PrimeLife (Ano VI)

Viva Bem, Viva Mais, Viva com Estilo

Airbus Helicopters seleciona motor do X4

Airbus X4A Airbus Helicopters vai apresentar ao público, no dia 3 de março, o conceito de design do X4, durante a HAI HELI-EXPO 2015, feira da indústria de asas rotativas promovida pela Helicopter Association International, em Orlando (EUA).

O X4 é a nova geração de helicóptero bimotor médio da Airbus, que incorpora uma série de tecnologias inovadoras, sendo adaptado para uma ampla gama de mercados, incluindo atividades nos segmentos de petróleo e gás, serviços de emergência médica, governamental, executivo e de aviação particular.

Anunciado em 2012, o projeto inicial apresentava dois motores altamente capacitados como opções: o Pratt & Whitney PW210E e o Turbomeca Arrano. Após uma avaliação fundamentada em consultas de mercado e em vários cenários estudados com as duas fabricantes, o projeto passou por uma alteração de posicionamento para que os motores pudessem oferecer um aumento significativo de potência.

A partir da decisão, a Airbus Helicopters e a Pratt & Whitney Canada decidiram não prosseguir com uma nova versão do motor PW210E para o X4. A fabricante de turbinas, no entanto, continuará a prestar apoio até a conclusão da fase inicial do programa X4, que entra em seu desenvolvimento em grande escala com a versão aprimorada da turbina Arrano da Turbomeca.

O Arrano é o nome comercial do motor TM800, que com 1.100 shp é dedicado ao mercado de helicópteros entre 4 e 6 toneladas, atuando entre as faixas de desempenho Arriel e Ardiden. O novo motor se beneficia de uma série de novas tecnologias desenvolvidas pela Turbomeca, que melhoram a performance e reduzem o consumo.

 

27/02/2015 Posted by | Asas Rotativas | Deixe um comentário

Sempre é hora de recomeçar…

seguindo suaa rotaEstamos todos passando por muitos desafios… parece que tudo que não serve mais está vindo à tona para ser transformado e liberado na luz… Somos muitas vezes testados naquilo que mais tememos e estamos vendo cair por terra conceitos que sustentamos por muito tempo como verdade e como base para nosso caminhar.

A mudança é visível e mesmo as estruturas mais rígidas estão sendo abaladas…

 Um primeiro olhar sobre isso tudo muitas vezes nos faz achar que isso é ruim, porque estamos perdendo coisas que nos davam segurança e nos vemos diante de desafios que fogem ao nosso controle… Tantas coisas que nos davam suporte escorrem entre os dedos como areia fina nos revelando sua verdadeira face… coisas que nos apegamos a elas por tanto tempo nos mostram a fragilidade das bases em que se apoiavam…

 Mas se tivermos um olhar mais calmo sobre esse movimento todo de transformação, que tanto nos assusta… vamos perceber que isso é bom, que tudo que está sendo chamado à mudança é porque não está sustentado em uma base verdadeira… e ali existe possibilidade de uma melhor condição.

Acontece que nos acostumamos tanto com algumas coisas e somos tão familiarizados com elas, que, pouco a pouco elas vão tomando conta, de uma forma, que nem nos deixa perceber que as coisas podiam ser diferentes… podiam ser melhores… bem melhores…

Esse acostumar devagar é tão ruim que nos tira a possibilidade de reação… e o que a princípio era ruim, vai se tornando tão familiar que acabamos acreditando que só temos direito àquela possibilidade. Por isso, por mais que as mudanças nos assustem num primeiro instante, é sempre bom olhar para elas como um caminho para que coisas que estavam estagnadas e ultrapassadas sejam liberadas para que novas possibilidades possam se manifestar…

Parece que o Universo, nesses tempos, está mesmo disposto a revolver tudo que está fundado sobre bases que não são a verdade… e, quando não resistimos, aceitando o momento pelo qual estamos passando, podemos cooperar com as mudanças e nos abrir para que… o que for para nossa felicidade se manifeste, mesmo que seja algo novo e que não estava dentro dos nosso planos… Nossos planos de futuro são geralmente criados por memórias do passado, tendo como base experiências que já vivemos, nessas e em outra vidas e, por isso, são extremamente limitados, ao passo que os planos do Universo não se enquadram nesse limites e vão muito além do conhecido e de tudo que podemos imaginar…

Muitas vezes, os acontecimentos que trazem grandes mudanças, parecem-nos ameaçadores porque nossa visão é muito limitada, e fora daquelas possibilidades que nos acostumamos a elas, não existe saída… Seja em que área for que a mudança aconteça, temos um monte de memórias querendo nos puxar para baixo, falando que fora daquele modelo as coisas não têm como acontecer…

Parece que com o passar do tempo vamos aposentando projetos… esperanças… sonhos… e as coisas vão ficando cada vez mais limitadas, vamos nos enclausurando em prisões cada vez mais apertadas ao nos acostumar com coisas estagnadas e que não fazem mais sentido.

Mas sempre é hora de recomeçar… sempre podemos melhorar e ir além e permitir que a vida entre pela porta e nos revele o novo… mesmo que para isso ela precise dar uma chacoalhada no velho e mofado mundo que quer nos impor nossas memórias.

 Por isso, quando a mudança bater na sua porta, receba com um sorriso e com o coração aberto, não tente fechar a porta nem fingir que aquilo não é com você… Lembre-se que sempre é hora de seguir por caminhos nunca antes percorridos e de nos abrir para viver aventuras que nos fazem perceber que somos muito mais do que quiseram nos fazer crer…

 

24/02/2015 Posted by | Comportamento | 2 Comentários

Diálogos impossíveis

pessoa bonitaAlgumas pessoas provocam o outro até ouvir algo insuportável, criando discursos repetitivos que reforçam ciclos de ressentimento

– Eu te ligo.

– Mas eu vou ficar tão nervosa esperando você ligar que eu preferia que você não ligasse.

– Tá bom, eu não te ligo.

– Legal! Assim eu não preciso ficar desesperada, pensando que eu podia ligar para você enquanto você não liga para mim. Nem imaginar por que você ainda não ligou. Mas… Você vai ligar, não é?

– Eu te ligo.

Esta adaptação de “diálogo impossível” poderia ter vindo do livro homônimo de Luis Fernando Verissimo (Objetiva, 2012). Um trabalho que parece retomar as pesquisas, dos anos 70, feitas pelo antropólogo Gregory Bateson e da Escola de Palo Alto, sobre a comunicação paradoxal. O chefe que diz uma coisa e faz outra contrária, o pai que “mostra” seu amor ao filho repetindo reclamações e críticas, o discurso liberal com a prática autoritária, são exemplos de situações discursivas patológicas.

Duplicidades entre mensagens e códigos, dissonância entre o que pensamos e o que dizemos, disparidades entre a forma como “representamos” ações e a maneira “real” como nos comportamos, têm aparecido nas pesquisas do psicólogo Daniel Kahneman, ganhador do Nobel de Economia em 2002, e em uma vasta gama de investigações sobre a filosofia moral “prática”.

De todos os diálogos impossíveis, o meu favorito ao “prêmio” de alienação discursiva é, sem dúvida, a conversa entre casais. A temida DR (discussão de relacionamento) é um caso particular do que Freud chamava de “a mais generalizada degradação do objeto na vida amorosa”, ou seja, um dos signos clínicos típicos e inevitáveis da desagregação da retórica amorosa. Como a piada que nos lembra que os Beatles falavam de amor e não duraram mais que dez anos juntos, os Rolling Stones, que louvam o gozo, estão até hoje cantando Satisfaction.

Também entre amigos as chamadas “mesmas conversas” são fonte de gradual irritação, mas isso não contraria a regra, pois a amizade é uma forma de amor. O grande enigma é saber por que, mesmo sabendo que se dissermos A ouviremos B, não conseguimos resistir à força impelente do discurso que nos degrada, arrastando o outro junto. O caso típico é o daquela pessoa que não consegue se conter até ouvir aquilo que lhe é insuportavelmente repetitivo. Ela dá voltas, provoca e parece forçar o outro a perder a paciência e dizer o que sempre diz, machucando e reforçando o ressentimento que a conversa inicialmente tinha o objetivo de reparar.

Há, nesses diálogos, aquele acento traiçoeiro que nos faz ter a certeza delirante de que só com um “pouquinho“ (o diminutivo é aqui essencial) mais de tempo, dinheiro ou compreensão tudo estaria resolvido. Devia haver um “Discursivos Anônimos” para nos lembrar que nessa matéria é preciso evitar sobretudo a “primeira palavra”. E reunião sistemática para recordarmos que estamos há tantos dias sem pronunciá-la. Em uma época na qual se insiste tanto na importância da criatividade e da inovação, pouco ou quase nada se ouve sobre a renovação do discurso. Não há nenhum personal trainer para a palavra, não conheço receita, manual, regime ou educação dirigida que seja eficiente neste assunto (não confundir com oratória, sedução e coisas do gênero). A cura para isso anda escassa. É na poesia que aprendemos o trabalho de dizer com cuidado e escutar com precisão. Mas quem defenderá a utilidade da poesia como gênero de primeira necessidade da vida relacional?

Na verdade, as tentativas de disciplinar de modo “autoconsciente” nosso discurso têm resultados muito parciais – quando não desastrosos. Portanto, seria melhor que aprendêssemos a respeitar o adversário que parece tão fácil de ser derrotado: a palavra.

E a palavra de amor, que com amor se faz.

 

23/02/2015 Posted by | Comportamento | Deixe um comentário

É intolerável ser ninguém

BB 52E este é o milagre, quando você aceita ser ninguém, quando você se torna tão comum quanto todos os outros, quando não quer mais reconhecimento, quando pode existir como se não existisse.

Estar ausente é o milagre. As pessoas têm medo de ser ninguém porque toda sua personalidade terá então desaparecido. Nome, fama, respeitabilidade, tudo isso terá desaparecido, daí o medo. Mas a morte irá levá-las, de qualquer forma. Aqueles que são sensatos permitem que essas coisas se vão por conta própria. Então não haverá mais nada para a morte levar. Então todo o medo desaparecerá, porque a morte não pode chegar até você, já que nada terá restado para ela.

A morte não pode matar um ninguém.Você está aqui, de certa forma, e ainda assim não está.Você está aqui por causa da velha associação com o corpo, mas olhe com cuidado e verá que não está. E esse reconhecimento, onde há puro silêncio e puro estado-de-ser, isso é sua realidade, que a morte não pode destruir. Essa é a sua eternidade, sua imortalidade.

Não há nada a temer. Não há nada a perder. E se você pensar que perdeu algo – nome, respeitabilidade, fama -, todas essas coisas não possuem valor. São brinquedos de crianças, não servem para as pessoas maduras. Você deve amadurecer, você deve ‘ser’ apenas.
Seu ser-alguém é tão pequeno. Quanto mais você é alguém, menor é. Quanto mais você é ninguém, maior se torna.

Seja absolutamente ninguém e você será um com a própria existência.

– Osho

22/02/2015 Posted by | Meditação, Pensamentos | Deixe um comentário

Pensamentos femininos quando você está dentro dela

Sexo 23Depois de postar os pensamentos masculinos na hora do sexo, em meio a tantos desafios como não gozar rápido, não perder a ereção, etc, agora é a vez de postar sobre o que se passa nas mentes femininas quando elas estão sendo penetradas. Enjoy it.

– “Isso, continua molhadinha, continua molhadinha …”

A lubrificação está para a mulher assim como a ereção está para o homem. Se o sexo não está bom, ou se esfria em algum momento, a lubrificação seca como mágica, inviabilizando todo o processo, daí a necessidade da repetição desse mantra. Se o mantra falhar, só KY resolve.

– “Será que esse ângulo está bom?”

Não que as mulheres fiquem paranoicas querendo ficar nas posições que mais favorecem seu corpo, mas sempre passa pela cabeça aquela dúvida sobre como ele a está exergando. Posições que evidenciam muito as gorduras, celulite, flacidez, costumam dar uma atrapalhada na concentração, por isso elas costuma evitá-las.

– “Não goza agora, não goza agora, por favooor…”

Como para muita gente, a gozada do homem significa que o sexo acabou, ou que pelo menos uma pausa será necessária, as mulheres ficam torcendo para que ele não goze bem naquela hora em que está delicioso.

– “Aff, odeio esses barulhos de ar…”

Barulhos de ar que acontecem no meio do sexo são no mínimo engraçados, não vale a pena se preocupar com eles já que todo mundo que transou pelo menos duas vezes na vida já passou por isso. Mas sempre que acontece (principalmente quando o barulho se repete sequencialmente), a mulher fica num misto de vergonha com vontade de rir. Sempre ajuda quando ele ri junto, em vez de ficar desconcertado.

– “Nossa, será que ele não vai desligar a britadeira?”

Tem homem que se empolga numa posição só e liga o modo britadeira por vários minutos. Quando isso acontece e não está assim mais tão gostoso, as mulheres ficam desejando loucamente que ele troque de posição logo.

– “Será que ele acha que meu peito balança muito quando eu fico por cima?”

Dúvida cruel

– “Vai precisar se esforçar muito mais, estou longe de gozar…”

Mulheres pensam isso principalmente quando o homem é daqueles sem-noção que ficam repetindo: “Goza logo pro papai ver” ou coisas do tipo.

– “Será que ele vai surtar se eu colocar o dedo na porta de trás?”

Mulheres que tem esse fetiche e que não sabem muito bem as preferências do homem com que estão transando, com certeza irão pensar isso pelo menos uma durante o sexo. As mais ousadas, pagam para ver.

– “Me espera, me espera, me espera!”

Sempre bate aquele desespero quando a mulher está perto de gozar mas percebe que ele também está empolgado demais  e que pode não aguentar a espera. Nesses caso, esse mantra é repetido milhares de vezes, com toda a força do mundo.

– “Ele bem que podia lembrar que meu clitóris existe …”

Às vezes, uma estimulação extra no clitóris faz toda a diferença na hora da penetração. Tem muita mulher que, por não querer pedir ou não aguentar esperar a atitude dele, já se garante com seus próprios dedos.

– “Não para, não para, não para…”

É péssimo quando você encontra o ângulo perfeito e gostaria que ele ficasse desse jeito para sempre, mas ele vai lá e se mexe bem no auge da coisa.

– “Ele não vai gozar nunca? Será que bateu uma hoje?”

Esse pensamento sempre surge depois que ela já está totalmente satisfeita e o homem está demorando horrores para gozar.

– “Será que vai ter mais de uma?”

Se o sexo foi bom, mas não foi o suficiente para saciar toda a sede, ela com certeza vai ficar desejando uma segunda vez. Aí só depende de você.

E você, concorda com a lista? Tiraria ou acrescentaria itens nela?

21/02/2015 Posted by | Sexo | Deixe um comentário

Pensamentos masculinos quando ele está dentro de você

relacionamentos 02Ser homem não é fácil. Além de ser mais difícil para eles conseguirem sexo, eles têm que se preocupar com um monte de detalhes na hora do “vamos-ver” para não estragar tudo.

Pensando nisto, reunimos uma lista de coisas que, geralmente, passam pela cabeça do homem enquanto ele está dentro de você, aproveite pois ele jamais iria revelar isso para você.

  1. 01 – “ainda não, ainda não, ainda não”: A maioria dos homens tem pavor de gozar antes de você. Então eles precisam repetir o mantra do “ainda não” para não permitir que eles gozem cedo demais, um constante exercício para fazer com que aquele momento tão esperado dure mais. É um paradoxo, eles seguram o prazer, para poder sentir mais prazer. Não é fácil.
  2. 02 – “Será que ela vai demorar muito ainda?”: Por causa da preocupação com o prazer da mulher, este deveria ser o objetivo de todo homem, os homens precisam segurar o orgasmo, ladies first. E aí eles ficam na questão: “Quero muito gozar, por que diabos ela está demorando tanto?

03 – “Será que ela vai ficar brava se eu colocar um dedo na parte de trás?”: Você ficaria? No fogo do momento, principalmente nas posições em que o homem tem uma visão de camarote da área traseira da mulher, difícil não pensar em querer dar mais um passo. Então fica a dica: se você quer o dedo dele, sinalize para evitar que ele fique neste dilema.

04 – “Tô dando o meu máximo, poxa!”: Eles adoram quando ela pede para que eles coloquem mais forte e mais fundo, só que tem horas que, para alguns, não tem como ir mais longe. Quando o homem percebe que o seu melhor ainda não a satisfaz por completo, o tesão começa ir para baixo … mais um desafio para eles …

05 – “Maldita camisinha”: Sim, todo mundo sabe que a camisinha é um “mal” necessário, mas esse pensamento passa pela cabeça da grande maioria dos homens enquanto eles estão dentro de uma mulher. Ele sempre vai pensar em como gostaria de sentir o quentinho e a umidade dela sem um plástico no meio do caminho.

06 – “Nossa, que delícia!”: Dispensa explicações.

07 – “Eu deveria ter batido uma hoje”: Alguns homens pensam nisto quando percebe que não vão durar muito.

08 – “Eu não deveria ter batido uma hoje”: Esse é o outro lado da moeda. Também, alguns homens pensam nisto quando percebem que vão demorar muito mais do que gostaria para gozar.

09 – “Ufa!!!”: Aquela satisfação quando a mulher goza. É uma deliciosa sensação de dever cumprido, e o aval para que ele finalmente possa gozar. O correto é que ele esteja preparado para esta hora, e sincronize os times

10 – “Agora vai, Agora vai, Tá indo, Foooi!”: Seguido de um apagão momentâneo. Neste momento, ele se lembra do motivo pelo qual gosta tanto de sexo. Este é um momento importante. Alguns homens viram para o lado e vão dormir, quando o correto é abraçar e beijar a mulher sem sair de dentro, pois a curva do gozo dela é mais longo do que a do homem.

E você, acrescentaria mais alguns itens a esta lista?

21/02/2015 Posted by | Sexo | Deixe um comentário

Trechos da carta de despedida de Oliver Sacks que vão fazer você repensar a própria vida

Neurologist Dr. Oliver Sacks Speaks At Columbia UniversityOliver Sacks, escritor, neurologista e professor do curso de medicina da Universidade de Nova York, publicou uma carta aberta no jornal americano The New York Times, nesta quinta-feira (19), anunciando seus últimos meses de vida.

Ele, aos 81 anos, contou que há nove anos foi diagnosticado com um tumor raro no olho, um melanoma ocular que, atualmente, está em fase de metástase. Ele diz que se sentia bem e com saúde, até descobrir a disseminação do tumor por todo o corpo.

Sacks é autor grandes obras de divulgação científica, entre elas Enxaqueca, O Homem que Confundiu sua Mulher com um Chapéu e Tempo de Despertar, que chegou a inspirar o filme homônimo estrelado por Robert De Niro e Robin Williams, indicado a três estatuetas no Oscar. A carta foi publicada pelo NYT.

Em um dos trechos da carta de despedida, Sacks diz que, agora, quer viver o tempo que lhe resta de forma rica, intensa e mais produtiva possível. Para você se inspirar a fazer o mesmo no seu dia a dia, selecionamos 7 trechos emocionantes do texto do neurologista que, ao falar da doença e da morte, esconde ensinamentos sobre a própria vida:

– Viva um dia de cada vez

“Agora, cabe a mim escolher como viver os anos que me restam. Tenho que viver da maneira mais rica, intensa e produtiva possível”

– Enxergue as situações por outro ângulo

“Nos últimos dias, pude ver minha vida de outro ângulo, como uma paisagem, e com um forte senso de conexão entre as partes. Isso não significa que me entreguei. Pelo contrário, me sinto intensamente vivo, e eu quero e espero, no tempo que me resta, aprofundar minhas amizades, me despedir das pessoas que amo, escrever mais, viajar se eu tiver forças, e alcançar novos conhecimentos. Mas também haverá tempo para um pouco de diversão (e até algumas tolices)”

– Sofrimento pode ser um combustível

“Há nove anos fui diagnosticado com um tumor raro no olho, um melanoma ocular. A radiação e a cirurgia que removeu o tumor me deixaram cego daquele olho, porém, em casos raros ele se torna uma metástase. Eu estou entre os 2% desafortunados”

– Ter consciência e não negar a morte

“Eu me sinto feliz por ter usufruído mais nove anos de boa saúde e produtividade desde o diagnóstico original, mas agora estou face a face com a morte. O câncer ocupa um terço do meu fígado, e mesmo que ele avance devagar, este tipo da doença não pode ser parada”

– Não gaste tempo com o que não importa

“Tenho um novo senso de perspectiva. Não há tempo para o que é trivial. Tenho que focar em mim, no meu trabalho e nos meus amigos”

– Sempre há um lado bom – mesmo que você não acredite

“Isto não é indiferença, mas desapego — ainda me importo com o Oriente Médio, com o aquecimento global, com a igualdade, mas estas coisas não são mais para mim, elas pertencem ao futuro. E eu fico feliz de ver jovens talentosos — como o que diagnosticou minha metástase. Sinto que o futuro está em boas mãos”

– Aproveite o que a vida tem a oferecer – e se aventure!

“Não posso fingir que não tenho medo. Mas meu sentimento predominante é a gratidão. Eu amei e fui amado; doei-me e muito me foi dado; eu li, viajei, pensei e escrevi. Eu me relacionei com o mundo, o relacionamento especial entre escritores e leitores. Acima de tudo, eu fui um ser humano ciente, um animal pensante, neste belo planeta, e só isso já foi um enorme privilégio e aventura”

21/02/2015 Posted by | Reflexões | Deixe um comentário

Dicas para iniciantes no sadomasoquismo

sadoMuita gente acaba reprimindo alguns desejos por causa do medo do que o parceiro (a) vai achar!

Isso é pura bobagem, já que o que você faz na cama não necessariamente reflete no seu comportamento fora dela. Ou seja, se alguém gosta de bater ou apanhar, isso não reflete um comportamento sádico de quem não se valoriza ou de quem quer machucar sentimental e fisicamente o outro.

O ato de apanhar é motivado por um fetiche de dominação que envolve muita coisa, mas de forma consensual. Você foi amarrado porque quis, queimaram uma vela em cima de você porque você deixou. Você sente prazer nisso. Ao contrário do que muita gente pensa, aceitar prazeres na cama não significa aceitar violência ou agressões de qualquer natureza na vida.

Já diziam as Frenéticas: abra suas asas, solte suas ferras. Se você tem vontade de se aventurar nesse fetiche que a cada dia ganha mais adeptos, separamos algumas dicas para iniciantes no assunto:

– Defina uma senha:

Dentre os participantes do sadomasoquismo existe um combinado. Cada casal define sua “safeword”, que é uma palavra que demanda parar tudo. Isso acontece porque nem sempre um “não” quer dizer “não” ou um “para” quer dizer “para de verdade”, porque um dos fetiches da brincadeira do sadomasoquismo é justamente a dominação. Então combine com o seu parceiro qual vai ser a “safeword” de vocês. Pode ser qualquer coisa como “janela”, “vestido” ou “chocolate”. O importante é saber que sempre que um dos dois pronunciarem essa palavra, é hora de parar.

– De olhos bem vendados:

Tapar a visão do parceiro ou ter seus olhos tapados é uma forma de aguçar seus sentidos e aumentar a sensibilidade da pele. Neste momento, tato, olfato, paladar e audição merecem ser explorados ao máximo. Cada aroma, sabor, palavra sussurrada ao pé do ouvido ou mesmo cada toque adquire um gosto diferente, quando se está de olhos vendados. É o momento ideal para acender velas aromáticas ou lhe dar um beijo após um gole  de bebida. Chega a ser instigante imaginar que tudo é surpresa. Quem está vendado não consegue ver o que vai acontecer, então se de repente abocanharem seu mamilo ou beijarem seus pés, será totalmente inesperado.

– Brincando com fogo:

Uma das brincadeiras favoritas dos sadomasoquistas é a sensação da cera quente da vela gotejando na pele. Se você sente prazer em ser dominada, essa sensação pode gerar bastante prazer. Peça para ele deixar a vela gotejar no seu corpo (evite partes íntimas), sempre mantendo-a a no mínimo um palmo de distância da pele para não causar queimaduras. Depois da brincadeira, basta esfregar um pouco a cera que ela sai sozinha da pele.

Estas são algumas dicas para iniciantes. Se você curtir este fetiche, pode gradativamente ir experimentando outras formas. O céu é o limite.

20/02/2015 Posted by | Sexo | Deixe um comentário

Chocolate anti-rugas promete deixar pele de 50 anos com visual de 30

chocolate anti rugasMuita gente vai achar que é sonho, mas pesquisadores da Universidade de Cambridge estão desenvolvendo um chocolate que, segundo eles, vai retardar o aparecimento de rugas e flacidez na pele.

Com apenas 7,5 gramas por dia, o ‘Esthechoc’, como será chamado o produto, vai deixar uma pessoa de 50 anos com pele de alguém de 30. Palavra dos cientistas responsáveis.

Há uma explicação científica por trás dessa “mágica”. Esse chocolate faz aumentar os níveis de antioxidantes e a circulação de sangue, evitando o aparecimento de linhas de expressão. Os 7,5 gramas diários têm a mesma quantidade de astaxantina (antioxidante) que um filé de salmão, e os mesmos níveis de polifenóis (radicais-livres) que 100 gramas de chocolate amargo — e apenas 38 calorias, o mesmo que uma maçã.

Testes mostraram que depois de quatro semanas de consumo diário, voluntários tiveram menos evidências de inflamação no sangue e aumento de circulação para os tecidos da pele.

O criador do produto, Ivan Petyaev, ex-pesquisador da Universidade de Cambridge e fundador da Lycotec, firma de biotecnologia, disse estar usando os mesmos antioxidantes “que fazem os peixes dourados e os flamingos cor de rosa”.

— Nos testes clínicos vimos a inflamação da pele diminuir à medida que os tecidos começavam a se beneficiar. Usamos pessoas de 50 e 60 anos e em termos de biomarcadores da pele o resultado foi o da pele de 20 ou 30 anos — contou ele ao “Telegraph”.

O ‘Esthechoc’ deve ser vendido em caixas para três semanas de chocolate, individualmente embalados, e só a partir do próximo mês. Por enquanto, só no Reino Unido.

 

20/02/2015 Posted by | Boa Aparência, Cuidados Pessoais | Deixe um comentário

Mulheres Felizes

erótica é a almaTodos vamos envelhecer… Querendo ou não, iremos todos envelhecer.

As pernas irão pesar, a coluna doer, o colesterol aumentar.

A imagem no espelho irá se alterar gradativamente e perderemos estatura, lábios e cabelos.

A boa notícia é que a alma pode permanecer com o humor dos dez, o viço dos vinte e o erotismo dos trinta anos.

O segredo não é reformar por fora.

É, acima de tudo, renovar a mobília interior: tirar o pó, dar brilho, trocar o estofado, abrir as janelas, arejar o ambiente.

Porque o tempo, invariavelmente, irá corroer o exterior.

E, quando ocorrer, o alicerce precisa estar forte para suportar.

Erótica é a alma que se diverte, que se perdoa, que ri de si mesma e faz as pazes com sua história.

Que usa a espontaneidade para ser sensual, que se despe de preconceitos, intolerâncias, desafetos.

Erótica é a alma que aceita a passagem do tempo com leveza e conserva o bom humor apesar dos vincos em torno dos olhos e o código de barras acima dos lábios.

Erótica é a alma que não esconde seus defeitos, que não se culpa pela passagem do tempo.

Erótica é a alma que aceita suas dores, atravessa seu deserto e ama sem pudores.

Aprenda: bisturi algum vai dar conta do buraco de uma alma negligenciada anos a fio.

por Adélia Prado

19/02/2015 Posted by | Pensamentos, Reflexões | Deixe um comentário