança, raiva e agressividade, o que não significa reprimir e muito menos ignorar essas emoções. Significa apenas que elas devem ser refletidas e filtradas pela razão, analisando uma situação antes de abordá-la.

Maturidade é humildade

Você é uma pessoa especial, sem dúvida. Mas não somente você. Todos somos especiais: você, eu, mas também o carteiro, a mulher da padaria, o vizinho, enfim, todo mundo! Não reconhecer isso e se achar mais especial que outras pessoas é ser arrogante, prepotente e imaturo.

Uma pessoa madura compreende que ela é uma pequena parte de um todo, um grão de areia numa duna, uma única letra em um livro, uma estrela no firmamento. Ser maduro é ser humilde, é reconhecer que sua “especialidade” aumenta quando não é realçada, é ter consciência das próprias limitações, é viver com modéstia e simplicidade.

Maturidade é justiça

Somos imaturos quando somos injustos. Por exemplo, quando estamos frustrados e descarregamos nossa frustração em alguém. Pessoas maduras também se aborrecem com suas frustrações, mas não descarregam sua raiva nos outros, sem que eles nada tenham a ver com o que ocorreu. Também somos injustos quando julgamos alguém precipitadamente, quando o atacamos sem ter esse direito, quando não reconhecemos que eles têm os mesmos direitos que nós, quando praticamos o princípio de “dois pesos e duas medidas”, quando julgamos e condenamos alguém sem provas de sua culpa, quando cobramos mais dos outros do que de nós mesmos. A pessoa madura busca agir de modo justo, atribuindo a si e aos outros direitos e deveres iguais.

Maturidade é equilíbrio e sabedoria

Uma pessoa madura tem competência para se relacionar com pessoas em qualquer ambiente e habilidade para evitar conflitos desnecessários e improdutivos. Ela busca o equilíbrio e a paz social, na sociedade, dentro de sua casa, entre os amigos e em qualquer ambiente que frequenta, agindo com sabedoria e buscando somar e não dividir, partilhando o que sabe, buscando o que é bom para todos e não só para si próprio e tentando ajudar a construir um clima positivo e harmonioso, onde se constrói ao invés de destruir, sendo claro, sereno, humano, praticando o bem e almejando a evolução do todo.

A pessoa madura sabe se calar quando é melhor não dizer nada e não se cala quando falar é necessário. Ela busca a paz de espírito, o entendimento, o equilíbrio entre as energias, entre as pessoas, entre tudo, agindo com constância e não de acordo com seu humor. Ela sabe que diversão e distração são necessárias, mas também trabalho e engajamento, e que a balança só se equilibra quando os opostos se igualam.

Então, resumindo: amadurecer é aprender a viver de forma independente, comresponsabilidade e respeito por você mesmo e pelo mundo à sua volta, com coragem de ver as coisas como são. É prosseguir apesar das incertezas e dos medos, sendo tolerante para com os demais e complacente consigo mesmo, aceitando a dor sem se entregar a ela, tendo umavisão diferenciada e coerente do mundo, refletindo com humildade, praticando a justiça e buscando sempre o equilíbrio e a sabedoria.

Talvez você, caro leitor, pense agora: “Puxa, é muita coisa! Assim ninguém nunca vai conseguir amadurecer!”. De fato, nenhum ser humano é perfeito. A maturidade, em sua plenitude, é uma meta, que nos serve como guia e nos ajuda a crescer, mas sem ansiar a perfeição. Se fôssemos perfeitos, seríamos anjos e não gente! É importante entender que nenhum de nós jamais conseguirá ser sempre e completamente maduro, mas que podemos fazer muito para nosso crescimento pessoal. E compreender isso nos ajuda a amadurecer

Por Gustl Rosenkran

Anúncios

30/04/2015 Posted by | Desenvolvimento Pessoal | Deixe um comentário

Orlando em Maio

O mês de maio chegou, é primavera em Orlando e uma excelente época para visitar a cidade e os parques temáticos antes da alta temporada. Isso significa, filas menores, trânsito mais calmo e oportunidade de aproveitar melhor a cidade. Isso sem falar que a temperatura nesta época do ano é perfeita: nem muito quente nem frio – Paraíso!

Epcot International Flower & Garden Festival – 1 até 17 de maio

O Festival Internacional de Flores e Jardins é um evento anual que acontece no EPCOT e que consegue deixar este parque da Disney ainda mais encantador. A primeira vez que fomos a este evento foi em 2011 e desde então ficou marcado em nossa agendas. O trabalho de jardinagem é uma verdadeira obra de arte. Os jardins coloridos, as esculturas de topiaria, a culinária fantástica e muita música ao vivo irão com certeza agradar a você. Não perca! Clique aqui para mais informações sobre este evento.

Epcot International Flower and Garden Festival

 

Orlando City Soccer – 2, 8, 17 e 30 de maio – Orlando Citrus Bowl

O Orlando City é time mais querido de Orlando no momento. Graças a chegada de Kaká e uma tremenda campanha de marketing, a cidade hoje se veste de roxo para mostrar a sua fidelidade ao time. Serão 4 jogos em maio e é bom garantir seu ingresso com antecedência, pois o site já informa que os ingressos para todos os jogos estão quase esgotados. Clique aqui para garantir seu ingresso. Confira a tabela de jogos:

2 de maio – Orlando City vs Ponte Preta FC

8 de maio – Orlando City vs New England Revolution

17 de maio – Orlando City vs LA Galaxy

30 de maio – Orlando City vs Columbus Crew SC

Orlando City

Nitro Circus Live – 9 de maio – Amway Center

Excelente opção para quem curte espetáculos com muita adrenalina. Como o próprio nome do evento diz, este é um circo de adrenalina. Um espetáculo  com 40 dos melhores atletas mundiais de motocross freestyle, BMX e skate, fazendo manobras inacreditáveis. Vale a pena conferir. Clique aqui para garantir o seu ingresso.

 

 

Nitrus Circus Live

 

Disney’s Beauty and the Beast – de 12 até 17 de maio – Dr. Phillips Center for Performing Arts

Musical da Disney, A Bela e a Fera é um espetáculo incrível. Um musical da Broadway com 2h 15 min de duração no belíssimo Walt Disney Theater do Dr. Phillips Center for Performing Arts. Clique aqui para saber mais sobre o Dr. Phillips Center e aqui para garantir o seu ingresso com preços a partir de $34.00.

 

 

Disney´s Beauty and the Beast

 

Anything Goes – de 26 até 31 de maio – Dr. Phillips Center for Performing Arts

Sim, maio é um excelente mês para assistir os musicais da Broadway em Orlando. Este espetáculo com 2h 45 min de duração narra de uma forma engraçada as aventuras de marinheiros do SS American. Premiado com o 2011 Tony Awards e altamente recomendado pelo The New York Times e USA Today. Ainda não assitimos este show, mas acho que vale a pena conferir. Clique aqui para comprar o seu ingresso. Preços a partir de $34.00.

Musicais Broadway

30/04/2015 Posted by | On The Road | 1 Comentário

O poder do agradecimento

Neste aparentemente simples discurso de 3 minutos, a Dra. Laura Trice reflete sobre o poder da palavra mágica “obrigado” – para aprofundar uma amizade, restaurar um laço, para ter a certeza de que as outras pessoas sabem o que significam para nós.

28/04/2015 Posted by | Comportamento, Videobook | Deixe um comentário

Comportamento das pessoas inteligentes

carismaVocê é o que você faz. Não adianta saber de todos os números e condições se você não consegue tomar boas decisões que gerarão as melhores consequências para o seu negócio. Pode parecer básico, mas muitas vezes o que impede os empreendedores de alcançar o sucesso é o comportamento deles.

O especialista Steve Tobak fez uma lista para o site da revista “Entrepreneur” de quais são os comportamentos e posições de pessoas inteligentes. Saiba quais são eles:

1 – Elas tomam decisões inteligentes

Essas são pessoas que sabem que seus atos têm consequências. Elas também sabem o impacto que essas consequências têm em seus negócios. Para fazer boas escolhas, é necessário foco e disciplina.

2 – Elas aprendem com seus erros

Errar é a melhor forma de aprendizado. Ficando cara a cara com a realidade, o empreendedor pode ter uma percepção melhor de suas próprias falhas e encontrar maneiras para acertar da próxima vez.

3 – Elas não sabem todas as respostas

Pessoas inteligentes não precisam agir como se soubessem de tudo. Elas são espertas o suficiente para reconhecer o quanto não sabem.

4 – Elas estão cercadas de outras pessoas inteligentes

Uma pessoa pode até ser inteligente, mas os melhores trabalhos são sempre feitos em equipe. Steve Jobs, por exemplo, recrutava cerca de oito pessoas talentosas para participar de sua equipe de liderança e os ensinava a fazer o mesmo com seus próprios times.

5 – Elas conseguem se adaptar

Saber se adaptar ao ambiente e as pessoas ao redor é uma característica importante em qualquer tipo de carreira. Quem consegue usar os recursos que tem para atingir bons resultados se destacará.

6 – Elas são razoáveis

Tem muita gente que não abre mão de um posicionamento, mesmo que todas as evidências e argumentos provem que ele está errado. Quem não deixar o orgulho e a teimosia de lado para dar mais espaço ao pensamento lógico dificilmente conseguirá ter uma boa convivência no ambiente de trabalho.

7 – Elas não seguem modismos

Deixe os modismos e os pseudoconhecimentos de lado e crie seu próprio caminho. Pense fora da caixa.

8 – Elas reconhecem suas limitações

Não há problema algum em ter ambição. Mas é necessário reconhecer seus próprios limites também. Não corra riscos à toa: saiba o quanto você é capaz de aguentar.

27/04/2015 Posted by | Comportamento | Deixe um comentário

Senhor

deus 9Senhor.

Ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes e a não dizer mentiras para ganhar o aplauso dos fracos

Se me der fortuna , não me tire a razão. Se me der o sucesso , não me tires a humildade.

Se me der humildade, não me tires a dignidade.

Ajuda-me a enxergar o outro lado da moeda, não me deixe acusar o outro por traição, apenas por não pensar igual a mim.

Ensina-me a amar aos outros como a mim mesmo.

Não deixes que me torne orgulhoso se triunfo, nem cair em desespero se  fracasso. Mas recorda-me que o fracasso é a experiência que precede ao triunfo.

Ensina-me que perdoar é um sinal de grandeza e que a vingança é um sinal de fraqueza.

Se não me deres o êxito, dá-me sabedoria para aprender com o fracasso.

Se eu ofender as pessoas, dá-me coragem para desculpar-me e se as pessoas me ofenderem, dá-me grandeza para perdoa-las.

Senhor , se eu me esquecer de ti , nunca te esqueças de mim .

por Mahatma Gandhi

26/04/2015 Posted by | Espiritualidade, Pensamentos | Deixe um comentário

Felicidade

P02Não são as coisas que possuímos ou compramos que representam riqueza, plenitude e felicidade.

São os momentos especiais que não tem preço, as pessoas que estão próximas da gente e que nos amam, a saúde, os amigos que escolhemos, a nossa paz de espírito.

Felicidade não é o destino e sim a viagem…

por Martha Medeiros

25/04/2015 Posted by | Pensamentos | Deixe um comentário

Apreciador ou bebedor?

chiantiComeço este texto contando duas histórias.

A primeira é sobre um enófilo que encontrei há muitos anos atrás em uma confraria de vinhos. Eu e alguns colegas estávamos comentando sobre alguns bons vinhos que estávamos provando naquele momento quando ele se aproximou para nos contar sobre o vinho muito famoso que ele tinha provado. Descreveu precisamente todas as características técnicas do vinho: percentual de cada variedade de uva, quanto tempo passado em barricas, teor de álcool, região onde estavam os vinhedos, quantos hectares, etc.

Ouvimos tudo atentamente e quando ele terminou a descrição deste grande vinho, perguntei: mas e você, o que achou do vinho? Ele olhou para mim com um ar de espanto e logo respondeu: ah, é um dos melhores vinhos do mundo, recebeu mais de 90 pontos do Robert Parker!

A segunda história é sobre um jovem sommelier, de uns 28 anos, que conheci  no restaurante de um hotel, quando fui participar de um seminário. Ele é natural do Paraná e trabalhou boa parte de sua vida no sítio da família. Veio para o hotel em busca de uma nova carreira e até então seu único contato com vinho tinha sido com os de mesa. Não demorou para ele mostrar uma afinidade incrível com o novo mundo dos vinhos finos que ela começava a provar. Descrevia os aromas que sentia de uma forma natural e muito interessante, associando primeiro a cores e depois a elementos do campo aos quais ela sempre esteve acostumada: milho, palha de milho, grãos variados, ervas, frutas e plantas em geral. Em pouco tempo ele aprendeu a gostar destes vinhos e passou a se interessar em provar coisas novas, aprender e conhecer mais, se tornando uma das melhores vendedoras do restaurante.

Pessoalmente acho que estes dois personagens exemplificam bem a diferença entre o apreciador e o simples bebedor de vinhos, figura muito comum no nosso mercado.
Engana-se quem acredita que o primeiro personagem representa o apreciador. A nossa segunda personagem, é muito mais apreciadora que o primeiro. Chocado? Pois é, para ser apreciador de vinhos ou de qualquer outra coisa, não é necessário ser o grande entendedor, não requer saber de cor a lista dos Top 100, as notas de cada safra que um vinho ganhou e suas especificações técnicas, ou o que todo mundo está falando do vinho no aplicativo da moda. Isso é apenas informação. Apreciar antecede o entender, porque a apreciação é curiosa, leva a busca da informação e do conhecimento, que torna então o apreciador em um entendedor.

No mundo do vinho define-se o ato de degustar como beber com atenção, o que vale para tudo na vida: comer, ler, assistir a um filme ou show, visitar uma exposição de arte e tudo mais que pode ser apreciado.

Beber com atenção significa perceber as sensações que o vinho causa aos nossos sentidos, apreciá-lo. Vale para isso combinar as informações técnicas disponíveis sobre o vinho, decorrentes da apreciação feita pelo enólogo e pelos críticos, com as suas próprias percepções, para assim chegar a sua opinião pessoal sobre o vinho.
É neste ponto em que o bebedor perde a grande oportunidade de se tornar um verdadeiro apreciador, pois parou no simples ato de beber aquilo que lhe dizem que é bom, mas se esqueceu de prestar atenção e confiar em sua própria percepção para realmente saber se gosta ou não.

Temos que reconhecer, num mercado onde somos massacrados com propagandas do tipo “beba isto, coma aquilo, use este, faça assim, seja assado”, é muito mais fácil gostar do que todo mundo diz para gostar do que se dar ao trabalho de descobrir sozinho. E é preciso também muita personalidade para dizer “não gosto” para um vinho, mesmo que seja famoso ou bem pontuado, e “gosto” para aquele mais simples e barato, muitas vezes comprado no supermercado. Isso me faz lembrar de um querido professor meu do curso de vinhos, experiente apreciador que já provou de tudo o que este mundo do vinho é capaz de produzir, e que não tinha o menor problema em dizer que não gosta de Brunello de Montalcino. E ele jamais disse “Brunello di Montalcino é ruim”, apenas “não gosto”.

Esta é outra grande diferença entre um apreciador e um bebedor. Bebedores jamais dirão que não gostam de um vinho ícone do mundo, e irão classificar como ruim tudo aquilo que não se parecer com ele.

Um apreciador sabe reconhecer o bom trabalho feito por um grande produtor e a importância que seus vinhos tem para o mercado, porém sabe dizer se o agrada ou não, sem precisar desmerecer o vinho.

Caminho natural de todo apreciador é ter o desejo e a curiosidade de provar estes grandes vinhos, pois são as referências de qualidade, seja para quem quer produzir ou para quem quer se tornar um entendedor. Mas ele nunca irá perder a curiosidade de provar o novo e o diferente, o vinho menos famoso e nunca pontuado, às vezes até o mais simples, mas onde ele sabe que poderá encontrar agradáveis surpresas.

É fácil perceber esses dois comportamentos nas feiras de vinhos. O bebedor chega para quem está servindo os vinhos, seja ele o distribuidor, importador ou o produtor em pessoa, e pede: “qual é o teu vinho top?”. O apreciador pede para provar todos os vinhos.
Nada de errado em gostar de vinhos top, premiados e com altas notas, em acompanhar os guias e aplicativos, e querer saber todas as informações possíveis sobre um vinho. O problema é achar que esta é a verdade absoluta do vinho e que tudo mais que estiver fora destes padrões é porcaria.

Apreciar vinhos vai além, é ter liberdade e curiosidade para provar de tudo e para se permitir gostar daquilo que agrada ao próprio paladar, que dá prazer. É também não impor seu paladar ao outro, algo que os bebedores adoram fazer.

Agora alguém deve estar pensando “qual o problema? cada um bebe o que quer e como quer”. Verdade, a discussão democrática de tudo é sempre saudável. O grande problema é que novos consumidores interessados em ingressar neste mundo se sentem totalmente desestimulados ao ser iniciado por um bebedor, que os faz pensar que tomar vinho é coisa complicada, cheia de frescuras e rituais, uma arte restrita apenas a entendedores. Então acabam preferindo a cerveja e a caipirinha por ser menos complicado, mais divertido e prazeroso.

A boa notícia para estes novos consumidores é que o vinho também pode ser divertido, é cheio de histórias para contar, faz a gente querer viajar e naturalmente querer conhecer mais. É sobretudo agregador, um grande prazer a ser dividido com todos os que também o apreciam.

Então vamos beber menos e apreciar mais, sem qualquer moderação!

Saúde!

25/04/2015 Posted by | Vinhos | Deixe um comentário

O poder da vulnerabilidade

Brene Brown estuda conexão humana – nossa habilidade de sentir empatia, pertencer, amar. Em uma palestra comovente e divertida no TEDxHouston, ela compartilha uma percepção profunda de sua pesquisa, que a levou a uma busca pessoal para conhecer a si mesma.

25/04/2015 Posted by | Autoconhecimento, Videobook | Deixe um comentário

Mantenha a mente afiada

imaginaçãoSacadas para o dia a dia que vão deixar seu cérebro trabalhando a mil e livre de doenças:

1) Deixe a cabeça ocupada:

Inscreva-se em cursos ou matricule-se em uma pós-graduação. Em um estudo alemão, as pessoas que realizaram atividades intelectuais regularmente reduziram em 62% o risco de sofre de Alzheimer ou de algum tipo de comprometimento cognitivo. “Exercícios que estimulam o cérebro são benéficos, pois criam novas conexões entre os neurônios. Quanto mais conexões, mas protegido de doenças degenerativas ele fica” explica Fernando Freua, neurologista da UTI Neurológica do Hospital Santa Paula, em São Paulo.

2) Alimente os neurônios:

“Fazer de 15 a 20 minutos de atividades aeróbicas (correr, pedalar) por dia ajuda reduzir o risco de Alzheimer”, afirma Gary Small, neurocientista e diretor do Centro de Pesquisa em Memória e Envelhecimento da Universidade da Califórnia (EUA). Com o aumento do fluxo sanguíneo causado pelo exercício, as células do cérebro começam a se comunicar de forma mais eficaz.

3) Fique sarado:

Pesquisa realizada pelo Instituto Kaiser Permanente (EUA) mostra que homens com excesso de gordura abdominal possuem maior chance de desenvolver demência. A razão: o excesso de células adiposas provoca uma inflamação em todo o organismo, o que também danifica o cérebro.

4) Hidrate a cuca:

Beba de 2 a 3 litros de água por dia. “Cerca de 80% do cérebro é composto por líquidos. Se você não estiver hidratado, seus neurônios não funcionarão bem”, explica Daniel Amen, psiquiatra americano especialista em saúde cerebral.

5) Saia do piloto automático:

Escove os dentes com a mão esquerda (se você for destro), corra para trás e procure outras coisas que o obrigue a desviar dos padrões diários. “Ao realizar essas atividades, você vai estimular partes do cérebro que estavam adormecidas, incentivando-as a fazer novas conexões” diz Freua. Dessa forma, a mente vai trabalhar em alta performance.

6) Acerte os ponteiros:

Dormir aproximadamente sete horas por noite mantém a atividade cerebral funcionando perfeitamente. “É enquanto você dorme que o cérebro trabalha a pleno vapor, organizando os dados recebidos durante o dia, solidificando a memória e os novos aprendizados” revela Freua. A falta de sono compromete a aprendizagem, concentração e memória.

7) Leia, Leia, Leia

Considerada uma das atividades mais complexas para o cérebro, a leitura estimula a percepção, a atenção, a decodificação da linguagem, a criatividade e aspectos emocionais. “Quem lê precisa determinar cenários, sons, odores, rostos, compreender entrelinhas, relações humanas, tomar partido, fazer previsões, recordar enredos e muitas outras funções” pontua Freua.

 

24/04/2015 Posted by | Saúde | Deixe um comentário

Tudo caminha e se renova

meditacao-vida-simplesNão esqueça que na vida nada fica inalterado, mas tudo evolui transformando-se.

Você deverá saber avaliar com a justa modéstia cada situação.

Se está vivendo um momento de sucesso, redimensione o entusiasmo; se em vez espera um desenvolvimento, seja paciente: tudo caminha e se renova.

24/04/2015 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário